Urbs diz que a partir das 17h frota de ônibus será reduzida em Curitiba

Foto: divulgação

Outras capitais tomam medida semelhante diante do risco de colapso do sistema, provocado pela paralisação dos caminhoneiros

ALEXANDRE PELEGI

Mais uma grande cidade brasileira sofre os efeitos da paralisação dos caminhoneiros. Assim como São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e outras capitais, Curitiba também toma atitudes para minimizar a possível falta de diesel para a frota de ônibus que servem ao transporte coletivo.

Em nota divulgada há pouco a Urbs – Curitiba, empresa pública que gerencia o transporte coletivo da capital paranaense, informa que a partir das 17 horas hoje, quarta-feira (23/05), vai reduzir a frota de ônibus que atende as linhas da Rede Integrada de Transporte.

Segundo a nota, a redução nos horários de pico será de 30% e nos demais horários, de 50%. São considerados horários de pico: 6h30 às 8h30; 11h às 13h; 17h às 19h30; 21h30 às 23h.

A Urbs informa que a medida é “preventiva e necessária para prolongar o atendimento à população devido às restrições na distribuição de combustível para as empresas de ônibus”.

Ainda segundo a nota, a redução da frota será adotada enquanto o abastecimento estiver comprometido. “A Urbs e as empresas do transporte coletivo buscam alternativas para garantir a regularização do abastecimento o mais rápido possível”, conclui o comunicado.

Já as empresas que atuam na região metropolitana de Curitiba informam que o transporte coletivo será totalmente paralisado a partir desta quinta-feira, dia 24 de maio, caso os estoques de dieses não sejam renovados.

Os caminhoneiros realizam desde segunda-feira manifestações por todo o País devido às altas consecutivas do óleo diesel desde 03 de julho de 2017, quando a Petrobras adotou uma política de preços baseada na cotação internacional do Petróleo.

Ontem o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, anunciou que foi fechado um acordo com os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Eunício Oliveira, para zerar a tributação da Cide sobre o diesel em troca da aprovação da reoneração da folha de pagamento.

Os caminhoneiros, entretanto, acham a medida insuficiente e querem que a Petrobras revise a política de preços o que, segundo o presidente da estatal, Pedro Parente, não deve ocorrer.


LEIA A NOTA DA URBS NA ÍNTEGRA

A Urbs informa que a partir das 17 horas desta quarta-feira (23/05) será feita a redução da frota de ônibus que atende as linhas da Rede Integrada de Transporte. Nos horários de pico a redução vai ser de 30% e nos demais horários, de 50%. São considerados horários de pico: 6h30 às 8h30; 11h às 13h; 17h às 19h30; 21h30 às 23h.

 A medida é preventiva e necessária para prolongar o atendimento à população devido às restrições na distribuição de combustível para as empresas de ônibus. A redução da frota será adotada enquanto o abastecimento estiver comprometido. A Urbs e as empresas do transporte coletivo buscam alternativas para garantir a regularização do abastecimento o mais rápido possível.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta