Licitação em São Paulo: menos linhas para o centro e novo monitoramento

licitação São Paulo
Secretário de Transportes, Jilmar Tatto, explica as propostas para licitação dos serviços de ônibus em São Paulo.

Nova licitação de São Paulo prevê menos linhas até o centro e sistema renovado de monitoramento de frota
Jilmar Tatto diz que um dos objetivos do novo modelo é evitar sobreposições de linhas em corredores
ADAMO BAZANI – CBN
Além da implantação do Bilhete Único Mensal, pelo qual o passageiro por R$ 140,00 pode usar quantos ônibus forem necessários num mês, e da construção de 150 corredores exclusivos para ônibus, outro desafio do prefeito Fernando Haddad para a mobilidade urbana na Capital Paulista é a licitação do sistema municipal de transportes.
O sistema conta com cerca de 15 mil ônibus e só no ano passado, transportou 2 bilhões 915 milhões 095 mil e 482 usuários em 1331 linhas, das quais, 849 por regime de concessão e 482 de permissão.
A SPTrans – São Paulo Transportes, gerenciadora do sistema, e a Secretaria Municipal de Transportes realizaram na manhã desta sexta-feira, dia -1 de fevereiro de 2013, uma audiência pública para discutir a licitação do sistema.
Um dos objetivos anunciados pelo secretário de transportes, Jilmar Tatto, é racionalizar o sistema e diminuir a quantidade de linhas na região central de São Paulo, mas sem “reduzir a oferta para o passageiro”.
Entre as metas estão:
– Redução de sobreposições de linhas nos corredores estruturais de transportes.
– Redução no número de linhas que vão para o centro da cidade.
– Criação de linhas perimetrais, que ligam bairros e regiões, sem necessidade de passar pelo centro de São Paulo.
A infraestrutura básica do sistema não será modificada. Essa era a preocupação fundamental dos maiores empresários de ônibus que controlam boa parte das linhas em São Paulo, como José Ruas Vaz e Belarmino de Ascenção Marta.
A divisão de lotes deve continuar a mesma, mas as linhas perimetrais devem exigir alguma readequação operacional de parte destes lotes.
O secretário também afirmou que com a redução das sobreposições, a velocidade operacional dos corredores deve aumentar.
Hoje, no Expresso Tiradentes, antigo Fura Fila, a velocidade pode chegar a 25 km/h, mas na maior parte dos outros corredores, os ônibus têm um desempenho bem menor, em alguns casos não ultrapassando de 12 km/h.

licitação

licitação São Paulo

licitação São Paulo
Novo sistema de monitoramento e menos linhas para o centro de São Paulo são alguns dos pontos apresentados pela Prefeitura de São Paulo.

TECNOLOGIA:
Os transportes em São Paulo também devem contar com um novo sistema de monitoramento para controle da frota e das operações em tempo real.
Além de possibilitar uma melhor fiscalização, o sistema deve contribuir para que o passageiro tenha mais acesso às informações sobre os serviços, como localização mais precisa dos ônibus e a previsão mais correta de quando o ônibus deve passar pelo ponto.
Em relação a frota, as características vão continuar mistas: com minionibus, micro-ônibus, micrões (midionibus), ônibus convencional básico, ônibus padrão, articulado e ônibus biarticulado.
Todos, independentemente do porte, terão de apresentar equipamentos de acessibilidade para portadores de necessidades especiais.
Adamo Bazani, jornalista da Rádio CBN, especializado em transportes