Consórcio de Municípios do Alto Tietê questiona gestão Doria sobre extinção de linhas da EMTU

Ônibus intermunicipais fazem falta, dizem passageiros

Cortes ocorreram por ordem da prefeitura de São Paulo que alegava sobreposição com os itinerários municipais

ADAMO BAZANI

O consórcio dos municípios da região do Alto Tietê, na Grande São Paulo, cobrou da gestão João Doria satisfação sobre a extinção de linhas gerenciadas pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos por ordem da prefeitura da capital paulista.

O Diário do Transporte foi o primeiro veículo de imprensa profissional a abordar o assunto e mostrou no fim de maio que a partir do dia 26 daquele mês, 12 linhas foram extintas e duas tiveram o itinerário reduzido.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/05/25/por-determinacao-da-prefeitura-de-sao-paulo-12-linhas-da-emtu-serao-paralisadas-na-terca-feira-26/

Destas 12 linhas, nove partiam das cidades de Ferraz de Vasconcelos, Guarulhos e Poá, que integram o CONDEMAT – Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê.

“Muitos moradores das cidades do Alto Tietê trabalham em São Paulo e os usuários dos ônibus intermunicipais relatam dificuldades no transporte com o cancelamento das linhas. Alguns, que antes usavam apenas uma condução, agora precisam de duas ou até três para chegar ao destino, o que impacta em tempo e gastos”, disse, em nota, o presidente do CONDEMAT, prefeito Adriano Leite.

O consórcio enviou um ofício ao secretário de Estado de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, no qual, ressalta que dificuldades no transporte público podem agravar a pandemia e pede providências na oferta de serviços no Alto Tietê.

REQUERIMENTOS E ABAIXO-ASSINADOS:

Mais um requerimento na Alesp – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo questiona o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, sobre a extinção de 12 linhas da EMTU que ocorreu por determinação da prefeitura da capital paulista.

Como mostrou o Diário do Transporte, foram paralisadas desde 26 de maio de 2020, ligações a partir de Ferraz de Vasconcelos, Guarulhos, Poá, Embu-Guaçu, Taboão da Serra e Juquitiba, na Grande São Paulo, com destino à capital. As linhas eram a 282, 016, 029TRO, 009TRO, 205, 026, 328, 344, 575, 577, 595 e 460. Já as linhas 044TRO – São Paulo (Jardim Castelo) – Diadema (centro) e 377 Poá (Jd. Nova Poá) – São Paulo (Parque Artur Alvim) tiveram os trajetos reduzidos.

Desta vez, os questionamentos são por parte do deputado Douglas Garcia (PSL) que protocolou o requerimento no dia 08 de junho de 2020.

Entre as explicações que o parlamentar quer receber está o nível de interferência da prefeitura de São Paulo nas linhas metropolitanas e se a STM – Secretaria dos Transportes Metropolitanos não tentou evitar esses cortes:

1 – A Prefeitura de São Paulo encerrou, unilateralmente, linhas da EMTU?

2 – Em caso positivo, por quais motivos o Governo do Estado de São Paulo não se opôs aos encerramentos destas linhas? A Prefeitura de São Paulo tem atribuição para interferir na EMTU? Qual o arcabouço jurídico que fundamenta essa prerrogativa do município?

3 – Em caso negativo, por quais motivos o Governo do Estado de São Paulo anuiu com estes cortes nas linhas de transporte intermunicipal?

4 – Requeiro o envio de estudos que embasaram a referida determinação

Com base em reportagens do Diário do Transporte, houve ao menos outros dois requerimentos de explicações sobre os cortes das linhas, um pelo deputado José Américo (PT) e outro pelo deputado José Aprigio da Silva (PODEMOS).

Além dos requerimentos, estão circulando abaixo-assinados pedindo o retorno das linhas.

Os passageiros alegam que, apesar de a prefeitura de São Paulo dizer que há linhas municipais no território da capital que cobrem as ligações metropolitanas que eram sobrepostas, na prática, a situação ficou bem mais difícil porque é necessário trocar de condução e, o pior, pagar por essa transferência porque não há integração tarifária entre EMTU e SPTrans (com bilhetes e valores diferentes) e mesmo na transferência para a rede de trilhos (Metrô e CPTM) é necessário pagar uma diferença. Assim, ainda de acordo com os passageiros nos abaixo-assinados, os trajetos se tornaram mais longos e mais caros.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/06/05/mais-um-abaixo-assinado-tenta-reverter-cancelamentos-de-linhas-da-emtu-por-ordem-da-prefeitura-de-sao-paulo/

A Radial Transporte, que integra o Consórcio Unileste e que operava as linhas 460 Ferraz de Vasconcelos (Vila São Paulo) – São Paulo (Parque Artur Alvim) e 377 Poá (Jd. Nova Poá) – São Paulo (Parque Artur Alvim), diz que somente nestas duas ligações, foram afetados em torno de 70 mil passageiros por dia na região do Alto Tietê.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/06/05/interferencia-da-gestao-covas-em-linhas-da-emtu-do-alto-tiete-prejudica-70-mil-pessoas-por-dia-diz-empresa-de-onibus/

Recentemente, as linhas metropolitanas afetadas por determinações da prefeitura de São Paulo são:

LINHAS QUE DEIXARAM DE OPERAR

De Taboão da Serra:

– 029 Taboão da Serra (Jardim Monte Alegre) – São Paulo (Pinheiros)

De Ferraz de Vasconcelos:

– 460 Ferraz de Vasconcelos (Vila São Paulo) – São Paulo (Parque Artur Alvim)

De Guarulhos:

– 344 Guarulhos (Parque Alvorada) – São Paulo (Metrô Penha)

– 016 Guarulhos (Terminal Urbano Guarulhos) São Paulo (Metrô Armênia)

– 575 Guarulhos (Terminal Urbano) – São Paulo (Metrô Armênia

– 577 Guarulhos (Jardim Ipanema) – São Paulo (Metrô Armênia)

– 595 Guarulhos (Terminal Metropolitano Taboão) – São Paulo (Metrô Brás)

De Poá:

– 026 Poá (Term. Rod. Jd. São José) – São Paulo (São Miguel Paulista)

– 205 Poá (Terminal Rodoviário Pedro Fava Cidade Kemel) / São Paulo (Pq. D. Pedro II)

– 328 Poá (Term. Rod. Jd. São José) – São Paulo (São Mateus)

De Embu-Guaçu

– 009 Embu-Guaçu (Vila Louro) – São Paulo (Santo Amaro)

De Juquitiba:

– 282 Juquitiba (Terminal Rodoviário Metropolitano) São Paulo (Metrô Morumbi)

LINHAS COM O ITINERÁRIO REDUZIDO:

– 044TRO – São Paulo (Jardim Castelo) – Diadema (centro): A decisão exclui o percurso da referida linha na capital

– 377 Poá (Jd. Nova Poá) – São Paulo (Parque Artur Alvim), passou a ir apenas até á Estação Antonio Gianetti Neto da CPTM, em Ferraz de Vasconcelos.

O secretário de mobilidade e transportes da cidade de São Paulo, Edson Caram, afirmou que a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) não convenceu a secretaria municipal de que 12 linhas de ônibus intermunicipais extintas deveriam ser mantidas.

De acordo com o secretário da gestão Bruno Covas, não poderia continuar ocorrendo a sobreposição e o “pinga-pinga” que estavam acontecendo dentro da cidade de São Paulo entre os ônibus metropolitanos e os municipais.

“Tinha mais de 100 linhas em estudo e análise. Em relação a essas 12 linhas, a EMTU não conseguiu nenhum tipo de justificativa que fizesse com que a SPTrans e a secretaria de transportes concordassem que essa sobreposição existisse. A população que usava essas linhas não vai ficar desatendida, pois vai ter o transporte do município de São Paulo à disposição para isso. O que não podia era continuar essa sobreposição e o pinga-pinga que estava acontecendo dentro da cidade de São Paulo”, disse o secretário.

A declaração foi feita em entrevista aos portais de mobilidade Diário do Transporte, Diário dos Trilhos e Via Trólebus. Procurada, a EMTU não se manifestou sobre a declaração.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/06/04/emtu-nao-convenceu-secretaria-municipal-de-transportes-de-que-12-linhas-de-onibus-extintas-deveriam-ser-mantidas-diz-caram/

Em nota, no primeiro dia da divulgação das 12 linhas extintas, a secretaria municipal informou que as alterações mencionadas são resultado de análise iniciada em setembro de 2019 e que a área de Planejamento da EMTU participou de reuniões técnicas antes da conclusão dos estudos. A pasta também informou que os passageiros não ficarão desatendidos uma vez que poderão utilizar o transporte público na capital e que, de acordo com o Decreto 57.867, de 12 de setembro de 2017, são suas atribuições estudar, planejar, gerir, integrar, fiscalizar e controlar os transportes individuais e coletivos no município de São Paulo.

Mas em uma postagem em redes sociais, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, sem mostrou insatisfeito com a postura da prefeitura.

Primeiro quero esclarecer que a Constituição Federal prevê que as Prefeituras no Brasil tem a prerrogativa das políticas públicas do transporte público. Buscamos diálogo nestas medidas, demonstramos a importância de cada operação aos gestores municipais, mas não fomos atendidos.” – escreveu Baldy.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Marcos Borges disse:

    Vamos ver se esses políticos que NUNCA DEPENDERAM DE ONIBUS no caso esse governador e esse prefeito,repensem essa palhaçada que eles fizeram com.a população que DEPENDE do transporte intermunicipal!Caramba porque essa cisma besta com essas 12 linhas?E porque essa bobagem de seccionar mais outras duas linhas?Voltem atrás e recoloquem essas linhas pra rodar de novo na cidade!São linhas com demanda grande!É estupidez DESTRUIR 14 linhas intermunicipais e deixar o povo mais sem recursos ainda pra ir de um extremo a outro da cidade!Esse governador e esse prefeito estão DESTRUINDO O DIREITO DE IR E VIR DA POPULAÇÃO!

  2. rebU disse:

    E também há outro inconveniente: mesmo entre linhas da EMTU no mesmo município a integração é paga.

  3. Eduardo disse:

    E tem a linha 190, ligava o Taboão ao metrô Conceição e era a única linha de ônibus correndo pela Av. Dos Bandeirantes.

  4. Roston Gomes disse:

    Entao se Continuar assim a EMTU esta perdendo sua Funcao pois segundo alegam os Prefeitos das Cidades e que tem a Funcao de Gerenciar as linhas Tanto Municipal quanto Intermunicipal sendo assim nao ha mais a a Necessidade a Existencia da EMTU e so os Prefeitos vizinhos conversarem entre si e PROLONGAR SUAS LINHAS MUNICIPAIS (QUE ADENTRE OUTROS MUNICIPIOS)
    NO CASO DE FERRAZ O PRRFEITO NAO IRIA NEGAR QUE UMA LINHA DA ZONA LESTE (MUNICIPAL DE SAO PAULO) ADENTRE O SEU MUNICIPIO NEM O BRUNO COVA DE SAO PAULO IRIA NEGAR
    POSSA SER QUE SEJA ESTE O CAMINHO QUE AS LINHAS MUNICIPAIS DE SAO PAULO ADENTRE OS MUNICIPIOS VIZINHOS

  5. Roston Gomes disse:

    Outro Fato Interesante no Caso da Radial Transportes (Consorcio Unileste) esta com uma linha Regular da EMTU PARALIZADA A LINHA 076 (MANOEL FEIO ITAQUA) METRO BRAS (VIA SAO MIGUEL E PENHA) esta linha faz diversas Integracoes com Linhas que vem dos Municipios de Mogi Aruja Poa Itaqua e Ferraz COM CARTAO BOM PAGANDO APENAS UMA PASSAGEM QUE LEVARIAM ESTES USUARIOS A DIVERSOS BAIRROS DA ZONA LESTE DE SAO PAULO
    COM TODAS PARALIZACOES EFETUADAS A RETOMADA DA LINHA.076 SERIA IMPORTANTE PARA DIMINUIR O IMPACTO DA DESATIVACAO DE VARIAS LINHAS DA REGIAO OU ATE MESMO LEVAR ESTA LINHA.076 ATE CALMOM VIANA OU CIDADE KEMEL PARA TER MAIORES ATENDIMENTOS

  6. Leonardo Frederico Frederico de paula disse:

    No Jardim Ponheirinho (Louzada) eu estou Fazendo requerimento no Ministerio Publico para atendimento de demanda de onibus intermunicipal da Unileste empresa Radial transportes para sentido Aruja pois quem trabalha em aruja tem que descer no Jardim Caiuby para depois pagar novamente outro Ônibus para fazer o trajeto. Gostaria que houvesse uma baldeação do Jardim pinheirinho (242) para o Aruja Barreto (075) e nada foi atendido até hoje ! Apenas consegui multar a empresa em 160.000 por atrazo na obra do terminal de aruja BRT que nem sequer iniciou mesmo tendo o projeto sido pago pelo governo do João Doria e Prefeitura de Aruja.

  7. Leonardo Frederico Frederico de paula disse:

    O pior de tudo isso é que eles fazem dos funcionarios deles que são carneirinhos uma forma de vingança orientando a eles humilhar quem não utiliza mascara ou a utiliza de forma incorreta para eles sendo que os ônibus vivem podres fedendo a carniça e quebrados como sempre ! Além da falta de educação eles se acham no direito de chamar a policia para os passageiros que não usam mascara sendo a empresa utilizadora de ônibus sucateados para fazer transporte irregular segundo as recomendações da ANTT e ISO9001 normas de segurança para cadeirantes Etc.

  8. Lena abreu disse:

    Sou viúva da 190(conceição) espero que revejam a retiradas da linha.

Deixe uma resposta