Mais um abaixo-assinado tenta reverter cancelamentos de linhas da EMTU por ordem da prefeitura de São Paulo

Publicado em: 5 de junho de 2020

Linhas fazem falta, dizem passageiros

Também houve questionamentos na Alesp. Secretário municipal diz que EMTU não convenceu sobre necessidade de manutenção de “sobreposições” com ônibus municipais

ADAMO BAZANI

A paralisação de 12 linhas intermunicipais gerenciadas pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos continua causando insatisfação nos passageiros que dependiam dos serviços.

Usuários lançaram mais um abaixo-assinado para reverter a medida que começou no dia 26 de maio de 2020, segundo a EMTU, por determinação da prefeitura de São Paulo já que as linhas entravam na capital paulista.

O documento  pede a reativação de todos os trajetos e pode ser acessado aqui

Como já havia mostrado o Diário do Transporte, moradores de Taboão da Serra, também em abaixo assinado pedem o retorno da linha 029 Taboão da Serra (Jardim Monte Alegre) – São Paulo (Pinheiros).

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/06/02/moradores-de-taboao-da-serra-fazem-abaixo-assinado-contra-corte-de-linha-da-emtu/

Recentemente, as linhas metropolitanas afetadas por determinações da prefeitura de São Paulo são:

LINHAS QUE DEIXARAM DE OPERAR

De Taboão da Serra:

– 029 Taboão da Serra (Jardim Monte Alegre) – São Paulo (Pinheiros)

De Ferraz de Vasconcelos:

– 460 Ferraz de Vasconcelos (Vila São Paulo) – São Paulo (Parque Artur Alvim)

De Guarulhos:

– 344 Guarulhos (Parque Alvorada) – São Paulo (Metrô Penha)

– 016 Guarulhos (Terminal Urbano Guarulhos) São Paulo (Metrô Armênia)

– 575 Guarulhos (Terminal Urbano) – São Paulo (Metrô Armênia

– 577 Guarulhos (Jardim Ipanema) – São Paulo (Metrô Armênia)

– 595 Guarulhos (Terminal Metropolitano Taboão) – São Paulo (Metrô Brás)

De Poá:

– 026 Poá (Term. Rod. Jd. São José) – São Paulo (São Miguel Paulista)

– 205 Poá (Terminal Rodoviário Pedro Fava Cidade Kemel) / São Paulo (Pq. D. Pedro II)

– 328 Poá (Term. Rod. Jd. São José) – São Paulo (São Mateus)

De Embu-Guaçu

– 009 Embu-Guaçu (Vila Louro) – São Paulo (Santo Amaro)

De Juquitiba:

– 282 Juquitiba (Terminal Rodoviário Metropolitano) São Paulo (Metrô Morumbi)

LINHAS COM O ITINERÁRIO REDUZIDO:

– 044TRO – São Paulo (Jardim Castelo) – Diadema (centro): A decisão exclui o percurso da referida linha na capital

– 377 Poá (Jd. Nova Poá) – São Paulo (Parque Artur Alvim), passou a ir apenas até á Estação Antonio Gianetti Neto da CPTM, em Ferraz de Vasconcelos.

Além dos abaixo-assinados, a extinção das linha gerou também dois pedidos de esclarecimentos por parte de deputados da Alesp – Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, um pelo deputado José Américo (PT) e outro pelo deputado José Aprigio da Silva (PODEMOS)

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/06/03/mais-um-deputado-questiona-extincao-de-12-linhas-da-emtu-por-determinacao-da-prefeitura-de-sao-paulo/

O secretário de mobilidade e transportes da cidade de São Paulo, Edson Caram, afirmou que a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) não convenceu a secretaria municipal de que 12 linhas de ônibus intermunicipais extintas deveriam ser mantidas.

De acordo com o secretário da gestão Bruno Covas, não poderia continuar ocorrendo a sobreposição e o ”pinga-pinga” que estavam acontecendo dentro da cidade de São Paulo entre os ônibus metropolitanos e os municipais.

“Tinha mais de 100 linhas em estudo e análise. Em relação a essas 12 linhas, a EMTU não conseguiu nenhum tipo de justificativa que fizesse com que a SPTrans e a secretaria de transportes concordassem que essa sobreposição existisse. A população que usava essas linhas não vai ficar desatendida, pois vai ter o transporte do município de São Paulo à disposição para isso. O que não podia era continuar essa sobreposição e o pinga-pinga que estava acontecendo dentro da cidade de São Paulo”, disse o secretário.

A declaração foi feita em entrevista aos portais de mobilidade Diário do Transporte, Diário dos Trilhos e Via Trólebus. Procurada, a EMTU não se manifestou sobre a declaração.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/06/04/emtu-nao-convenceu-secretaria-municipal-de-transportes-de-que-12-linhas-de-onibus-extintas-deveriam-ser-mantidas-diz-caram/

Em nota, no primeiro dia da divulgação das 12 linhas extintas, a secretaria municipal informou que as alterações mencionadas são resultado de análise iniciada em setembro de 2019 e que a área de Planejamento da EMTU participou de reuniões técnicas antes da conclusão dos estudos. A pasta também informou que os passageiros não ficarão desatendidos uma vez que poderão utilizar o transporte público na capital e que, de acordo com o Decreto 57.867, de 12 de setembro de 2017, são suas atribuições estudar, planejar, gerir, integrar, fiscalizar e controlar os transportes individuais e coletivos no município de São Paulo.

Mas em uma postagem em redes sociais, o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, sem mostrou insatisfeito com a postura da prefeitura.

Primeiro quero esclarecer que a Constituição Federal prevê que as Prefeituras no Brasil tem a prerrogativa das políticas públicas do transporte público. Buscamos diálogo nestas medidas, demonstramos a importância de cada operação aos gestores municipais, mas não fomos atendidos.” – escreveu Baldy.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Geciene disse:

    linha 564 Morro Doce/Santana de Parnaiba , os trabalhadores vão a pé até a Rodoviária Anhanguera , pegar os ônibus que vem da Lapa todos os dias, sendo que nos horários de pico os ônibus da linha 564 Morro Doce /Santana de Parnaiba saem lotados.
    Pelo menos onibus extra nos horários de pico pra os que trabalham naquela região.
    Liguei várias vezes, falei no setor de informação da empresa e até agora nada foi resolvido.

Deixe uma resposta