Motoristas da Sou Indaiatuba são dispensados e assinam aviso prévio de 30 dias

Motivo apresentado para demissão é que contrato emergencial se encerra em 9 de fevereiro

JESSICA MARQUES / ADAMO BAZANI

Os motoristas da Sou Indaiatuba, da Sancetur Santa Cecília Turismo Ltda, foram dispensados e assinaram um aviso prévio nesta sexta-feira, 18 de janeiro de 2019. A empresa é responsável pelo transporte coletivo de Indaiatuba, no interior de São Paulo.

No aviso prévio, a empresa informa que, contando 30 dias a partir da assinatura, os serviços dos funcionários não serão mais necessários. A justificativa apresentada é que o contrato emergencial de transporte público com a Prefeitura de Indaiatuba se encerra em 9 de fevereiro.

Confira o conteúdo do documento assinado pelos motoristas, conforme publicado pelo portal regional Comando Notícia:

aasf.jpg

O aviso também informa para os funcionários que todos devem comparecer para acerto de contas no dia 27 de fevereiro.

LICITAÇÃO

A Prefeitura de Indaiatuba já reabriu a licitação dos serviços de transportes coletivos. As propostas devem ser entregues no dia 23 de janeiro de 2019 no Departamento de Licitações da cidade.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/12/28/indaiatuba-reabre-licitacao-do-transporte-coletivo/

A concorrência estava suspensa desde julho por causa de representações e impugnação contra o edital, como mostrou o Diário do Transporte na ocasião.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/07/23/suspenso-o-edital-de-licitacao-do-transporte-coletivo-em-indaiatuba/

O contrato, de acordo com o edital, será de 15 anos, podendo ser renovado por mais 15.

O valor do contrato por 15 anos é de R$ 35,45 milhões, com uma TIR – Taxa Interna de Retorno de 9,85%, a mesma taxa estipulada na licitação da capital paulista, cujo contrato por 20 anos será de R$ 71 bilhões.

HISTÓRICO:

Atualmente, os serviços são prestados pela empresa Sancetur por meio de um contrato provisório.

No dia 31 de janeiro de 2018, a administração decretou a caducidade do contrato com a empresa Citi – Companhia de Transportes de Indaiatuba, cuja razão social é Viação Rápido Sumaré.

Segundo a prefeitura, a Rápido Sumaré descumpriu uma série de cláusulas, como operação de ônibus antigos, má conservação da frota, atrasos e quebras constantes. O poder público ainda diz que somente em multas, a Rápido Sumaré deve mais de R$ 1,6 milhão. Deste total, R$ 842,5 mil são correspondentes a multas cujos recursos foram negados e estão na dívida ativa.

A empresa na ocasião negou os valores dos débitos e afirmou que não houve descumprimento de cláusulas contratuais.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/01/31/prefeitura-de-indaiatuba-decreta-caducidade-do-contrato-com-empresa-de-onibus/

A Rápido Sumaré recorreu na justiça, no dia 09 de fevereiro conseguiu derrubar a caducidade, mas no dia seguinte, a prefeitura derrubou a liminar.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/09/justica-derruba-caducidade-de-contrato-da-rapido-sumare-que-continua-a-operar-em-indaiatuba/

e

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/10/prefeitura-de-indaiatuba-derruba-liminar-que-mantinha-a-rapido-sumare-operando-na-cidade/

A Sancetur – Santa Cecília Turismo Ltda começou a operar no dia  11 de fevereiro de 2018.

Alguns ônibus da Citi/Rápido Sumaré foram colocados pela empresa para circular no dia, mas acabaram sendo apreendidos.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/11/sancetur-comeca-a-circular-em-indaiatuba-e-rapido-sumare-tem-onibus-apreendidos/

Uma das polêmicas envolvendo o contato com a Sancetur foi o pagamento de subsídios pela prestação de serviços.

O Tribunal de Justiça decidiu em outubro proibir o pagamento de subsídio à Sancetur segundo determina lei municipal proposta pela prefeitura.

Após o Tribunal de Contas do Estado (TCE) suspender o Edital nº 114/18 para a concessão do serviço de transporte público do município, em julho deste ano, a prefeitura decidiu renovar o contrato emergencial com a empresa Sancetur – Santa Cecília Turismo Ltda por mais 180 dias.

O edital, lançado no dia 19 de junho de 2018, previa o dia 23 de julho passado como data para a abertura dos envelopes.

A Sancetur já vinha prestando serviços desde 11 de fevereiro de 2018, por um contrato também emergencial de seis meses, que venceria no dia 10 de agosto.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/10/11/justica-impede-prefeitura-de-indaiatuba-de-pagar-subsidio-para-a-sancetur/

No dia 29 de novembro, a Câmara aprovou o pagamento de subsídios pelas operações dos serviços da empresa que vencer a licitação.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/11/29/camara-municipal-de-indaiatuba-aprova-subsidio-para-transporte-coletivo/

Os motoristas da Sou Indaiatuba, da Sancetur Santa Cecília Turismo Ltda, foram dispensados e assinaram um aviso prévio nesta sexta-feira, 18 de janeiro de 2019.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Como é difícil ser empresário e trabalhador no Barsil; pra mim empresário é um HERÓI.

    Tudo por causa do um zilhão de leis que o Barsil tem, que geram a BURROCRACIA, dificuldades, ineficiência, prejuízo aos empresários e trabalhadores, inibem o desenvolvimento e etc.

    E o pior causa desemprego.

    ACORDA BARSIL, LEVANTA DO BERÇO EXPLENDIDO e eliminem esse zilhão de leis, para DESBURROCRATIZAREM o Barsil.

    Espero que a assessoria da Presidência da República e do Ministério da Economia leiam este comentário para ver se algo deslancha.

    A fala do Ministro da Economia está correta, porém tenho minhas dúvidas, se com esse zilhão de leis ele consiga fazer o que tem de ser feito, principalmente com relação ao INSS e ao desperdício do dinheiro do contribuinte.

    Att,

    Paulo Gil

  2. WILLIAM DE JESUS SANTOS disse:

    Adamo agora fiquei na dúvida . A SOU vai deixar de operar na cidade ou vai tentar ganhar a licitação? Tá parecendo uma manobra da empresa essas demissões

  3. Elizeu disse:

    E quanto a indaiatubana??? Kde o reembolso dos vales transporte dos cartões acumulados que ficaram de ressarcir?? Agora sai a Sou e quem tiver cúmulo de vale transporte nos cartões ficam novamente a ver navios??? PALHAÇADA!!

Deixe uma resposta