Prefeitura de Indaiatuba decreta caducidade do contrato com empresa de ônibus

Empresa não pode vender mais créditos novos

Empresa Rápido Sumaré (CITI) só vai operar até o dia 09 de fevereiro

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Indaiatuba, no interior de São Paulo, publicou nesta quarta-feira, 31 de janeiro de 20189, o decreto de caducidade do contrato com a empresa Citi – Companhia de Transportes de Indaiatuba, cuja razão social é Viação Rápido Sumaré, responsável pela operação das linhas municipais.

O novo decreto foi possível após o poder público conseguir derrubar na Justiça liminar que mantinha as operações da empresa do grupo de Belarmino de Ascenção Marta e que tinha conseguido suspender o processo de caducidade aberto no ano passado.

No lugar, no dia 10 de fevereiro, deve assumir integralmente a operação a SanceTur – Santa Cecília Turismo Ltda, contratada emergencialmente em outubro do ano passado, mas que não pode assumir devido à liminar de novembro.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/11/01/justica-barra-retirada-de-rapido-sumare-de-indaiatuba/

Segundo a prefeitura, a Rápido Sumaré descumpriu uma série de cláusulas, como operação de ônibus antigos, má conservação da frota, atrasos e quebras constantes. O poder público ainda diz que somente em multas, a Rápido Sumaré deve mais de R$ 1,6 milhão. Deste total, R$ 842,5 mil são correspondentes a multas cujos recursos foram negados e estão na dívida ativa.

A empresa nega os valores dos débitos e diz que não houve descumprimento de cláusulas contratuais.

A companhia pode recorrer da derrubada da liminar.

O grupo de Belarmino de Ascenção Marta, que na capital paulista é dono da Sambaíba, assumiu em 2016 a Indaiatubana, que pertencia a Ronan Maria Pinto, empresário que tem base operacional no ABC Paulista e é dono do jornal local Diário do Grande ABC. Ronan, que foi preso em 2016 na Operação Lava Jato, foi condenado em segunda instância instância em 2017 pela Justiça de São Paulo por um esquema de corrupção envolvendo os transportes na cidade de Santo André e, em 2016, pelo juiz Sérgio Moro por lavagem de dinheiro. O empresário nega os crimes e recorre. Ronan também teve prisão decretada pela condenação em segunda instância sobre o esquema de corrupção. Mas um dia antes da decisão, o empresário se internou num hospital de alto padrão da capital paulista, dizendo que precisava fazer uma cirurgia. Até a realização do procedimento médico, a defesa de Ronan aproveitou o tempo, recorreu, conseguiu a possibilidade de o empresário responder em liberdade e o dono dos ônibus de Santo André e do Diário do Grande ABC não foi para a cadeia por causa da corrupção.

Segundo o Ministério Público do Estado de São Paulo, este esquema de corrupção teria sido o motivo do assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, em janeiro de 2002, mas Ronan não foi acusado por este homicídio.

Na ocasião da compra da Indaiatuba pelo Grupo VB, de Belarmino, em setembro de 2016, a prefeitura esperava melhorar os serviços na cidade, já que a empresa de Ronan não satisfazia a população, de acordo com o poder público. Os serviços começaram com contrato emergencial.

A concessão com a Citi-Rápido Sumaré teve início no dia 7 de abril de 2017.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

3 comentários em Prefeitura de Indaiatuba decreta caducidade do contrato com empresa de ônibus

  1. Amigos, boa noite.

    Mais uma prova cabal de que o procedimento de contratação ou concessão do serviço do buzão do Barsil é inviável.

    Todo dia tem bolôlô.

    Agora caducou.

    Circo ou hospício ??

    Nenhum nem outro.

    Parque de Diversão Barsil, brincando de administrar.

    É muita lei, o que torna a prática inexequível.

    PREVISIVELLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

    Att,

    Paulo Gil

  2. Como que iria melhorar se o diretor das empresas do seu Ronan que prestava um mau serviço na cidade de Indaiatuba foi contrato pelos belarminos; ou seja não teria como melhorar os serviço se a mesma gestão aff

  3. O melhor é ver os ônibus pintados com as cores de Guarulhos este amarelo é da atual e campos dos ouros !!! Os busão velho indo pra outras cidades como se fosse novos!

1 Trackback / Pingback

  1. Rápido Sumaré recorre de caducidade de contrato e Justiça manda apreender ônibus usados pela Princesa Tecelã – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: