Prefeitura de Indaiatuba derruba liminar que mantinha a Rápido Sumaré operando na cidade

Publicado em: 10 de fevereiro de 2018

Foto: Matheus Rodrigues Lucas (Ônibus Brasil)

Com a decisão, a empresa Sancetur/SOU Indaiatuba assume o transporte municipal já neste domingo, dia 11

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Indaiatuba conseguiu derrubar a liminar concedida à Rápido Sumaré, que permitia à empresa continuar operando o sistema de transporte público de Indaiatuba.

A decisão permite que a empresa Sancetur/SOU Indaiatuba possa assumir o transporte já neste domingo, dia 11.

A revogação da liminar foi decidida pelo desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, José Orestes de Souza Nery.

Nesta sexta-feira, 09 de fevereiro de 2018, a Citi – Indaiatuba/Viação Rápido Sumaré conseguira suspender os efeitos de um decreto da prefeitura que declarava caducidade no contrato de prestação de serviços. A decisão foi do juiz Thiago Mendes Leite do Canto, da 3ª Vara Cívil de Indaiatuba.

O cadastramento do cartão de transporte da Sancetur, que estava programado para este sábado e domingo, acabou suspenso por causa da liminar. Agora, ele será retomado neste domingo, dia 11 de fevereiro.

A queda de braço entre a administração municipal e a Rápido Sumaré, do grupo do empresário Belarmino de Ascenção Marta, se arrasta desde o ano passado, quando em outubro, pela primeira vez, a prefeitura decretou a caducidade do contrato, alegando má prestação de serviço pela Rápido Sumaré, que assumiu as operações em 2016 da Viação Guaianazes de Transportes LTDA. A Guaianazes também recebia críticas da prefeitura, na ocasião, de má prestação de serviços.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. André disse:

    Indaiatuba dando um passo a frente para resolver o problema do transporte coletivo. Logo Americana também resolve. Agora, aqui em são carlos (em letras minúsculas porque essa cidade é um lixo) a coisa parece não ter fim; agora vão ressuscitar os ônibus de 30 anos atrás (da antiga athenas paulista) para tentar maquilar a situação caótica do transporte aqui na cidade. A administração se acomoda, junto com vereadores, junto com MP, junto com Promotoria, junto com aqueles que poderiam se movimentar para ajudar a população. Pensem em uma cidade, onde ninguém faz absolutamente nada!!!!! Onde não existe ninguém que possa fazer algo pela população. Onde a prefeitura não acata as poucas decisões da justiça etc? Essa cidade é são carlos. (com letras minúsculas – a cara escarrada do brasil.)

Deixe uma resposta