Frota reduzida de ônibus, rodízio suspenso em São Paulo, bloqueio em vias urbanas e rodovias. Acompanhe em tempo real o 4º dia de greve dos caminhoneiros

Ônibus da capital paulista abasteceram em postos comuns na madrugada de quinta-feira. Clique na foto para ampliar – Reprodução Redes Sociais

Os transportes coletivos são afetados em grande parte do país nesta quinta-feira, 24 de maio de 2018 , devido ao quarto dia de paralisação dos caminhoneiros contra os altos preços do diesel.

A SPTrans – São Paulo Transporte informou há pouco que a frota de ônibus em operação na faixa das 14h na capital paulista era de 79%. No início da manhã, o índice chegou a 97%. As empresas estão autorizadas a operar com 60% dos ônibus que seriam habitualmente escalados em cada faixa horária.

Na faixa das 17h00, a frota de ônibus da cidade de São Paulo subiu para 85%, de acordo com a SPTrans. A tendência é que as empresas reforcem a operação no horário de pico, mas sem frota total, havendo uma redução na parte da noite.

No início das operações, entretanto, quase todas empresas colocaram a quantidade habitual de ônibus nas ruas. Segundo a SPTrans, 96% da frota da capital paulista estava em operação até 06h30. Na faixa das 07h, a frota em São Paulo subiu para 97%. Na faixa das 07h30, o índice de frota de ônibus da capital paulista, segundo a SPTrans, se manteve em 97%.

A SPTrans também confirmou que os ônibus na capital paulista podem circular com uma frota 40% menor do que o normal. A autorização foi reafirmada na manhã de hoje para a redução no entrepico.

As empresas da zona norte Norte Buss e Spencer Transportes enfrentam as maiores dificuldades com índices abaixo deste esperado a lotação nos pontos de ônibus é maior.

As companhias de ônibus que podem ser mais afetadas são as seguintes:

Zona Norte: Norte Buss (atende Cachoeirinha/Pirituba/Perus/Morro Doce), Zona Leste (atendem São Miguel Pta/Cidade AE Carvalho/Ponte Rasa/Cidade Patriarca/Guaianases): Qualibus, Transunião, Express, Pêssego, Via Sul, Imperial;  Zona Sul (atendem Varginha/Grajau/Parelheiros): A2, Gatusa, Transkuba, Transwolff, Zona Oeste:  (Atende Morumbi/Butantã),  Alfa Rodobus.

Na Zona Sul de São Paulo, apenas a linha 6042/22 – Jardim Vaz de Lima opera no Terminal Capelinha, que paralisou as operações. No local, operam ao todo 33 linhas, que estão circulando com horário reduzido.

O metrô informou que não tem condições de ampliar a frota em operação porque já tem nos horários de pico habitualmente a quantidade de trens plena em serviço.

O rodízio municipal de veículos, por determinação da prefeitura, foi suspenso nesta quinta-feira, 24 de maio.

GRANDE SÃO PAULO:

Protesto caminhões (1)

Paralisação de caminhoneiros no Rodoanel.

A redução de frota confirmada pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, na grande São Paulo, em Guarulhos. De acordo com agenciadora, 60% da frota da Vila Galvão estão em operação e 80% da empresa Atual.

Por volta das 9h30, a EMTU comunicou que na Região Metropolitana de São Paulo, a operação conta com praticamente 100 por cento da frota, exceto nas linhas que circulam em Guarulhos.

“A empresa Vila Galvão está operando com 60 por cento da frota. Ela é a segunda maior empresa da região, opera 27 linhas, com 200 ônibus, e transporta por dia 65 mil passageiros. A Empresa Viação Atual, que também circula em Guarulhos, está com 80 por cento da frota em operação. É responsável por seis linhas com 40 veículos e transporta por dia 10 mil passageiros.”

As linhas da Viação Miracatiba que circulam na Rodovia Régis Bittencourt (BR 116) foram paralisadas devido a bloqueio dos caminhoneiros na altura do km 280.

No ABC Paulista, empresas como EAOSA (Mauá), Vipe – Viação Padre Eustáquio, Santa Paula e Tucuruvi (São Caetano do Sul), Viação Ribeirão Pires (Ribeirão Pires), Rigras (Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra),  dizem que até o momento a circulação de ônibus é normal, mas há risco de falta de diesel a partir de amanhã.

Em Santo André, a SATrans, informou que as empresas Guaianazes, Curuçá, ETURSA, Parque das Nações e Vaz, vão operar com 65% da frota programada na sexta-feira, sábado (26) e domingo (27). As empresas Suzantur e Urbana vão operar normalmente nos três dias.

A Suzantur de Mauá de reduziu frota para contingenciamento por volta de 16h30. Segundo o proprietário, Claudinei Brogliato, Santo André e São Carlos ainda continuam com frota normal.

No entre-pico, a Metra reduziu a frota de ônibus diesel no Corredor ABD e compensa onde é possível com alguns trólebus, mas não integralmente.

A SBCTrans, empresa responsável pelo transporte municipal de passageiros de São Bernardo do Campo, informou que a circulação dos ônibus está sendo reduzida nesta quinta nos horários de menor demanda. O mesmo ocorre na sexta-feira.

“Como não podemos prever quando o abastecimento será normalizado, preferimos nos antecipar e garantir nesta semana aos clientes e usuários o padrão de qualidade dos serviços nos horários mais importantes e de maior demanda” – disse Milena Braga Romano, diretora executiva da SBCTrans, em nota enviada ao Diário do Transporte.

Na Viação Riacho Grande, empresa de ônibus intermunicipais que circulam entre a Capital e o ABC Paulista, a frota foi reduzida em 10%, de acordo com informações da empresa.

Em Diadema, a frota de ônibus municipais vai circular com redução de veículos fora dos horários de pico (manhã e tarde), segundo informações da Prefeitura.

Todos os trens, tanto do Metrô quanto da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), estão operando com toda a capacidade no entrepico. Entre 9h e 17h, os intervalos serão equivalentes aos horários de pico.

RIO DE JANEIRO:

Na cidade do Rio de Janeiro, dos 440 veículos da frota do BRT, apenas 187 ônibus circulam nos corredores Transoeste e Transcarioca. As estações do BRT que ficam entre o Fundão e Madureira (Zona Norte), e no eixo da Av. Cesário de Melo, em Campo Grande (Zona Oeste), estão fechadas. Ao todo foram 39 estações fechadas nesses dois trechos. O sistema tem 135 ao todo.

O Rio Ônibus, sindicato das empresas de transporte público do Rio de Janeiro, alertou sobre o risco de paralisação total do sistema de ônibus municipais. Para voltar para casa nesta quinta-feira, 24 de maio de 2018, os passageiros já enfrentam dificuldades. Até o meio da tarde, apenas 57% da frota estava circulando na cidade.

A Fetranspor, federação que representa as empresas de ônibus do Estado diz que a estimativa de algumas empresas operarem com apenas 30% da frota.

Na região dos Lagos, o Grupo Salinera, que faz o transporte público da região, opera com 70% da frota. Viação 1001 informou que poderá cancelar alguns horários.

Em Macaé, a redução de horário de circulação dos ônibus foi de 20%.

Nota do RIO ÔNIBUS (10h:35):

O Rio Ônibus informa que, em razão da interrupção do abastecimento de óleo diesel em todo o estado do Rio de Janeiro, o sistema de transporte rodoviário de passageiros opera, na manhã desta quinta-feira, 24/5, com 67% do total da frota. Com as manifestações que vêm sendo promovidas em todo o país pelo setor de transporte de cargas contra a política de preços de combustíveis adotada pela Petrobras, as empresas de ônibus estão sob o risco iminente de falta total de combustível.
As empresas consorciadas estão empenhando todos os esforços para que a população não seja prejudicada, chegando até a abastecer os coletivos em postos de gasolina comuns, em muitos casos, mesmo com o preço do óleo diesel superior ao habitual. Ontem, apesar do grave cenário de desabastecimento de combustível na cidade, cerca de 80% da frota estava nas ruas.
Caso a situação não seja normalizada o mais brevemente possível, há risco de paralisação total do sistema.

INTERIOR DE SÃO PAULO:

Em Campinas, no interior de São Paulo, a Emdec, empresa da prefeitura que administra o sistema de transportes informou que 40% da frota não estavam circulando pela manhã.

No período da tarde, pelo risco de falta de diesel nas garagens que não conseguiram repor os estoques, e, segundo o diretor de comunicação do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros da Região Metropolitana de Campinas – SetCamp, Paulo Bardal, a frota em operação foi reduzida de 60% para 50%. “É a única maneira de conseguirmos operar os transportes em Campinas hoje e amanhã. É longe do ideal, mas se a greve dos caminhoneiros não acabar logo, a situação a partir do final de semana vai piorar ainda mais” – disse ao Diário do Transporte

Em Taubaté, no interior paulista, a ABC Transportes disse que precisou reduzir a frota de ônibus.

Também há reduções de frota em Itu e Votorantim, no interior de São Paulo.

Em Itapetininga, as linhas dos bairros Gramadinho e Retiro voltaram a funcionar nesta quinta-feira. A circulação havia sido interrompida por conta do protesto dos caminhoneiros que paralisou a rodovia Raposo Tavares. A empresa Nossa Senhora Aparecida informou que o reservatório de combustível da garagem está vazio, mas os ônibus estão abastecidos, porque foram levados aos postos de combustíveis da cidade.

A EMTU informou por volta das 09h30 que as regiões de SorocabaVale do Paraíba e Litoral Norte contam com 70 por cento da frota nesta quinta-feira.

Em Piracicaba, a Via Ágil, que opera o transporte público municipal informa ter recebido na tarde de ontem (23) um caminhão de combustível. A frota opera normalmente, mas já se estuda a possibilidade de um planejamento diferenciado para as próximas horas caso a situação não se normalize.

LITORAL DE SÃO PAULO: 

No Litoral Paulista, a EMTU informou que as linhas metropolitanas do Consórcio BR Mobilidade operam com 100 por cento da frota nas ruas.

No Guarujá, o horário dos ônibus está seguindo o cronograma estipulado para domingos e feriados. A partir dessa quinta, a redução da frota é de aproximadamente 40%, das 6h às 20h. Das 20h às 6h, será adotado o esquema da madrugada, com apenas quatro linhas funcionando (26, 33, 38 e 55).

A Prefeitura informou, em nota, que os passageiros podem verificar os horários no site da concessionária de transporte municipal, Translitoral, clicando no link Ônibus Fácil.

PARANÁ:

Foto divulgada pelo prefeito de Curitiba, Rafael Greca, com carros da Guara Municipal escoltando caminhões de diesel até as garagens de ônibus.

Os ônibus em Curitiba operaram normalmente na manhã desta quinta-feira, 24, de acordo com a gerenciadora do sistema municipal Urbs.

O mesmo ocorre com os ônibus da Região Metropolitana de Curitiba gerenciados pela Comec.
Há atrasos pontuais por causa de trânsito e bloqueios por manifestações.

Em uma rede social, o prefeito de Curitiba, Rafael Greca, disse que forças de segurança escoltaram na madrugada carretas para levar diesel aos ônibus. “Tivemos sucesso na operação da Guarda Municipal e da Polícia Militar, com apoio da Polícia Rodoviária Federal, coordenada pela nossa Secretaria de Defesa Social e pela Secretaria de Segurança do Governo do Paraná. … 10 caminhões tanque, de 30 mil litros cada um, foram escoltados desde os depósitos de diesel até as garagens. Está garantido o abastecimento dos 1275 ônibus que servem Curitiba, os 650 ônibus que servem a Região Metropolitana, as ambulância SUS curitibano, SAMU e SIATE e as viaturas da Polícia Militar e Guarda Municipal”.

A Leblon Transporte de Passageiros, que opera entre as cidades de Curitiba e Fazenda Rio Grande, informou por volta de 16h30 que uma manifestação bloqueia as ruas João Negrão e Brasil Itiberê, em Curitiba, e também frente ao “material de construção Santos”, sentido Fazenda Rio Grande há bloqueios. Estão sendo desviadas as linhas: F01, F02, F03 e F05. O acesso pelo Umbará também foi bloqueado.

A Linha Verde, em Curitiba, foi fechada por volta das 17h por manifestantes, na entrada da faculdade que fica em frente ao Terminal Pinheirinho. Estão sendo prejudicadas linhas municipais de Curitiba e as metropolitanas F03-Fazenda Direto e F01-Fazenda Pinheirinho, entre Curitiba e Fazenda Rio Grande, da Leblon Transporte de Passageiros.

SANTA CATARINA:

Em Blumenau, a prefeitura informou que, para não haver total paralisação dos ônibus, o sistema de transportes vai ter interrupções nos seguintes dias e horários devido à falta de diesel

Quinta-feira, 24 de maio

15h às 16h30
19h às 21h30

Sexta-feira, 25 de maio

4h30 às 6h
8h às 11h
14h às 17h
19h às 21h30
Operação encerra às 22h45

Sábado, 26 de maio

4h30 às 6h
Operação encerra às 13h30

Domingo, 27 de maio

Não haverá transporte coletivo

Segunda, 28 de maio

4h30 às 6h
8h às 11h
14h às 17h
19h às 21h30
Operação encerra às 22h45

RIO GRANDE DO SUL:

Em Porto Alegre os ônibus circulam em regime emergencial. Na capital operação normal apenas nos horários de pico – até as 8h30min da manhã e à tarde, das 17h às 19h30min. Nos demais horários linhas funcionarão de hora em hora. Na região metropolitana ônibus circularão com horários de sábado nas faixas de menor movimento.

Em Santa Cruz do Sul, o Consórcio TCS pretende reduzir linhas de ônibus a partir de sexta-feira.

MINAS GERAIS:

Em Belo Horizonte a BHTrans, gerenciadora do transporte municipal, autorizou a redução pela metade das viagens fora dos horários de pico – das 9h às 16h e das 20h às 0h00. A Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), responsável pelo metrô, foi notificada para que possa aumentar a oferta de trens.

Contagem, Região Metropolitana de BH, apenas metade da frota opera nos horários entre pico.

Betim, também na Grande BH, transporte público cumpre horários de pico até 8h. No decorrer do dia, previsão é que as linhas vão circular com horário de sábado.

Viçosa, na Zona da Mata mineira, Viação União informou que fará cortes nos horários de reforço de todas as linhas. Quadro se repete em Muriaé e Manhuaçu, municípios da Zona da Mata.

Em Juiz de Fora o dia começou com circulação normal dos ônibus, situação mantida até 9h e que será retomada das 16h às 20h. Nos demais horários haverá racionalização da frota  – das 9h às 16h e a partir das 20h até o final da operação.

A Transporte Cisne, em Itabira, reduziu a oferta de ônibus, principalmente das 9h às 11h30, das 13h30 às 16h30 e das 20h até o fim da operação.

A maioria dos municípios do Vale do Aço reduziu as frotas de ônibus. Em Ipatinga a Univale, concessionária do transporte público municipal, reduziu a circulação dos ônibus em 25%. Já a viação Presidente, que faz linha entre Ipatinga e Belo Horizonte, também informou que reduziu a circulação dos ônibus, sem dizer, no entanto, em qual percentual.

PARAÍBA:

Em Campina Grande, a redução da frota de ônibus chega a 40%.

Em João Pessoa também há menos ônibus nas ruas.

PERNAMBUCO:

O Grande Recife Consórcio de Transportes informou que na manhã desta quinta-feira, 24 de maio de 2018, a frota do sistema da região metropolitana ficou de 10% a 30% menor que o habitual, dependendo da operadora.

Fora do horário de pico, foi autorizada uma redução de até 50% da frota, das 8h às 17h.

Em Caruaru, no Agreste Pernambucano, os ônibus continuam circulando com frota reduzida nesta quinta-feira.

Em Garanhuns, a maior empresa da cidade, a São Cristóvão, está operando com apenas 30% da frota. A viação conta com apenas 38 ônibus para 15 linhas da cidade.

ALAGOAS:

A Superintendência Municipal de Transporte e Trânsito – SMTT informou que a frota em circulação no início das operações está 10% menor em Maceió. Por causa das dificuldades de abastecimento de diesel, o percentual pode ser menor ainda durante o dia.

SERGIPE:

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito de Aracaju (SMTT) informa redução de 30% na frota de ônibus que fazem o transporte coletivo da capital.

TOCANTINS:

Na tarde desta quinta-feira, 24 de maio de 2018, 10 ônibus serão retirados de circulação da frota de Palmas. Segundo a Seturb, a linha mais afetada será a 010.

MATO GROSSO:

Os ônibus do transporte coletivo da baixada, em Cuiabá, deve parar a partir do meio-dia desta sexta-feira, 25. Segundo a AMTU (Associação Mato-grossense dos Transportadores Urbanos), a situação será discutida com a Secretaria de Mobilidade Urbana do Município.

RIO GRANDE DO NORTE:

A Secretaria de Mobilidade Urbana de Natal determinou a redução da frota em 30% a partir desta sexta-feira, 25, até que a situação volte à normalidade.

PROTESTOS:

Há bloqueio de caminhoneiros em ao menos 40 cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Minas Gerais e Espírito Santo, no início da manhã desta quinta-feira, 24.

São Paulo: bloqueios em ao menos cinco pontos Régis Bittencourt, com protestos no sentido Paraná dos quilômetros 382 ao 386 (Miracatu), 277 ao 280 (Embu das Artes) e do 474 ao 477 (Jacupiranga). Sentido São Paulo há bloqueios do km 283 ao 280 (Embu das Artes) e do 478 ao 477 (Jacupiranga).

Rodovia Presidente Dutra: bloqueios no km 186 (Santa Isabel); nos km 158, 159, 162 e 166 (Jacareí), km 154 (São José dos Campos), km 130 (Caçapava), km 92 e km 101 (Pindamonhangaba), km 52 (Lorena).

Rodoanel, trecho entre Imigrantes e Anchieta, por volta das 6h apenas uma faixa estava liberada nos dois sentidos. Às 6h30, pista sentido litoral da Imigrantes tinha três faixas bloqueadas com barricada de fogo.

Motofretistas, caminhoneiros e agora motoristas de ônibus e vans fretados fazem uma manifestação neste momento (14h00) na Marginal Pinheiros, sentido Interlagos. O grupo agora próximo a Ponte Estaiada. O congestionamento já começa na região da ponte do Jaguaré.

Rio de Janeiro: Sete pontos de manifestação nas estradas. Na rodovia Dutra há bloqueios no km 204 (Seropédica), km 267 e km 276 (Barra Mansa).

Em Niterói, motoristas de vans da linha Alcântara/Niterói saíram em carreata em apoio à greve dos caminhoneiros na tarde desta quinta-feira.

Paraná: Na Régis Bittencourt protesto ocorre na pista sentido São Paulo do km 70 ao 67 (Campina Grande do Sul).

Minas Gerais: 16 pontos de bloqueios na rodovia Fernão Dias, com protestos nas cidades de Carmópolis de Minas, Perdões, Extrema, Betim, São Joaquim de Bicas, Igarapé, Perdões, Lavras, Carmo da Cachoeira, São Gonçalo do Sapucaí e Pouso Alegre.

Espírito Santo: bloqueios na rodovia BR-101, nas cidades de Sooretama, Bebedouro, Linhares, João Neiva, Aracruz, Ibiraçu, Serra, Cariacica, Viana, Iconha e Itapemirim. Na BR-262, bloqueios em Ibatiba, Pedra Azul e Domingos Martins. Protestos também na BR-259, cidades de Colatina e Baixo Guandu; e na BR-447, em Vila Velha.

 

REDUÇÃO DE PREÇO DO DIESEL:

Ontem à noite o presidente da Petrobrás, Pedro Parente, anunciou a redução, a partir desta quinta-feira, de 10% no preço do diesel nas refinarias. A medida vale por 15 dias e tem um impacto entre R$ 0,23 e R$ 0,25.

A medida foi considerada insuficiente para os caminhoneiros, já que Parente disse que a política de flutuação de preços atrelados à cotação internacional do petróleo vai continuar.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/05/23/urgente-petrobras-reduz-em-10-preco-do-diesel-nas-refinarias/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários