Prefeitura do Rio de Janeiro homologa Guanabara Diesel e Marcopolo para fornecer ônibus articulados para o BRT

Nem todos os lotes tiveram propostas e licitação deve ser relançada; Somente a Guanabara vai receber mais de R$ 200 milhões

ADAMO BAZANI

A prefeitura do Rio de Janeiro publicou nesta segunda-feira, 25 de abril de 2022, a homologação do resultado da licitação para a compra de 120 ônibus articulados pelo poder público para o sistema de corredores rápidos BRT (Bus Rapid Transit).

As vencedoras são a Guanabara Diesel, controlada pela família de Jacob Barata Filho, o maior operador de ônibus do Estado do Rio de Janeiro e representante da Mercedes-Benz, e a Marcopolo, encarroçadora.

Os veículos devem ser fornecidos até março de 2023. Fabricantes de chassis, revendedores e fabricantes de carrocerias se uniram para dar os lances de ônibus já montados. Mas as propostas foram oferecidas pelas “cabeças” desses acordos.

De acordo com a publicação oficial, a Guanabara Diesel receberá da gestão Eduardo Paes para entregar 20 ônibus, R$ 42,2 milhões.

Já a Marcopolo teve contratos firmados que somam R$ 167 milhões para 100 ônibus

Sobre os 71 ônibus padrons ofertados pela Volkswagen, ainda está em andamento o processo de homologação.

Como mostrou o Diário do Transporte, em 13 de abril de 2022, a prefeitura do Rio de Janeiro abriu, pela segunda vez, uma concorrência para encontrar no mercado fabricantes que forneçam ônibus novos para o BRT, controlado pelo poder público.

A licitação foi dividida em lotes, sendo que houve propostas para 191 de 391 ônibus a serem fornecidos.

Deve ser lançada uma nova disputa para estes coletivos restantes.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/04/13/licitacao-de-391-onibus-pelo-brt-rio-teve-ofertas-para-apenas-191-veiculos/

HISTÓRICO:

A prefeitura do Rio de Janeiro é responsável pelas operações do BRT.

Em 03 de março de 2021, o prefeito Eduardo Paes decretou intervenção do poder público no BRT por seis meses devido a problemas na prestação de serviços pelos concessionários.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/03/03/paes-anuncia-intervencao-no-brt-do-rio-e-bilhetagem-nova-licitacao-sera-feita/

Já em 18 de setembro de 2021, Paes prorrogou a intervenção por mais seis meses.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/09/18/eduardo-paes-prorroga-por-mais-seis-meses-intervencao-no-brt-rio/

O segundo período de intervenção duraria até março de 2022, mas julgando que os problemas não tinham sido resolvidos e que os consórcios operadores não teriam mais condições de reassumir, a gestão Paes decretou em 17 de fevereiro de 2022 a anulação dos contratos com as empresas de ônibus, sendo a prefeitura responsável pelo sistema BRT.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/02/17/paes-decreta-caducidade-parcial-dos-contratos-do-brt-rio-requisita-frota-e-smtr-assume-bilhetagem-gestao-e-operacao-do-sistema/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. MARIO S CUSTODIO disse:

    Tenho comigo que não adianta ter BRT, VLT, etc., se não houver infraestrutura geral para operação, seja por parte do poder público seja do privado. É óbvio que não dará certo.

  2. carlos souza disse:

    E nem credibilidade nem legitimidade e muito menos legalidade,que o RJ e 99% do Universo nunca nem jamais tiveram nem terão.Só extinção mesmo pra MEHRDHY@ acabar de vez.

  3. ROBERTO disse:

    Licitação o qual foram habilitados as empresas do Jacob Barata.

  4. Adolfo Nobre disse:

    Parece piada, as vendas dos ônibus nas mãos do mafioso dos transportes públicos do Lixo de Janeiro????
    Não precisa nem comentar mais nada!!!!
    Votam em marginais, dá nisso!!!

  5. João Cruz rosinha disse:

    Mais uma vez Jacó Barata dominando o transporte no Rio de janeiro. dono da Guanabara Diesel

Deixe uma resposta