Vacinação de grupos prioritários só deve ser concluída em setembro, o que inclui profissionais de transportes, diz Ministro da Saúde

Ônibus urbanos em Osasco

São Paulo é ainda o único Estado brasileiro que definiu data para metroviários, ferroviários e motoristas e cobradores de ônibus serem imunizados contra a covd-19

ADAMO BAZANI

Anunciado incialmente para o mês de maio pelo ex-ministro da Saúde de Bolsonaro, o general Eduardo Pazuello, o fim da vacinação dos grupos prioritários contra a covid-19 deve ocorrer apenas em setembro.

O anúncio foi feito pelo atual ministro da Saúde, o quarto desde o início da pandemia, Marcelo Queiroga, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, 21 de abril de 2021.

Os grupos prioritários somam pouco mais de 77,2 milhões de pessoas, entre idosos, trabalhadores da Saúde, indígenas, quilombolas, quem sofre com doenças crônicas que podem ser agravadas pela covid-19 e categorias profissionais, como agentes de segurança, professores, metroviários, ferroviários, motoristas e cobradores de ônibus, entre outras.

Estes mais de 77 milhões de pessoas representam 36% da população.

O STF (Supremo Tribunal Federal) cobra do Governo Federal um cronograma detalhado da vacinação.

No dia 20 de abril de 2021, o ministro Ricardo Lewandowski, em ação movida pela Rede Sustentabilidade, determinou prazo de cinco dias para a gestão de Bolsonaro responder.

Na coletiva, Queiroga disse que a definição de datas dependerá das entregas pelas fabricantes.

“O calendário é sujeito às entregas. Primeiro, a Covax Facility, iniciativa da Organização Mundial da Saúde, que é referida com padrão de excelência. A Covax não nos entregou o que foi acordado. Há também uma carência de outros insumos, não é uma questão do Brasil, é uma questão mundial. Não ter atingido a meta se deve a esses aspectos, aos aspectos regulatórios. O Ministério da Saúde não vai colocar vacinas que não forem aprovadas pela Anvisa, é uma questão legal”, falou.

SÃO PAULO E BRASIL:

Apenas o Estado de São Paulo definiu datas para vacinação de trabalhadores de transportes.

Como mostrou o Diário do Transporte, na terça-feira (20), o governador João Doria anunciou que funcionários do Metrô e da CPTM (trens metropolitanos) serão imunizados a partir de 11 de maio e os motoristas e cobradores de ônibus municipais e intermunicipais a partir de 18 de maio.

https://diariodotransporte.com.br/2021/04/20/audio-motoristas-e-cobradores-de-onibus-serao-vacinados-contra-a-covid-19-a-partir-de-18-de-maio-diz-doria/

Pela lista do Governo Federal, motoristas de ônibus ocupam a posição de número 23 e ferroviários/metroviários a de 24, de um total de 29 grupos.

São 715 mil profissionais de transportes urbanos e metropolitanos em todo o País.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/03/24/governo-federal-estima-em-751-mil-o-total-de-profissionais-de-transporte-coletivo-a-serem-vacinados-contra-covid-19-mas-ainda-nao-define-data/

Assim, se confirmada a previsão de Queiroga, profissionais de transportes devem ser imunizados completamente perto de setembro porque estão entre os últimos grupos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta