Sindicatos ameaçam “lockdown” do transporte público em todo o Estado de São Paulo em abril por vacina

Trabalhadores dos transportes dizem temer contaminação

Motoristas de ônibus decidiram que podem parar no dia 20 de abril. Metroviários farão assembleia e também pedem vacinação

ADAMO BAZANI

Entidades sindicais ligadas aos trabalhadores em transportes ameaçam fazer uma paralisação geral no dia 20 de abril de 2021 em todo o Estado de São Paulo caso não haja a definição de um cronograma de vacinação dos profissionais.

Uma reunião entre as representações foi realizada nesta quinta-feira, 01º de abril de 2021, na sede do Sindmotoristas, que reúne os motoristas e cobradores da capital, com a participação de outros sindicatos.

O presidente do Sindmotoristas, José Valdevan de Jesus Santos, o Valdevan Noventa, disse ao Diário do Transporte que foi elaborado um documento que será entregue às autoridades de Saúde e do Executivo das cidades, Estado e Governo Federal.

“Vamos dar um prazo de 15 dias para a resposta. Se não houver nenhum retorno, o Estado de São Paulo não vai ter transporte em 20 de abril. Não é só com os ônibus de São Paulo, mas também os ônibus da Grande São Paulo, Litoral e Interior. Motoboys, caminhoneiros, motoristas de aplicativo e outros transportadores podem parar também” – disse Noventa.

De acordo com o sindicalista, “centenas” de rodoviários perderam a vida em todo o Estado e, mesmo estando entre os grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde, não há nenhuma definição concreta sobre cronogramas.

O diretor do Sindicato dos Metroviários de São Paulo, Wagner Fajardo, disse ao Diário do Transporte, que na próxima terça-feira, 06 de abril, haverá uma assembleia entre a categoria que deve decidir por aderir a uma paralisação geral dos transportes.

“A categoria dos profissionais de transportes precisa de vacinação o quanto antes. Temos informações de 20 metroviários que já morreram de covid-19, entre trabalhadores da ativa e aposentados somente das linhas de operação pública. Entre as linhas públicas e de operação privada, mais de 1,6 mil metroviários foram contaminados.” – explicou

A Federação Nacional dos Metroferroviários infirmou que conversa em sua diretoria para elaborar um ofício e nota, para encaminhar à Centrais Sindicais e aos Sindicatos filiados para para que seja organizada uma greve geral de fato. Ferroviários da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) também devem aderir.

Como mostrou o Diário do Transporte, o Ministério da Saúde calcula a existência de 751,5 mil (751.768) pessoas a serem vacinadas somente no sistemas de transportes, sendo  678,2 mil (678.264) funcionários de sistemas de ônibus e vans e 73,5 mil (73.504) metroviários e ferroviários.

Na lista de prioridades, os trabalhadores em transportes ocupam a posição 23 (ônibus) e 24 (trens e metro) de um total de 29 posições.

Ainda não há datas para a vacinação destes profissionais pelo País.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/03/24/governo-federal-estima-em-751-mil-o-total-de-profissionais-de-transporte-coletivo-a-serem-vacinados-contra-covid-19-mas-ainda-nao-define-data/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. ADRIANO SAMBAIBA disse:

    Estou de acordo com uma greve geral para todos do transporte público vacina já

  2. Valdir Dantas Palermo disse:

    Deve ser pegadinha de 1 de abril. Pois faz mais de um ano que estão descontando 1 hora de janta e não fizeram nada a respeito. Não acredito mais nesse sindicato. Valdir. ( Sta. Brígida)

  3. Márcia Costa Martins disse:

    Nada mais justo , esses transporte lotado e ninguém faz nada nem se toca no assunto, .

  4. CELSO KRAUSS disse:

    Hahaha, isso esta me cheirando subversão de politicas com intenções para mais uma vez extender o lockdown doque ajudar o trabalhador, porque só agora essa atitude? eles poderiam ter feito isso dentro do lockdown desse mes de março!! Esses sindicatos no fundo só pensam em acordos politicos que os beneficiem! Tudo é uma acordão com lucratividades por traz, o governo federal ja disponibilizou 35 milhões de vacinas, porque só chega 19milhões no povo? Essa é a pergunta que não quer calar!!! e mais a vez quem paga o pato é o povo, que alem de andar apertado corre do risco, ainda corre o risco de pegar a doença em casa ou perder o emprego por causa de paralisações! É uma vergonha esse pais, ninguém faz a sua parte corretamente, por isso o pais vai de mal a pior! o povo é egoista e nem um pouco participativo para o bem comum….Lamentavel.

    1. Marcio Marcio Antonio Marcelino disse:

      Verdade meu caro, pior quem inventa isso, enxerga mais do que a gente, aff viu, por isso que neste país, infelizmente por enquanto, até que prova o contrário, não tem jeito não.

    2. Peixoto disse:

      O povo não, más políticos sim, são egoísta ladrões assassinos de canetas, matando um povo
      sofrido, trabalhador,honesto e humilde.

  5. Marcio Marcio Antonio Marcelino disse:

    É cada uma viu, o usuário fica na muvuca é não é vacinado, agora os funcionários do metrô e cptm ficam distanciados e querem prioridade, e bem a cara dessa política brasileira

  6. Claudinei Gobi disse:

    Nada mais justo motorista cobradores metrô viários estamos na linha de frente pois carregamos milhares de pessoas contaminadas com o viros que fica ao nosso lado sem distanciamento seguro perdemos muitos amigos com covid aqui na St brígida e em momento algum paramos somos grupos de risco mas o governo estadual se preocupou com moradores de rua prisioneiros vagabundos menos motorista e cobradores metrô viários isso é são Paulo com um governo icopeteten

  7. Boa tarde, Nada mais justo, quantos motoristas e cobradores já faleceram, até alguns dias atrás 80 profissionais. As empresas de ónibus e metrô já deveriam ter paralisado as operações. Quem sabe o Dr. Milton Leite da prefeitura de São Paulo resolva esta situação.
    Atenciosamente,
    Alberto Santos Mattos

Deixe uma resposta