Linha 7-Rubi tem operação realizada parcialmente na noite desta terça (30)

Passageiros enfrentam trens lotados sem o distanciamento social mínimo devido problemas no atendimento e demora na comunicação. Foto: Leandro Carneiro/Reprodução Twitter

Interferência na via em razão da queda de uma árvore é a causa do transtorno

WILLIAN MOREIRA

Em razão da chuva forte que atinge várias partes da Grande São Paulo desde a tarde desta terça-feira, 30 de março de 2021, reflexos são percebidos no transporte público.

Na Linha 7-Rubi a circulação dos trens foi interrompida entre as estações Pirituba e Caieiras.

Segundo informações e relatos nas redes sociais, parte de uma árvore caiu em cima de um trem nas proximidades da estação Vila Aurora, impedindo a passagem.

Os ônibus do sistema PAESE foram acionados para atender o trecho afetado e assim permitir o complemento da viagem.

A CPTM demorou para avisar aos passageiros nos canais oficiais, o que gerou manifestações em redes sociais.

De acordo com nota da estatal, houve comunicação.

Por volta das 18h desta terça-feira (30/03), uma árvore caiu na via entre as estações Pirituba e Caieiras, na Linha 7-Rubi da CPTM, resultado das fortes chuvas. A circulação dos trens está interrompida no trecho e o sistema Paese foi acionado.

Os passageiros estão sendo avisados por meio de APs (Avisos aos Passageiros) nas estações e trens, aplicativo e redes sociais da companhia.

O incidente ocorreu por volta de 18h, de acordo com a nota da CPTM, mas no aplicativo e site oficial, a mensagem apareceu somente 19h05.

A vantagem de o passageiro ser avisado logo no início do problema pelos canais oficias é se programar.

Muitas vezes, o usuário pode mudar de horário de deslocamento ou mesmo optar por outra forma de transporte se tiver essa condição. Isso evita que mais passageiros se aglomerem nas estações e trens, algo que se torna mais grave ainda em uma pandemia.

OUTROS CASOS DE FALTA DE INFORMAÇÃO:

A importância de informação sobre as falhas é grande porque evita o agravamento do problema, uma vez que os passageiros podem ter o direito de se programar e de optar por meios de transportes que não estejam com defeito na prestação de serviços.

Muitos passageiros podem até mudar o horário de seu deslocamento ou optarem por metrô ou ônibus que fazem trajetos semelhantes a vários trechos cobertos pela CPTM.

Mas se o passageiro que tem estas opções não souber o que está acontecendo antes de ingressar no sistema, ele vai entrar na estação agravando ainda mais a lotação e o desconforto.

Diário do Transporte cita alguns exemplos em 2020 e início de 2021 (om pandemia cujo distanciamento social é indicado por autoridades de Saúde) em que houve falhas com grandes consequências na lotação e velocidade que a CPTM não informou em seu aplicativos e em seu site oficial de forma espontânea, mas sempre de forma reativa a manifestações de passageiros pelo Twitter.

Em 30 de março de 2021, Passageiros que utilizaram os trens da Linha 9-Esmeralda da CPTM que liga a cidade de Osasco até o Grajaú na Zona Sul de São Paulo, enfrentaram por horas  problemas no atendimento do serviço desde às 11h até o início da noite.

No aplicativo e no site da CPTM, nada, apesar das reclamações dos passageiros de demora, lotação e atraso.

Segundo a companhia, a interferência de via foi uma falha no sistema de sinalização que inicialmente afetou o trecho entre as estações Cidade Jardim e Ceasa e depois do início do trabalho das equipes de manutenção, o trecho afetado diminuiu para Pinheiros a Jaguaré.

Entretanto a companhia não explicou o motivo de não ter havido comunicação nos canais oficiais como site e aplicativo que são acompanhados por uma grande parcela dos usuários do transporte.

Veja a nota da CPTM na íntegra enviada ao Diário do Transporte após questionamento sobre problemas na circulação dos trens.

“Por volta das 11h desta terça-feira (30/03) houve uma falha de sinalização entre as estações Cidade Jardim e Ceasa, na Linha 9-Esmeralda da CPTM. Ás 14h20, a sinalização foi normalizada parcialmente e, no momento, os trens operam com velocidade reduzida entre as estações Jaguaré e Pinheiros, sem interferência no intervalo entre as composições.  As equipes de manutenção seguem atuando para normalizar totalmente a situação. A CPTM pede desculpas aos passageiros pelos transtornos.”

https://diariodotransporte.com.br/2021/03/30/linha-9-esmeralda-opera-com-velocidade-reduzida-nesta-terca-30-e-cptm-nao-informa-no-aplicativo-e-site-de-consulta-pelos-passageiros/

No mesmo dia 30 de março de 2021, a CPTM até avisou de um problema nos canais oficiais, mas só uma hora depois e bem no horário de pico.

Por volta das 18h00 parte da linha 7-Rubi foi interrompida por causa da queda de parte de uma árvore nos trilhos nas proximidades da estação Vila Aurora, impedindo a passagem.

Mas no aplicativo oficial e no site da estatal, o aviso só apareceu 19h05.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/03/30/linha-7-rubi-tem-operacao-realizada-parcialmente-na-noite-desta-terca-30/

A vantagem de o passageiro ser avisado logo no início do problema pelos canais oficias é se programar.

Muitas vezes, o usuário pode mudar de horário de deslocamento ou mesmo optar por outra forma de transporte se tiver essa condição. Isso evita que mais passageiros se aglomerem nas estações e trens, algo que se torna mais grave ainda em uma pandemia.

Em 06 de janeiro de 2021, por volta de 07h30, um problema no sistema de sinalização na região da estação de Mauá impediu  as viagens intermediárias entre Mauá e Brás. Não houve informações nos canais oficiais como aplicativo e site a estatal , a exemplo do que ocorreu outras vezes, com companhia está se limitando com respostas individuais em rede social.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/01/06/linha-10-turquesa-opera-com-alteracoes-na-manha-desta-quarta-feira-6-e-cptm-nao-informa-em-canas-oficiais/

Em 24 de novembro de 2020, passageiros que usam a linha 11-Coral da CPTM relataram problemas por volta de 6h00. De acordo com os usuários, houve um defeito no fornecimento de energia. “Para quem vai pagar trem, a linha coral está com falta de energia. Trem parando e ficou com luz reduzida.” “Carro H517 parado no trajeto da Dom Bosco à Itaquera. Detalhes trem lotado, ar-condicionado desligado, nenhuma informação sobre o ocorrido e à população???? Esqueci que eles não se importam com à população. Parabéns aos envolvidos” Nos canais oficiais da CPTM, tudo estava normal. Por meio da assessoria de imprensa, a CPTM confirmou que havia problemas. Entre 6:00 e 6:05 desta terça-feira (24) foi registrada uma falha de energia nas proximidades da estação Dom Bosco, na Linha 11-Coral da CPTM. A falha já foi solucionada e os trens circulam dentro do intervalo médio previsto para o horário. A CPTM pede desculpas aos passageiros pelos transtornos. 

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/11/24/passageiros-relatam-problemas-na-linha-11-coral-e-cptm-nao-informa/

Em 10 de novembro de 2020, passageiros da linha 11-Coral reclamavam de superlotação e espera de 20 minutos entre um trem e outro em pleno horário de pico da manhã. Nada foi informado pela estatal em seu aplicativo e sites oficiais. Somente em respostas para os passageiros que buscavam saber o que ocorreu pelo Twitter da companhia de trens paulista, mas também de forma vaga sem explicar o que de fato motivou a falha e previsões.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/11/10/passageiros-reclamam-de-lentidao-e-superlotacao-na-linha-11-coral-da-cptm-na-manha-da-terca-feira-10/

Em 28 de setembro de 2020, passageiros da linha 7-Rubi foram prejudicados por uma falha na manhã. Até emissoras de TV exibiam a falha ao vivo e nos canais oficiais da CPTM nada era informado.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/09/28/cptm-falha-ao-vivo-na-tv-e-aplicativo-oficial-da-empresa-nao-mostra/

Em 14 de setembro de 2020, em plena pandemia de Covid-19, passageiros ficaram aglomerados nas plataformas da linha 11-Coral.

Os trens circularam com maiores intervalos entre as estações Luz e Estudantes pelo menos das 17h até às 18h, porém sem qualquer informação espontânea ao passageiro pelo aplicativo e site.

Usuários reclamaram nas redes sociais questionando sobre a demora dos trens, aglomerações nas plataformas em plena pandemia e falta de informação, porém a companhia não se pronunciou pelo menos até às 18h37 em sua conta no Twitter, quando foi interpelada por passageiros.

Nas respostas, somente depois a CPTM informou que houve um problema com equipamento de via na estação Luz, resolvido às 17h50 e colocando a operação em processo de normalização.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/09/14/linha-11-coral-opera-por-mais-de-uma-hora-com-problemas-e-cptm-nao-comunica-espontaneamente/

Já no dia 25 de fevereiro de 2020, por causa de uma chuva forte, a linha 10 – Turquesa, por volta das 21h, continuava com lentidão nas proximidades da Estação Rio Grande da Serra.

Usuários, em redes sociais, reclamaram que o aplicativo oficial da empresa, assim como o site, mostravam que a operação estava normal em todas as linhas e chegaram a escrever no Twitter da empresa que o fato representava transparência zero”.

Diário do Transporte acompanhou estes canais oficiais durante os problemas nas linhas e constatou que o aplicativo e o site mostravam “operações normais”

Questionada, a CPTM alegou que o aplicativo e o site mostravam operações normais porque “o intervalo nas linhas não teve alteração total”

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/02/25/linhas-11-e-12-normalizam-e-10-ainda-com-problemas-cptm-diz-que-informou-mas-aplicativo-e-site-oficiais-nao-mostraram-alteracoes-em-nenhum-momento/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Informe Publicitário
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Neusa Maria costa disse:

    Não sei porque tanta dificuldade,somente uma motosserra,cortar a árvore logo,e pronto em vez disso precisa,tanta gente para fazer isso,pois isso chama se descaso

Deixe uma resposta para Neusa Maria costa Cancelar resposta