CPTM falha ao vivo na TV e aplicativo oficial da empresa não mostra

Publicado em: 28 de setembro de 2020

Estação da linha 7-Rubi

Não é a primeira vez que linhas da estatal apresentam problemas e passageiro não é informado espontaneamente de problemas na rede da estatal

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

Mais uma vez o passageiro ficou sem informações sobre falha na CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos por meio do aplicativo da empresa sob gestão do Estado de São Paulo.

O problema de falta de informação ocorreu de novo na manhã desta segunda-feira, 28 de setembro de 2020.

Desta vez, o defeito foi na linha 7-Rubi.

Segundo a CPTM, em nota após solicitação do Diário do Transporte, uma composição apresentou falha de sinalização, não pode prosseguir na linha e os passageiros tiveram de ser retirados da composição.

“Um trem que partiu da estação Jundiaí apresentou falha no sistema de sinalização. Os passageiros foram desembarcados na estação Campo Limpo Paulista e um trem reserva está sendo inserido na circulação.

A cada quatro trens que saem do Brás, três retornam ao chegar à estação Francisco Morato e um segue para Jundiaí. Essa estratégia, conhecida como looping, visa favorecer o trecho da linha com maior demanda de passageiros no horário de pico – entre Francisco Morato e Brás.

O intervalo no trecho Brás e Francisco Morato é de 6 minutos, e no trecho Francisco Morato e Jundiaí de 24 minutos. O intervalo não foi alterado com o fim da baldeação, a única alteração é que as pessoas que seguem para Jundiaí não precisam mais mudar de plataforma.”

O problema foi mostrado ao vivo por emissoras de TV por vários minutos, mas durante este tempo, tanto o site como o aplicativo oficiais da CPTM não acusavam nenhum problema como “falha em trem”, a exemplo do que faz o Metrô.

APLICATIVO E SITE NÃO INFORMARAM OUTROS PROBLEMAS:

Passageiros aglomerados por causa de falha da linha 11, mas CPTM informava nos seus canais oficiais que estava tudo normal.

Não é a primeira vez que a CPTM tem falha e o passageiro não é informado de forma espontânea pelo aplicativo ou site da empresa, o que poderia permitir que o usuário se programasse melhor.

Em 14 de setembro de 2020, em plena pandemia de Covid-19, passageiros ficaram aglomerados nas plataformas da linha 11-Coral.

Os trens circularam com maiores intervalos entre as estações Luz e Estudantes pelo menos das 17h até às 18h, porém sem qualquer informação espontânea ao passageiro pelo aplicativo e site.

Usuários reclamaram nas redes sociais questionando sobre a demora dos trens, aglomerações nas plataformas em plena pandemia e falta de informação, porém a companhia não se pronunciou pelo menos até às 18h37 em sua conta no Twitter, quando foi interpelada por passageiros.

Nas respostas, somente depois a CPTM informou que houve um problema com equipamento de via na estação Luz, resolvido às 17h50 e colocando a operação em processo de normalização.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/09/14/linha-11-coral-opera-por-mais-de-uma-hora-com-problemas-e-cptm-nao-comunica-espontaneamente/

Já no dia 25 de fevereiro de 2020, por causa de uma chuva forte, a linha 10 – Turquesa, por volta das 21h, continuava com lentidão nas proximidades da Estação Rio Grande da Serra.

Usuários, em redes sociais, reclamaram que o aplicativo oficial da empresa, assim como o site, mostravam que a operação estava normal em todas as linhas e chegaram a escrever no Twitter da empresa que o fato representava transparência zero”.

Diário do Transporte acompanhou estes canais oficiais durante os problemas nas linhas e constatou que o aplicativo e o site mostravam “operações normais”

Questionada, a CPTM alegou que o aplicativo e o site mostravam operações normais porque “o intervalo nas linhas não teve alteração total”

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/02/25/linhas-11-e-12-normalizam-e-10-ainda-com-problemas-cptm-diz-que-informou-mas-aplicativo-e-site-oficiais-nao-mostraram-alteracoes-em-nenhum-momento/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Engraçado, antigamente a sofrência era maior, ninguém tinha celular, só marmita dentro da sacola, e não mochilas, a empresa era federal (CBTU) abandonada. Hoje a sofrência é a ignorância das pessoas, que não reconhecem mudanças, ou que nem sequer souberam do passado, a maioria carregam malas, sacolões, as mochilas são pragas (carregar toda casa nas costas), o que demanda ocupação de espaços que poderiam ser somente pessoas, só falta o fogão e a cama (a empresa não permite). Raríssimo é ver alguém elogiar, mas sim plaguear que seja privatizada….o ser humano é livre para ser ignorante, cético, e inércio (do jeito que está, deixa ficar)… Não redimo a empresa dos erros, e defeitos. Há sim um conjunto que ainda não se sintonizou(sincronizou) por inteiro nas linhas, é Brasil você sabe…estamos longe da perfeição. O Brasil é vários brasís, SP é um país.

Deixe uma resposta