Witzel promete resolver concessão de linhas de ônibus em 100 dias

Linhas metropolitanas devem ser reorganizadas. Foto: Igor Silva de França/Clique para ampliar

Metas fazem parte de plano de Governo apresentado no início da gestão até 2022. Situação jurídica da linha 4 e empréstimo para melhoria da malha operada pela SuperVia também está nos planos

ADAMO BAZANI

Dentro de 100 dias, a licitação dos ônibus intermunicipais metropolitanos do Rio de Janeiro estará com o edital revisto e nas ruas para atrair novas empresas ao Estado.

Esta é uma das promessas do governador recém-empossado, Wilson Witzel em seu plano de metas para até 2022, apresentado no início da gestão.

“Revisar o contrato vigente e o edital de licitação da concessão do serviço de ônibus intermunicipais”, é uma das metas para a Secretaria de Transporte, sob o comando do brigadeiro reformado Robson Fernandes Ramos, de 60 anos.

Além de ser uma oportunidade para melhorar os transportes, a licitação, que já deveria ter sido finalizada, integra o plano de recuperação fiscal do Estado do Rio de Janeiro, cujo acordo foi formalizado com o Governo Federal.

Como mostrou o Diário do Transporte, o atraso no cronograma da licitação, preocupa a União:

https://diariodotransporte.com.br/2018/04/02/atraso-no-cronograma-de-licitacao-dos-onibus-intermunicipais-do-rio-de-janeiro-acende-alerta-da-uniao/

A licitação dos transportes intermunicipais de caráter metropolitano do Rio de Janeiro deve gerar impactos positivos de R$ 777 milhões aos cofres do Estado.

A previsão é que sejam investidos R$ 7,1 bilhões em 20 anos apenas na modernização da frota de ônibus. A outorga mínima deverá render aos cofres públicos R$ 2,1 bilhões, sendo R$ 1,36 bilhão até 2023.

 

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2017/12/30/governo-do-rio-de-janeiro-estima-receber-r-777-milhoes-de-concessao-das-linhas-de-onibus-intermunicipais/

Outra meta para área de transportes, em 100 dias, é “estruturar um grupo de trabalho para viabilizar uma solução técnico-jurídica para a questão da linha 4 do metrô (Gávea)”

Em dezembro, o TCE (Tribunal de Contas do Estado) determinou que seja feita a devolução de R$ 2,7 bilhões desviados de obras da Linha 4 do metrô do Rio de Janeiro. Segundo o órgão de contas, o estado deve ser ressarcido pelo ex-governador Sérgio Cabral, além do ex-secretário estadual de Transportes Julio Lopes e consórcios.

Segundo o TCE, os envolvidos devem ser proibidos de ocupar cargos comissionados ou assumir funções de confiança na administração pública.

Em 18 de dezembro, a Justiça decidiu bloquear os bens do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral em uma ação que investiga desvios de dinheiro em obras das linhas 1 e 4 do Metrô do Estado.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/12/24/tce-determina-devolucao-de-r-27-bilhoes-desviados-de-obras-da-linha-4-do-metro-do-rio-de-janeiro/

No plano de metas, Wilson Witzel ainda promete para a área de transportes, em 100 dias, “realizar estudos técnicos para o aperfeiçoamento da malha férrea do estado do RJ com empréstimos do Banco Mundial” e “analisar o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos entre o estado e a empresa concessionária CCR Barcas para garantir a continuidade do serviço das barcas na Baía de Guanabara”.

Segundo a assessoria de imprensa do Governo do Estado, de um total de 647 iniciativas propostas, 104 foram destacadas para entrar na agenda governamental de 100 dias e 99, para os 180 dias.

“As medidas foram selecionadas de acordo com a relevância, o impacto e a viabilidade. Todas estão aglutinadas em quatro eixos: segurança jurídica e cidadã; modernização da gestão e aceleração da eficiência pública; desenvolvimento humano e social; e desenvolvimento econômico e regionalização”. – diz a nota.

Confira todas as metas aqui:

Plano de Diretrizes e Iniciativas Prioritárias do Governo

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta