Decisão judicial pode deixar Catanduva sem ônibus a partir de segunda-feira

Publicado em: 14 de dezembro de 2018

Foto: André Rocha Alves

Contrato com atual concessionária acaba neste sábado, dia 15, e prefeitura não foi autorizada a prolongar serviços por seis meses

ALEXANDRE PELEGI

A Justiça de Catanduva, interior de São Paulo, recusou pedido de liminar da prefeitura da cidade, e a Jundiá, concessionário do transporte coletivo municipal, terá de interromper os serviços a partir desta segunda-feira, dia 17 de dezembro.

O contrato de concessão, assinado em 2008, vence amanhã, dia 15 de dezembro de 2018, e a prefeitura queria postergar o serviço por mais seis meses, na ausência de outra empresa contratada para operar o sistema de ônibus da cidade.

Diante da negativa da Justiça, não há garantias de que haverá ônibus para atender a população da cidade da região de São José do Rio Preto na próxima segunda-feira, dia 17.

Em novembro deste ano a licitação para o transporte coletivo de Catanduva foi suspensa por determinação do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. A medida foi publicada no Diário Oficial no dia 6 de novembro de 2018.

Relembre: Tribunal de Contas suspende licitação para transporte coletivo de Catanduva

A empresa de ônibus Jundiá é a responsável pelo transporte coletivo do município desde 2008, e permaneceria com a concessão até dezembro deste ano. Sem conseguir realizar a licitação, a prefeitura procurou estender em caráter liminar o contrato por mais seis meses, o que foi negado agora pela Justiça. A empresa opera 13 linhas com 23 ônibus, que transportam, em média, 265 mil passageiros por mês.

A prefeitura estima que cerca de 40 mil pessoas utilizam os ônibus do transporte coletivo da cidade.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Tamires disse:

    Vai e tarde uns ônibus muito mal organizado tudo quebra motorista sem educação uma empresa que cobra um abisurdo de passagem por tamanho da cidade de Catanduva está muito caro acho que demorou para sair já que tem que sair sai logo

  2. Rogerio Belda disse:

    Vai ser uma festa para os taxistas com o risco de compartilhar o REBU com o UBER. Belda

Deixe uma resposta