Prefeitura de Catanduva aluga ônibus para operar transporte coletivo

Publicado em: 11 de fevereiro de 2019

Com início das aulas, motoristas vão se dividir entre os ônibus escolares e os alugados para o transporte urbano. Foto: Divulgação.

Força-tarefa será realizada até empresa assumir de forma emergencial

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Catanduva, no interior de São Paulo, decidiu alugar ônibus para operar o transporte coletivo enquanto a empresa que vai atuar de forma emergencial não assume. A chamada força-tarefa teve início nesta segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019, e será realizada até quarta, 13.

De acordo com a Secretaria de Trânsito e Transportes Urbanos, o objetivo é “garantir a prestação de serviço aos usuários do transporte coletivo nos horários de maior fluxo, dentro do período comercial, sobretudo na entrada e saída do trabalho”.

A Prefeitura de Catanduva assumiu a operação do transporte coletivo em 23 de janeiro de 2019. O contrato com a empresa Tambaú foi encerrado pela administração municipal.

Após a data, o transporte coletivo estava sendo feito com ônibus escolares. A crise afetou o início das aulas. O começo do ano letivo, que seria em 4 de fevereiro, foi adiado para esta segunda.

Com o aluguel dos ônibus, a Secretaria Municipal de Educação realizará o transporte escolar normalmente, segundo a Prefeitura.

Devido à redução do efetivo de motoristas, que serão divididos entre os dois serviços, o horário do transporte coletivo será das 5h às 9h, das 11h às 13h e das 16h às 21h, segundo a Prefeitura.

A administração municipal informou ainda que as saídas do Terminal Urbano continuam sendo de hora em hora para a maioria das linhas e a cada 30 minutos para as de maior fluxo.

Nesta quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019, a Via Sol, do grupo Viação Paraty, assume o transporte coletivo de Catanduva por meio de um contrato emergencial.

HISTÓRICO

Diário do Transporte noticiou em 14 de dezembro que a Justiça de Catanduva recusara o pedido de liminar da prefeitura da cidade que solicitava a manutenção do contrato do transporte coletivo com a empresa Jundiá, concessionária do transporte até então.

Relembre: Decisão judicial pode deixar Catanduva sem ônibus a partir de segunda-feira

Com a negativa, a empresa teve que interromper os serviços, uma vez que o contrato de concessão, válido por 10 anos e assinado em 2008, venceu em 15 de dezembro.

A prefeitura queria postergar o atendimento do transporte coletivo pela Jundiá por mais seis meses, mas na ausência de outra empresa contratada para operar o sistema de ônibus da cidade precisou assumir com frota própria até conseguir nova empresa em caráter emergencial.

Após fazer um chamamento público no dia 18 de dezembro, a Tambaú Transportes acabou selecionada para operar no lugar da Jundiá, e o início do contrato prevê que os serviços comecem já nesta segunda-feira, dia 7 de janeiro.

A Secretaria de Trânsito e Transportes Urbanos (STU) de Catanduva informa que os ônibus cumprirão o mesmo horário e itinerários, das 5h às 23h nos dias úteis.

A tarifa de R$ 4,00 terá de ser paga nos primeiros dias apenas em dinheiro, por conta de reparos no sistema eletrônico do Terminal Urbano. Até então, o valor pago pelos catanduvenses era de R$ 3,75, logo houve um aumento de 25 centavos, 6,6%.

A Tambaú se comprometeu a colocar 17 ônibus para atender as 12 linhas locais, com um veículo reserva.

Após uma determinação do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, a licitação para o transporte coletivo de Catanduva foi suspensa, conforme publicação do Diário Oficial do dia 6 de novembro de 2018.

Relembre: Tribunal de Contas suspende licitação para transporte coletivo de Catanduva

Sobre a suspensão, a Prefeitura informou, em nota, que “paralelamente ao contrato emergencial, a Prefeitura dá prosseguimento à licitação para contratar definitivamente empresa de transporte coletivo em Catanduva. Para o novo edital, que será lançado em breve, estão sendo feitas pequenas adequações, recomendadas pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo. Entretanto, tópicos importantes do edital serão mantidos, como o período contratual, cuja exigência permanece por dez anos, frota zero quilômetro e veículos equipados com ar condicionado, sistemas de Wi-Fi e câmeras de segurança”.

A Tambaú Transportes assinou contrato emergencial com a prefeitura no dia 24 de dezembro de 2018 para assumir o transporte público no município por seis meses.

Relembre: Tambaú Transportes começa a operar emergencialmente em Catanduva a partir de segunda-feira, dia 7 de janeiro

A Prefeitura de Catanduva, no interior de São Paulo, assumiu a operação do transporte coletivo a partir de 23 de janeiro de 2019. O contrato com a empresa Tambaú foi encerrado pela administração municipal.

Relembre: Prefeitura de Catanduva (SP) assume transporte coletivo

A nova empresa de ônibus que vai operar o transporte coletivo de Catanduva, no interior de São Paulo, tem até 14 de fevereiro para assumir o sistema.

A Prefeitura de Catanduva, no interior de São Paulo, decidiu alugar ônibus para operar o transporte coletivo enquanto a empresa que vai atuar de forma emergencial não assume. A chamada força-tarefa teve início em 11 de fevereiro de 2019 e será realizada até quarta, 13.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta