Empresas de Natal (RN) recolhem toda a frota após incêndio em ônibus

Incêndio ocorreu por volta de 15h. Foto: TV Cabugi

Coletivo foi atacado no Bairro Nordeste, na Zona Oeste de Natal, na tarde deste sábado

JESSICA MARQUES

Todas as empresas de ônibus de Natal, no Rio Grande do Norte, recolheram os ônibus na tarde deste sábado, 2 de junho de 2018. O medo tomou conta das garagens do transporte coletivo após um ônibus ter sido incendiado no Bairro Nordeste, na Zona Oeste de Natal, no início da tarde.

A STTU (Secretaria de Mobilidade Urbana) informou no Twitter que “todas as empresas de ônibus estão recolhendo a frota após ataque. Fica autorizado aos táxis, escolares e veículos de fretamento turísticos devidamente licenciados a realizarem lotação até a normalização da circulação dos ônibus” – informou a secretaria.

A Polícia Militar informou, em nota, que o ônibus operava a linha 25 – Petrópolis / Bairro Nordeste no momento em que foi incendiado. O veículo foi abordado por quatro homens em duas motos, que obrigaram o motorista a parar, mandaram todos os passageiros descerem e atearam fogo.

Segundo informações do Corpo de Bombeiros, a ocorrência foi atendida às 15h, o fogo foi controlado e ninguém ficou ferido.

Moradores relataram que ouviram tiros no momento do ataque, porém ninguém foi preso até a publicação desta reportagem.

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rogerio Belda disse:

    Resumindo o que já registrei em ocasião recente: No passado também se incendiavam trens, mas deixaram de ser fabricados com muito material revestimentos combustíveis. No caso dos ônibus já é bem mais difícil a substituição dos materiais empregados, além de que, também ,são vistos como face do governo e com o agravante de serem construídos com material mais comburente. Se nos trens era expressão de revolta contra os serviços de ocasião, no caso dos ônibus é de expressão deliberada de agressão de um serviço que mesmo privado é face visível do governo além de subjetivamente ser a expressão simbólica de todas as obrigações e necessidades do dia a dia de quem vive nas grandes cidades.

Deixe uma resposta