Justiça determina frota mínima em caso de paralisação de ônibus em São Paulo na tarde desta quarta (25)

Caso não cumpra, sindicato dos motoristas pode ser multado em R$ 50 mil

ADAMO BAZANI

O desembargador Davi Furtado Meirelles, do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, determinou que circulem ao menos 80% da frota de ônibus na capita paulista nos horários de pico e 60% nos demais horários, caso ocorra uma paralisação de motoristas e cobradores na tarde desta quarta-feira, 25 de maio de 2022.

Se o Sindicato dos Motoristas descumprir, pode ser multado em R$ 50 mil por dia.

A decisão atende a uma ação movida pela SPTrans (São Paulo Transporte).

Como mostrou o Diário do Transporte, em campanha salarial, no dia 23 de maio de 2022, a categoria decretou “estado de greve”. Além disso, anunciou protestos em terminais de ônibus da cidade a partir de 14h.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/05/23/motoristas-de-onibus-da-capital-paulista-decretam-estado-de-greve-e-prometem-protestos-em-terminais-de-onibus-na-quarta-25/

O magistrado considerou como horário de pico o período das 6h00 às 9h00 e das 16h00 às 19h00).

Em nota, a SPTrans afirma que vai monitorar a situação

A Prefeitura de São Paulo, por meio da SPTrans, informa que conseguiu decisão liminar em que a Justiça do Trabalho determina a manutenção de 80% da frota operando nos horários de pico e 60% nos demais horários, sob pena de multa diária de R$ 50 mil.

 A SPTrans acompanha as negociações trabalhistas entre os operadores de ônibus e as empresas concessionárias e espera que haja entendimento entre as partes e que a população de São Paulo não seja prejudicada.

 A SPTrans segue monitorando o funcionamento dos terminais e linhas de ônibus.

Veja a decisão

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta