Greve de ônibus em São Paulo é anunciada para segunda-feira, 06 de junho de 2022

Decisão foi tomada em plenária que reuniu motoristas e cobradores de ônibus nesta segunda-feira (30). A partir de quarta-feira (1º), assembleias podem atrasar saída dos coletivos das garagens

ADAMO BAZANI

A cidade de São Paulo poderá ter uma greve na segunda-feira, 06 de junho de 2022.

A decisão foi tomada em plenária realizada pelo Sindmotoristas na tarde desta segunda-feira, 30 de maio de 2022.

A partir de quarta-feira, 1º de junho de 2022, assembleias podem atrasar saída dos coletivos das garagens. São estas assembleias que vão decidir ou não pela greve anunciada para 06 de junho.

As empresas de ônibus não apresentaram uma nova contraproposta, além da sugerida na semana passada de aumento de 10% nos salários parcelado em três vezes, que tinha desagradado a categoria.

As reivindicações da categoria são:

– Reajuste Salarial de 12,47%, mais aumento real;

– Vale Refeição de R$ 33,00 (unitário);

– Equiparação de todos os benefícios para os trabalhadores e trabalhadoras das empresas do sistema complementar (empresas novas);

– Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) de R$ 2.500,00;

– Fim das escalas com uma hora para refeição sem remuneração;

– Reajustes nos valores dos benefícios: Auxílio Funeral, Seguro de Vida, – Convênio Médico e Odontológico etc;

– Adequação das nomenclaturas do Plano de Carreira do Setor de Manutenção, equiparação salarial e promoção para funcionários e funcionárias Fora de Função.

Em nota, a direção do Sindmotoristas disse que sempre se mostrou aberta ao diálogo para a solução do conflito, mas infelizmente não houve cooperação do outro lado, os patrões continuam intransigentes.

“Diante disso, a categoria lutará com todas as armas que tem para fazer valer seus direitos. Vamos confirmar, em assembleias nas garagens, a paralisação. Nenhum ônibus vai rodar na cidade de São Paulo no dia 06 de junho”, afirmou o presidente do sindicato, Valdevan Noventa.

Motoristas e cobradores de ônibus suspenderam as manifestações que afetariam os terminais municipais na capital paulista no dia 25 de maio de 2022.

A informação foi do presidente do Sindmoristas ao Diário do Transporte, Valdevan Noventa.

Segundo o sindicalista, o pedido foi do poder público municipal que teria prometido auxiliar nas negociações com as empresas de ônibus.

Como mostrou o Diário do Transporte, desembargador Davi Furtado Meirelles, do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região, determinou que circulassem ao menos 80% da frota de ônibus na capital paulista nos horários de pico e 60% nos demais horários, caso ocorra uma paralisação de motoristas e cobradores na tarde desta quarta-feira, 25 de maio de 2022.

Se o Sindicato dos Motoristas descumprisse, poderia ser multado em R$ 50 mil por dia.

A decisão atendeu a uma ação movida pela SPTrans (São Paulo Transporte).

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/05/25/justica-determina-frota-minima-em-caso-de-paralisacao-de-onibus-em-sao-paulo-na-tarde-desta-quarta-25/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Valdo de Oliveira disse:

    Desse jeito o Muleque quer ser presidente dessa categoria uma vergonha

  2. Nelson disse:

    Se for preciso fazer greve que realmente seja uma greve e não palhaçada. Fechem as garagens e não saia nenhum ônibus durante o dia ou enquanto estiver de greve.

  3. Willins Carlos Dutra dos Reis disse:

    Tem alguma coisa errada aí , com certeza eles irão ferrar com os cobradores, sindicato kkkk 😂 são uma piada , não tem crédibilidade nenhuma, a categoria é desunida e sindicato vendido , isso vai sobrar pra os mais fracos , é só minha opinião , tenho certeza disso os cobradores irão acabar , nesse ano de 2023.

  4. Marcos Borges disse:

    Eu acho que os cobradores acabam não viu Wilins Carlos.Esse Valdevan Noventa é que tá dando as cartas .Já em Abril desse ano ia começar um processo que iria tirar os cobradores aos poucos. Mas aí o Valdevan bateu o pé e quem tinha esse plano de tirar os cobradores aos poucos voltou atrás. Por isso eu acho que aqui o cobrador será mantido por muito tempo ainda(indererminado).E se tiver essa greve como sempre é o povo que vai se dar muito mal né?Se vira peão pra chegar no seu serviço, se caso estiver trabalhando ..

  5. FabioMazzola disse:

    E à população que necessita do transporte , acata à proposta dos empresários , e está resolvido , o impasse !!!

  6. Eli disse:

    E sempre sobra para a “”População” que são os “”Verdadeiros trabalhadores” do Pais! Que não tem direito a nenhum dos reajustes que são impostos pelo Motoristas e Cobradores.
    Resumindo, eles fazem Greve que não atinge nem o Governo ,nem os empresários que não estão nem ai…e quem se ferra é o povo proletariado que necessita do Transporte Publico para trabalhar. E passa ano e entra ano e nada muda. Só causa transtorno. Desnecessário isso!

  7. Marcelo Lavieri disse:

    Concordo plenamente! O TRT estipula multa de 50k por dia caso não se tenha uma frota mínima nas ruas, mas esta quase sempre nunca é aplicada e quem é penalizado de verdade é o trabalhador que depende do transporte público. São muitos interesses particulares, da categoria e da prefeitura, que aliás está caçando um bom motivo para reajustar as tarifas. Executivo e Judiciário incompetentes! Sempre sobra para os usuários! VR de R$33/dia, reajuste de 12,47%, etc…..Qual outra categoria teve esses pleitos aprovados e recebem isso?

  8. Matheus disse:

    Pois os motorista deveriam liberar a catraca para dar PREJUIZO para os Grandes, pq eles n andam de Ônibus, nos que precisamos do meio de transporte que vai toma ???? #liberaacatraca

Deixe uma resposta