Fretamento e Caminho da Escola respondem por números positivos da Marcopolo no segundo trimestre de 2021

Geração G8, lançada em julho deste ano

Total da produção atingiu 2.973 unidades, 27,3% superior ao mesmo período de 2020; Receita Líquida somou R$ 823,7 milhões

ALEXANDRE PELEGI

Com uma queda da receita em 2020 superior a 25% na comparação com 2019, o segundo trimestre de 2021 trouxe resultados mais favoráveis para a Marcopolo, com um expressivo incremento da produção na comparação com o 2º trimestre de 2020.

Com crescimento da produção acima do mercado nacional neste período (que no total chegou a 3.456 unidades, 4,7% em relação ao segundo trimestre de 2020), o total produzido no país pela Marcopolo atingiu crescimento de 21,6%, com 2.483 unidades produzidas (incluindo produção de modelos Volare).

No total, foram 2.973 unidades, soma da produção no Brasil – 2.483 unidades, 21,6% superior à do 2 trimestre de 2020; e a produção no exterior – 490 unidades, 67,2% superior ao total produzido no mesmo período do ano anterior.

Esse crescimento apresentado agora, segundo o balanço da Marcopolo, se deve ao começo da pandemia, quando as operações no país sofreram forte redução devido a férias coletivas no Brasil e paralisação parcial das operações localizadas no exterior.

Como mostrou o Diário do Transporte, quanto ao balanço do 1º trimestre de 2021, a fabricante apontou prejuízo de R$ 14,7 milhões, apesar da baixa de produção da Marcopolo ter sido menor que a queda média do mercado de ônibus.

Já neste segundo trimestre, o Lucro Bruto atingiu R$ 60,5 milhões, com margem de 7,4%; e o Lucro Líquido bateu em R$ 200,9 milhões, margem de 24,4%.

A Receita Líquida bateu em R$ 823,7 milhões, o que representa 3,2% acima da Receita do 2º trimestre do ano passado.

O que caracterizou a produção neste bimestre foi a continuidade dos impactos negativos causados pela segunda onda de Covid-19. Segundo o informe da Marcopolo, a produção associada ao trimestre remete a vendas concretizadas entre 60 a 90 dias antes, quando o contexto ainda era de fortes restrições à locomoção, suspensão do turismo e fechamento de cidades em lockdown.

No caso do mercado interno, a sustentação da produção de rodoviários se deveu ao setor de fretamento (necessidade de mais veículos para garantir o isolamento social no transporte), ao passo que as unidades de Volares acusaram crescimento em função do programa Caminho da Escola.

O destaque do 2º trimestre de 2021 foi o crescimento de 16,2 % no segmento de rodoviários em relação ao mesmo período de 2020, o que se deveu ao aumento da participação da Companhia no setor de fretamento.

Ônibus mais leve na categoria de rodoviários, este mercado representou 73% dos volumes do segmento neste trimestre ante 24% no mesmo período de 2020.

O segmento Volare teve aumento de 84,5% na receita líquida na comparação trimestral, com o crescimento de volumes entregues ao programa Caminho da Escola e a maior demanda no setor de fretamento e exportações.

Para o Caminho da Escola, a Marcopolo entregou 368 unidades: 120 micros, 18 urbanos e 230 modelos Volare. A expectativa agora é quanto à nova licitação realizada em junho, em que a companhia angariou 3.900 unidades, do total de 7.000 ônibus licitados.

“Aguardamos a homologação desta licitação para iniciar a produção. Além disso, seguimos otimistas com o avanço da vacinação, a reabertura das escolas e universidades e a retomada do segmento turismo”, afirma José Antonio Valiati, CFO e Diretor de Relações com Investidores da Marcopolo.

O ANO 2021

Em comunicado à imprensa, a Marcopolo destacou os lançamentos que realizou no segundo trimestre de 2021:

Maio: linha Volare New Attack, com visual mais moderno. Relembre:

ÁUDIO LANÇAMENTO: Volare apresenta nova linha de micro-ônibus: New Attack

Junho: modelo Marcopolo Viaggio 800, dedicado ao setor de fretamento. Relembre: 

Marcopolo inicia produção em série do Viaggio 800: mais de 100 unidades já foram vendidas

Julho: Geração 8, com modelos destinados ao transporte rodoviário. Relembre:

ENTREVISTA e mais de 20 fotos: Marcopolo lança Geração 8 com célula de sobrevivência ao motorista, espaço interno ampliado para passageiros e aerodinâmica que reduz consumo de diesel 

“Os novos veículos apresentados ao mercado reforçam o posicionamento da Marcopolo no mercado mundial de ônibus, propondo soluções inovadoras em mobilidade. Os lançamentos deverão contribuir e estimular as vendas já a partir do fim do terceiro trimestre, em um momento de retomada do segmento”, diz o informe.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta