ENTREVISTA e mais de 20 fotos: Marcopolo lança Geração 8 com célula de sobrevivência ao motorista, espaço interno ampliado para passageiros e aerodinâmica que reduz consumo de diesel 

Modelo de dois andares do Paradiso da Geração 8

Faróis com maior alcance, carroceria mais leve e com nova aerodinâmica, novo tipo de reclinação de poltronas pneumática, acabamento que evita trepidações, dutos de ar-condicionado que não ocupam porta-pacotes, quatro centrais elétricas, plásticos com deformidade programada em vez de fibra de vidro estão entre as novidades que, segundo empresa, provam que nova geração vai além de mudanças estéticas

ADAMO BAZANI

Colaborou Jessica Marques

OUÇA AQUI:

A Marcopolo anunciou de forma oficial o lançamento da G 8 (Geração Oito), uma nova linha dos ônibus rodoviários Viaggio e Paradiso, nesta terça-feira, 20 de julho de 2021. A primeira empresa a comprar foi a Viação Águia Branca, do Espírito Santo.

O veículo pela Águia Branca deve estar operando em setembro em mercados como São Paulo, Rio de Janeiro e Vitória.

Conheceram presencialmente os ônibus da linha G8 empresários e diretores de companhias como Gontijo, Grupo Comporte, Viação Garcia, Brasil Sul , Suzantur, Real Alagoas, Grupo Brasileiro, Santa Maria (ABC Paulista), Líder, Arca, Sertran, Pedra Azul, Kopererck, Princesa dos Campos, Mimo, Janjpy, Santa Luiza, Ouro e Prata, Planalto, Santa Cruz, Satélite Norte, Tursan, MPTransportes, Turis Silva, Trânsito Livre, Grupo são José, Evolução, entre outros. Não significa, porém, que todos já compraram, mas há negócios em andamento e vendas concretizadas.

Segundo a empresa, trata-se realmente de uma nova geração de ônibus, com mudanças significativas em aspectos relacionados à segurança, custos de operação, facilidade de manutenção, além, é claro, do design renovado.

A nova geração abrangerá os modelos Viaggio e Paradiso.

O Diário do Transporte apurou que a linha G8 vai contemplar o Viaggio 800, Viaggio 1050, Paradiso G8 1050, Paradiso G8 1200, Paradiso G8 1350, Paradiso G8 1600 Low Driver e Paradiso G8 1800 Double Decker, com inícios gradativos de produção.

As aplicações são para serviços rodoviários, intermunicipais e de fretamento (contínuo ou eventual/turismo), com comprimento que varia de 12 metros a 15 metros, dependendo do modelo, e largura de 2,6 metros.

A nova linha está disponível para os chassis Mercedes-Benz, Scania, Volkswagen e Volvo.

Em primeira mão, o diretor de Operações Comerciais e Marketing da Marcopolo, Ricardo Portolan, contou ao Diário do Transporte, em entrevista, as principais novidades que formam um conjunto significativo de mudanças em relação à geração atual G7, que foi lançada há mais de dez anos, em 2009, e ainda permanecerá em produção.

Veja mais de 20 imagens abaixo

São várias as alterações, como estrutura que protege o motorista em batidas; célula de sobrevivência como opcional; maior espaço interno para passageiros; faróis com alcance 3,5 vezes maior; carroceria mais leve e com vidros laterais curvos para reduzir trepidações; novo tipo de reclinação pneumática de poltronas com posições “infinitas”; sistema de retirada rápida dos assentos e troca dos pistões das poltronas; acabamento interno que evita trepidações; dutos de ar-condicionado que não ocupam o porta-pacotes, que ganhou 23% de capacidade; quatro centrais elétricas para facilitar manutenção; redução da quantidade em 65% dos chicotes elétricos; escadas mais largas; plásticos industriais nos para-choques e nos painéis com deformidade programada em vez de fibra de vidro, entre outros.

Segundo a Marcopolo, foi possível reduzir em mais de cinco vezes a quantidade de fibra de vidro utilizada, de cerca de 500 kg para em torno de 90 kg em cada carroceria.

Novo sanitário, faróis que reduzem em 80% o ofuscamento de quem vem no sentido contrário e um coeficiente aerodinâmico que pode reduzir em até 5% o consumo de diesel também são características da nova linha.

Conforme detalhado pelo diretor de operações comerciais da Marcopolo ao Diário do Transporte, a redução do coeficiente aerodinâmico, 11% menor que da linha G7, sendo de 0,379, faz do G8 o veículo de transporte coletivo com o índice mais baixo entre todos os modelos de ônibus do Brasil.

“Quanto menor o coeficiente, menos resistência do ar e, com isso, menor necessidade de força do ônibus para se locomover, o que resulta em menor consumo de diesel. É uma redução do impacto da resistência do ar em relação ao ônibus. Este ganho veio em um conjunto de melhorias da forma do ônibus, mas principalmente do fato de o desenho dianteiro ter curvas mais leves partindo do centro para as extremidades do ônibus” – explicou.

Segundo Ricardo Portolan, o intuito da nova geração é oferecer um modelo de ônibus que seja mais seguro, mais confortável, mais requintado e que tenha menores custos ao longo da vida útil e maior facilidade de operação e manutenção.

O executivo conta que a Geração Oito já nasce com unidades vendidas.

“Ao longo das últimas semanas convidamos clientes para vir à fábrica, ver presencialmente, obviamente com todos os cuidados de segurança sanitária, houve durante estas apresentações interesses e negócios já foram concretizados desde a primeira visita. O retorno tem sido muito positivo” – disse Portolan, sem poder revelar a quantidade de veículo e os compradores, por acordo com os clientes.

A linha G7 (Geração Sete) continua sendo fabricada por tempo indeterminado.

“Um dos conceitos que nós trabalhamos muito forte foi a manutenção do G7, então nós continuamos produzindo o G7. A nossa linha de produção do G8 é totalmente independente, a gente conseguiu fazer isso diferente de gerações anteriores então ele possibilita a continuidade do G7 por mais tempo, o mercado vai nos dizer até quando” – afirmou o diretor de Operações Industriais, Luciano Resner, em entrevista coletiva, respondendo ao questionamento do Diário do Transporte.

A Geração Oito da Marcopolo é produzida na unidade Ana Rech, em Caxias do Sul (RS).

O projeto demandou quatro anos de trabalho, aproximadamente.

Portolan ressaltou que o momento de recuperação diante da crise gerada pela pandemia de covid-19 é ideal para que o mercado de ônibus, seja rodoviário, fretamento contínuo e de turismo, tenha já um veículo de fato novo para reconquistar os passageiros.

“A empresa já projetava a Geração Oito antes da pandemia, mas fazer o lançamento neste momento é especial. Vemos como o momento correto. Com o avanço da vacinação em massa, vemos que se aproxima o fim da pandemia e a Geração Oito vai ser uma ferramenta e um marco para nossos clientes nesta hora de retomada e retorno dos passageiros. Para a Marcopolo, é um momento histórico” – disse.

Para desenvolver a Geração oito, a Marcopolo diz que colocou em campo quase 100 engenheiros, que realizaram viagens em ônibus em todas as regiões brasileiras, percorrendo 44 mil quilômetros para entender as diferentes necessidades, características operacionais e preferências dos passageiros e empresários, considerando aspectos como a largura e o espaçamento considerados ideais entre as poltronas, a circulação dos passageiros dentro dos ônibus, tempo de permanência a bordo do usuário brasileiro e utilização de equipamentos eletrônicos.

Em relação à segurança, a Marcopolo diz que todos os modelos da Geração 8 atendem à norma internacional R66.02 para tombamento, que ainda não é obrigatória no Brasil e é mais exigente que os padrões nacionais.

Os ônibus de dois andares Paradiso 1800 DD (Double Decker) também obedecem à R66.02, sendo o primeiro modelo DD do mercado brasileiro concebido neste padrão, ainda de acordo com a fabricante.

Portolan disse que o design mantém o “DNA” da Marcopolo, com linhas que procuram deixar o ônibus atrativo.

“Os atributos estéticos são bastante inovadores, com linhas que transmitem uma leveza, um design atrativo. Todo o conjunto de vidros, faróis e desenho foi projetado para ter uma harmonia e transmitir a percepção de que o passageiro queira de fato entrar em um ônibus da Geração Oito” – disse o diretor.

O sanitário dos ônibus da Geração Oito (G8), de acordo com a Marcopolo, recebeu uma opção de descarga de sucção a vácuo, a exemplo do que é empregado nos aviões, que além de ser considerado mais eficiente, elimina possíveis odores. O interior do sanitário é climatizado com ar-condicionado e o espaço possui porta plana com sistema de fechamento automático.

A Marcopolo ainda garantiu que o processo de produção foi modernizado.

Os tubos de aço utilizados na construção da estrutura da carroceria têm, por exemplo, corte a laser com tolerância de apenas 0,1mm.

Todos os ônibus possuem pacotes de biossegurança, denominados Biosafe, contra micro-organismos, como o novo coronavírus, causador da covid-19.

Entre as possibilidades de escolha estão itens para desinfecção do sanitário e ar-condicionado por meio de luz UV-C; cortinas e capas com tecidos antimicrobianos e recipientes de álcool em gel.

É possível também optar pela configuração de poltrona 1X1X1, com três fileiras de poltronas únicas em vez das tradicionais duas fileiras com duas poltronas cada.

Veja algumas das novidades na Geração Oito (G8) da Marcopolo:

COEFICIENTE AERODINÂMICO E ECONOMIA DE DIESEL

Segundo a Marcopolo, a nova linha tem o menor coeficiente aerodinâmico já alcançado por um ônibus brasileiro, com Cx de 0,379, 11% menor do que o da Geração 7, o que proporciona maior eficiência dinâmica, com redução entre 2% e 5% no consumo de combustível. Quanto menor o coeficiente, menos resistência do ar e, com isso, menor necessidade de força do ônibus para se locomover, o que resulta em menor consumo de diesel.

VIDROS LATERAIS CURVOS PARA MENOS VIBRAÇÕES

Os vidros laterais dos modelos da linha G 8 são curvos, o que, segundo a Marcopolo, proporciona menor vibração e mais conforto térmico e acústico. A empresa diz que esta característica facilita também a manutenção, já que foi implantado um novo sistema de encaixe.

MAIOR ESPAÇO INTERNO COM NOVO TIPO DE POLTRONA

A Marcopolo garante que o espaço interno para os passageiros aumentou, em especial a distância para as pernas dos passageiros entre as poltronas.

A ampliação do espaço, segundo a empresa, foi possível porque as poltronas foram concebidas com nova construção, estrutura e desenho ergonômico, que reduziu a espessura do encosto dos bancos, mas mantendo o conforto para as costas por causa dos novos materiais empregados.

As poltronas ganharam novo desenho de corte dos tecidos e mais combinações de cores e padronagens.

Através de estudos, foi possível desenvolver um novo conceito de distribuição das composições das espumas do assento e do encosto, garantindo mais conforto e acolhimento, diz a Marcopolo.

POLTRONAS COM RECLINAÇÃO PNEUMÁTICA E POSIÇÕES “INFINITAS”

Outra mudança nas poltronas destacada pela Marcopolo é que a reclinação ocorre por meio de um sistema pneumático em substituição às atuais “cremalheiras” mecânicas com graduações fixas.

A tecnologia permite, segundo a Marcopolo, que as possibilidades de inclinações sejam “infinitas” dentro da categoria de assento, se adaptando à característica do corpo do passageiro.

As poltronas também possuem novos amortecedores.

POLTRONAS COM RETIRADA RÁPIDA DE ASSENTOS

A fabricante de ônibus também enfatizou mais uma característica nas poltronas: um sistema de retirada rápida dos assentos e troca dos pistões, não sendo mais necessário a desmontagem de todo o conjunto, com ganho de tempo para reparo e simplificação da operação.

A tecnologia pode ser útil em caso de, durante a viagem, a poltrona ser rasgada ou mesmo ficar suja após mal-estar de passageiros. Em uma rápida parada, segundo a Marcopolo, o assento pode ser trocado em poucos minutos.

POLTRONA DO MOTORISTA REDESENHADA E MELHOR ACESSO AOS COMANDOS

A poltrona do motorista, em todos os modelos da linha, foi redesenhada para se tornar mais confortável e o acesso aos comandos foi melhorado.

Um dos aspectos destacados pela Marcopolo é o uso de tecnologias para o motorista personalizar algumas funcionalidades no veículo, como a graduação das luzes internas, podendo, com o toque, selecionar por exemplo a iluminação na hora do embarque e desembarque, em paradas de descanso e durante a viagem.

Há opções de telas de alta definição sensível ao toque nos tamanhos de 5 e 10 polegadas, com ícones a serem acionados com uma configuração gráfica para facilitar e simplificar a operação.

Com isso, o motorista foca melhor na direção com mais segurança.

Conectividade por Bluetooth, viva-voz e espelhamento de celulares também são opções para ajudar a melhorar a interação do motorista com o sistema.

O motorista pode escolher por acionar os comandos pela tela digital de alta definição ou por teclas posicionadas na parte inferior do painel de instrumentos, com a redundância das principais funções do veículo, isso porque em uma mesma empresa pode haver perfis diferentes de condutores.

REPOSICIONAMENTO DE DUTOS DE AR-CONDICIONADO E PORTA-PACOTE COM 23% MAIS DE CAPACIDADE

A tubulação do ar-condicionado foi reposicionada, liberando área dos portas-pacotes, que tiveram ampliação de 23% na capacidade.

O novo tipo de porta-pacotes tem novo suporte que elimina vibrações e ruídos.

Com o reposicionamento dos dutos de ar-condicionado, o espaço para as bagagens de mãos dos passageiros passou a ter área totalmente livre, sem obstáculos, sendo possível acomodar malas e objetos exatamente acima de cada poltrona, o que não ocorre hoje em dia com nenhum modelo do mercado brasileiro.

A tubulação do ar-condicionado foi colocada na parte externa junto ao teto, com sistema escamoteável.

A manutenção passa assim a ser pelo lado externo, sem a necessidade de trabalhos dentro do ônibus, reduzindo também o número de equipamentos a serem desmontados, o que pode diminuir o tempo do veículo parado nas oficinas.

NOVO PADRÃO INTERNACIONAL DE SEGURANÇA E ESTRUTURA REFORÇADA

Todos os modelos de ônibus da Geração Oito atendem à norma internacional R66.02 para tombamento, que ainda não é exigida no Brasil. Inclusive, o Paradiso 1800 Double Decker é, segundo a Marcopolo, o primeiro DD (ônibus de dois andares) do mercado nacional concebido neste padrão.

A Marcopolo diz que desenvolveu na construção da carroceria um novo conceito de anéis passantes de segurança em todas as colunas da estrutura que dão mais resistência ao conjunto em caso de impactos e capotamento, além de permitirem reduzir o peso total da carroceria.

Isso ocorre devido à utilização de um aço especial de alto desempenho, fornecido com exclusividade por uma usina alemã especializada, segundo a empresa.

CÉLULA DE SOBREVIVÊNCIA DO MOTORISTA

A Geração Oito da Marcopolo incorpora um novo conceito de proteção da cabine do motorista, que, segundo a empresa, proporciona deformação 78% menor do que o exigido pelas normas brasileiras e maior segurança. Os impactos também são absorvidos e mais bem distribuídos por causa dos materiais empregados, dissipando a força das colisões com o objetivo de a transmissão aos passageiros ser menor.

Com a tecnologia empregada na estrutura da carroceria onde fica o posto do motorista, é possível ampliar a proteção do condutor em casos como batidas com outros veículos de grande porte.

Têm sido comuns nas estradas brasileiras batidas de ônibus em traseiras de caminhões e carretas, muitas vezes com resultados fatais para os motoristas.

A Marcopolo diz que seu setor de engenharia consumiu mais de 2,6 mil horas de testes ao longo de dois anos para desenvolver o novo sistema de proteção que absorve toda a energia do impacto, com deformação programada para reduzir lesões para o motorista.

PEITORIL E LARGURA DA SEÇÃO DE COLUNAS MAIORES

A Marcopolo aumentou na construção da estrutura em 25% a largura da seção das colunas laterais, passando de 4 mm para 5 mm.

Com o objetivo de ampliar a segurança para os passageiros, a empresa elevou o peitoril lateral dos veículos em 50 mm, o que garante maior proteção em caso de acidentes e tombamento.

FARÓIS HELLA QUE ILUMINAM 3,5 VEZES MAIS E GERAM 80% MENOS OFUSCAMENTO

A G8 (Geração Oito) da Marcopolo possui faróis produzidos pela alemã Hella, fabricante de sistemas de iluminação para veículos. A iluminação pode ser até 3,5 vezes maior do que a dos demais modelos de ônibus no caso se forem escolhidos faróis “full LED”.

A tecnologia empregada possibilita que os faróis gerem o ofuscamento até 80% menor nos veículos em sentido contrário.

Há também uma opção mais simples de faróis híbridos, que mesclam LED e lâmpadas halógenas.

Os faróis são feitos com lentes em policarbonato ultra resistentes que podem suportar impactos de objetos de até 100 gramas à velocidade de 80 km/h. A caraterística por causa da concepção de parábola em cinco partes.

Novo farol de neblina em LED com luz de manobra integrada é um dos opcionais.

A Marcopolo diz que o conjunto óptico também ganhou um novo sistema de articulação do farol que proporciona fácil acesso para manutenção e rapidez na troca de lâmpadas.

QUATRO CENTRAIS ELÉTRICAS E 65% MENOS CHICOTES

Segundo a Marcopolo, o projeto elétrico do G8 é em 3D, para otimizar a instalação.

São quatro centrais elétricas distribuídas ao longo da carroceria de acordo com a função. O objetivo é facilitar o acesso e deixar a manutenção mais rápida.

Duas centrais ficam no assoalho do bagageiro e são destinadas a equipamentos dos chassis e da carroceria. Uma central elétrica está posicionada no salão dos passageiros e serve aos equipamentos destinados aos passageiros. Já uma central elétrica está no painel do motorista e é relacionada às atividades e comandos do condutor.

Todo este reposicionamento e uso de materiais mais modernos proporcionam, ainda de acordo com a Marcopolo, uma redução de 65% nos chicotes elétricos.

Também é possível fazer o monitoramento remoto através de telemática, o que pode dinamizar a manutenção e aumentar disponibilidade do veículo, de acordo com a fabricante.

ENTRADA DE AR E CÂMERA TRASEIRA

A tampa traseira recebeu uma nova entrada de ar para melhorar a refrigeração.

Já a câmera de ré foi tem um novo projeto, tornando o equipamento mais robusto, o que para a Marcopolo, garante melhor visualização em manobras.

PLÁSTICO DE ENGENHARIA

Componentes de acabamento externo e itens como para-choque são feitos de DCPD (plástico de engenharia – diciclopentadieno) que, de acordo com a fabricante, proporciona redução de peso e de até 50% no risco de quebra em pequenas colisões.

ARO DE RODAS COM SISTEMA BASCULANTE

O aro de rodas recebeu um novo design com sistema basculante o que, de acordo com a Marcopolo, facilita a manutenção e proporciona melhor refrigeração tendo como um dos resultados a redução do desgaste dos pneus.

PORTA COM VIDRO DE VIGIA INFERIOR

Os modelos da linha da Geração Oito também possuem um vidro de vigia na parte inferior da porta dianteira.

A configuração serve para ajudar o motorista a ter uma melhor visibilidade de objetos, obstáculos na via e animais de médio e pequeno porte e manobras ou mesmo na viagem.

DELIMITADORAS COM PARAFUSO

A Marcopolo ainda diz que as delimitadoras dianteiras ganharam novo sistema de fixação por parafusos que torna mais prática a manutenção e dispensa o uso de material vedante.

NOVO PARA-BRISA E PAINEL REBAIXADO

O para-brisa do G8 é novo, formando uma peça única. A altura do painel foi rebaixada em 70 mm. Além disso, o sistema de limpadores foi se renovado tornando os equipamentos mais eficientes. A Marcopolo diz que estas configurações ampliaram a visibilidade do motorista em especial de obstáculos mais próximos.

RETROVISOR COM MAIOR LARGURA REFLEXIVA DA LENTE E COM MANUTENÇÃO MAIS FÁCIL

A fabricante informou que os espelhos retrovisores estão com novo design, que aumentou em 6% na largura reflexiva da lente ampliando o campo de visão.

Os retrovisores também estão com menor número de componentes para facilitar a manutenção, diminuir as vibrações, inclusive com mais estabilidade e segurança para o motorista em terrenos mais severos e esburacados.

A manutenção também será feita integralmente pelo lado externo, sem a necessidade de retirar itens da carroceria, podendo ser realizada por apenas um profissional.

CÂMERAS NO LUGAR DOS RETROVISORES

Como item opcional, a exemplo de outros modelos da marca, a Geração Oito (G8) pode ter o sistema ERV formado por câmeras que substituem os espelhos. Segundo a Marcopolo, a tecnologia pode eliminar os chamados pontos cegos e possuem tecnologia infravermelho para visão noturna. Com isso, a fabricante diz que a segurança, em especial em manobras e trocas de faixa aumenta.

LANTERNAS COM NOVA FIXAÇÃO E BREAK-LIGHT COM ÁREA ILUMINADA 176% MAIOR

A Marcopolo informou que o novo desenho das lanternas traseiras, que são de LED, foi planejado para facilitar a visualização por diversos ângulos para ampliar a segurança. As novas delimitadoras têm fixação por parafusos em alojamento integrado com o objetivo de deixar a manutenção mais fácil e rápida.

Os novos break-light em LED, por sua vez, oferecem área iluminada 176% maior e a luz de neblina, também em LED, possui um retrorrefletor integrado.

Com isso, a fabricante promete maior eficiência luminosa e segurança, já que estes materiais empregados permitem que sejam vistos a uma distância maior.

SANITÁRIO TEM SISTEMA QUE ELIMINA ODORES

O sanitário dos ônibus da Geração Oito (G8), de acordo com a Marcopolo, recebeu uma opção de descarga de sucção a vácuo, a exemplo do que é empregado nos aviões, que além de ser considerado mais eficiente, elimina possíveis odores.

O interior do sanitário é climatizado com ar-condicionado e o espaço possui porta plana com sistema de fechamento automático.

Ainda no sanitário, a iluminação natural foi ampliada, com janelas cinco vezes maiores do que na Geração 7, assim como o espelho.

A pia é de aço inox, que facilita a limpeza e confere durabilidade.

Os apoios foram redistribuídos para auxiliar o passageiro e dar segurança durante o uso do sanitário.

PORTA DE SEPARAÇÃO E TETO SOLAR REDESENHADOS

Segundo a Marcopolo, a porta de separação entre a cabine do motorista e o salão de passageiros recebeu novo desenho em todos os modelos, com vedação adicional, para reduzir o nível de ruído no interior e ampliar o conforto acústico.

O sistema de fechadura e rodízios da porta de separação foram remodelados com a utilização de rolamentos e autocompensadores para um funcionamento mais suave, seguro e de menor esforço.

O teto solar também foi redesenhado para proporcionar um ambiente interno mais amplo e agradável.

NOVA ILUMINAÇÃO INTERNA

O salão de passageiros possui um sistema de iluminação renovado em LED, com diferentes configurações e luz indireta, com opções de iluminação Biolight ou Psicoterapia, que muda de cor e intensidade de acordo com o horário, e cromoterapia, opcional que, segundo a Marcopolo, permite escolher diferentes cenários de iluminação de acordo com a aplicação e o serviço, aumentando o conforto visual e a comodidade ao passageiro.

Além disso, foi desenvolvida, para maior segurança no embarque, uma luz de balizamento noturna mais eficiente que a atual.

ENTRADA NO ÔNIBUS, CORRIMÕES E REVESTIMENTOS INTERNOS

A escada de acesso ao ônibus ficou mais larga, segundo a Marcopolo, com degraus mais amplos e luz indireta em LED.

O sistema de abertura das portas recebeu um novo desenho.

Todos os revestimentos internos, inclusive os pega-mãos, teto e laterais, receberam material que facilita a higienização, proporcionando ganho de tempo nas paradas, e produzidos com tecido antimicrobiano (item de série em todos os modelos Marcopolo).

CENTRAL MULTIMÍDIA

Como opcional para entretenimento dos passageiros, o interior nos novos modelos G8 possui um canal de TV digital, monitores de alta definição e novo sistema de som coletivo com alto-falantes de alta qualidade. As imagens ainda podem ser reproduzidas também para o motorista.

BIOSAFE

Todos os ônibus possuem pacotes de biossegurança, denominados Biosafe, contra micro-organismos, como o novo coronavírus, causador da covid-19.

Entre as possibilidades de escolha estão itens para desinfecção do sanitário e ar-condicionado por meio de luz UV-C; cortinas e capas com tecidos antimicrobianos e recipientes de álcool em gel.

É possível também optar pela configuração de poltrona 1X1X1, com três fileiras de poltronas únicas em vez das tradicionais duas fileiras com duas poltronas cada.

PROCESSO PRODUTIVO MODERNIZADO

A Marcopolo ainda garantiu que o processo de produção foi modernizado.

Os tubos de aço utilizados na construção da estrutura da carroceria têm, por exemplo, corte a laser com tolerância de apenas 0,1 mm.

Esta baixa tolerância, que permite mais uniformidade e precisão dos processos de perfuração e dos encaixes, ocorre por meio de uma tecnologia que faz a máquina de corte ler o tipo de aço por código de barra e somente realiza a operação se for o material correto para aquela aplicação e posição.

A fabricante ainda diz que no processo de fabricação da linha G8 utiliza máquinas de solda com inversora, o que pode resultar em uma redução de consumo de energia de cerca de 50%.

Já o uso de gás com menor impacto ao operador e meio ambiente na produção pode resultar em 59% a menos de energia consumida.

A empresa diz que a nova linha de montagem está mais ampla e com maior iluminação natural; que utiliza mantas térmicas de isolamento biodegradáveis no novo centro de fabricação e que os gabaritos automatizados podem reduzir o desperdício e melhorar a ergonomia do operário.

EURO 6

De acordo com a Marcopolo, todos os desenvolvimentos com os parceiros de negócio com relação à introdução do Euro 6 já estão em desenvolvimento, considerando as linhas G7 e G8.

“O G8 nos deu a possibilidade de trabalhar com estes parceiros, todas as montadoras, já olhando o Euro 6. Então ele traz uma série de soluções em parceria com as montadoras em que a gente vai ter uma integração entre chassi e carroceria, talvez a melhor do mercado para o Euro 6. Nós já produzimos vários carros com essa motorização, protótipos que estão rodando em testes, a nova geração trouxe essa possibilidade de trabalhar em avançado já com o Euro 6” – afirmou o diretor de Operações Industriais, Luciano Resner, em entrevista coletiva, respondendo ao questionamento do Diário do Transporte.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Cadê os nossos especialistas em de design? Rs

  2. Diego L Santos disse:

    Sinceramente, esteticamente não gostei…

    1. Zé Tros disse:

      Os desenhos frontal e traseiro ficaram legais. Mas vacilaram no desenho das laterais, na minha opinião.

  3. Leonardo Rodrigues disse:

    O dia 20 de Julho 2021 é um marco na história da Marcopolo 👏 Após a apresentação do novo carro Geração 8, nasce um mundo de oportunidades. Estamos todos de parabéns pelo esforço, nosso G8 ficou simplesmente sensacional 💯.

  4. Fátima Regina Pereira Dantas disse:

    Perfeito, faz o trajeto Porto Alegre,Pelotas, ou Porto Alegre,Rio Grande?

    1. diariodotransporte disse:

      No caso, a Marcopolo faz VLT, mas este produto específico da matéria, é para aplicação rodoviária.

  5. Rafael Pascoal disse:

    Não sei em qualidade.. mas no visual a lente da lanterna dianteira do New G7 é imbatível, até pelo próprio irmão mais novo G8!! Então ainda prefiro o New G7

  6. Agnaldo Neves disse:

    Parabéns a Marcopolo pela excelência.

  7. Luis Antonio Pereira Padilha disse:

    Parabéns por pensarem no condutor, gostaria de conhecer um dia desses a marcopolo. Luis São Lourenço do Sul RS.

  8. Ismael Junior disse:

    Parabéns. Que esse tenha vida longa igual ao G7. Aproveito pra parabenizar a Marcopolo também pelo Viale BRT, pois é um modelo que já está há 10 anos no mercado e não envelheceu

Deixe uma resposta