Metrô habilita três consórcios em licitação do projeto básico da Linha 19-Celeste (Guarulhos/São Paulo)

Sessão de abertura das propostas comerciais será realizada na próxima terça-feira, 20 de julho de 2021

ALEXANDRE PELEGI

A Companhia do Metrô de São Paulo publicou o resultado da fase de classificação técnica da licitação do projeto básico da linha 19-Celeste (Guarulhos/São Paulo).

A sessão de abertura dos envelopes ocorreu no dia 13 de abril de 2021 após adiamentos, e cinco grupos entregaram propostas técnicas.

Somente no dia 07 de julho, semana passada, o Metrô revelou quais foram os projetos classificados no certame, e cujas propostas comerciais serão abertas na próxima terça-feira, 20 de julho, às 14 horas.

Os três consórcios classificados foram os seguintes:

Consórcio MNEPIE (Maubertec Tecnologia em Engenharia Ltda; Nova Engevix Engenharia e Projetos S/A; Pólux Engenharia Ltda; Intertechne Consultores S/A e EGT Engenharia Ltda);

Consórcio Linha 19 Celeste (Promon Engenharia Ltda; Copem Engenharia Ltda; Tekhnites Consultores Associados Ltda; SMZ Consultoria em Automação e Controle LTDA; JBMC Arquitetura e Urbanismo Ltda EPP; Tetraarq Arquitetura e Projetos Ltda; Themag Engenharia e Gerenciamento Ltda e Núcleo Engenharia e Instrumentação Ltda; e

Consórcio Sener SeteplaFuture ATP – EGIS (Sener Setepla Tecnometal Engenharia e Sistemas S/A; Future ATP Serviços de Engenharia Consultiva Ltda e EGIS Engenharia e Consultoria Ltda).

Não prosseguirão na licitação os dois consórcios restantes, que não tiveram suas propostas técnicas classificadas: Consórcio Systra EBEI Fernandes (Systra Engenharia e Consultoria Ltda, Empresa Brasileira de Engenharia e Infraestrutura Ltda e Fernandes Arquitetos Associados Sociedade Simples Ltda) e Consórcio Linha Celeste (SETEC Hidrobrasileira Obras e Projetos Ltda, Quanta Consultoria Ltda, Controltec Gerenciamento de Obras Ltda, Reconvert Planejamento e Projetos Ltda e SMF Serviços Metroferroviários Ltda).


O novo projeto metroviário fará a ligação entre Bosque Maia (Guarulhos) e Anhangabaú (São Paulo).

Como mostrou o Diário do Transporte, por determinação do TCE (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo), a concorrência tinha sido suspensa.

Relembre: Metrô de SP suspende licitação para projeto básico da linha 19-Celeste entre São Paulo e Guarulhos

O Metrô lançou a licitação originalmente em fevereiro de 2020, marcando o certame para 06 de abril, depois postergado. Relembre: Metrô lança aviso de licitação para contratar projeto básico da Linha 19-Celeste entre Guarulhos e Anhangabaú

Depois, adiou para 06 de maio, devido ao avanço do coronavírus no Brasil, principalmente em São Paulo, buscando evitar todo o tipo de aglomeração e atividade não essencial. Relembre: Metrô adia licitação para projeto básico da linha 19-Celeste entre São Paulo e Guarulhos /

Posteriormente, a Companhia remarcou a data para entrega de propostas da licitação, conforme mais uma vez mostrou o Diário do Transporte, para quarta-feira, 27 de maio de 2020. Relembre: Metrô remarca mais uma vez licitação para projeto básico da linha 19-Celeste entre São Paulo e Guarulhos

Como mostrou o Diário do Transporte, a Companhia já havia dado um passo importante na tão aguardada linha prevista para ligar Guarulhos, na região metropolitana à região central da capital paulista, ao emitir em 6 de dezembro de 2019 a Ordem de Serviço para o início dos estudos de Mapeamento de Cadastro de Interferências. Relembre: Metrô dá início a estudos da linha 19 que vai ligar Guarulhos ao Anhangabaú e prevê projeto básico para 2020

Segundo a estatal, a “etapa é uma das mais importantes entre os trabalhos que precedem a implantação de uma linha de metrô.”

As ações começaram naquela semana e tinham o objetivo de “identificar as redes de utilidades públicas de infraestrutura urbana ao longo do trajeto previsto inicialmente.”

Sem estes estudos, é impossível iniciar o projeto básico que, segundo o Metrô, seria contratado ainda em 2020, o que evidentemente não aconteceu.

O trecho Bosque Maia (Guarulhos) – Anhangabaú deve ter 15 estações em 19,4 km, de acordo com o Projeto Funcional.

Após a elaboração do projeto básico, os próximos passos são definir as fontes de recursos financeiros e contratar os Projetos Executivos, para só assim as obras terem início.

O Metrô não informou a previsão para que a linha esteja em funcionamento, mas destacou em que consistem estes estudos.

As atividades servirão para identificar as redes de utilidades públicas de infraestrutura urbana ao longo do trajeto previsto inicialmente. Isso garante mais precisão na previsão de interferências para a construção da linha, permitindo mais assertividade nos projetos de remanejamentos de redes como de abastecimento de água, esgoto, energia e galerias de águas pluviais, bem como de outros serviços públicos.”

Em 16 de dezembro de 2020, a licitação do projeto-básico foi reaberta. Mas daí por diante ocorreram alguns adiamentos.

A primeira data da sessão pública, marcada para 03 de março de 2021, foi adiada para 18 de março e depois novamente remarcada para 05 de abril.

Por causa da antecipação dos feriados municipais, a sessão foi adiada para 13 de abril , quando finalmente foi realizada.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta