Diário no Sul

Volvo anuncia manutenção de investimentos de mais R$ 1 bilhão no Brasil

Fabricante contratou 400 funcionários no início deste ano de 2021. Foto: Divulgação / Volvo.

Valor segue previsto para o período de 2020 a 2023 nas áreas de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e serviços, além de melhoria de processos industriais e de gestão

JESSICA MARQUES

A Volvo anunciou nesta terça-feira, 09 de fevereiro de 2021, a manutenção de investimentos de mais R$ 1 bilhão no Brasil. O valor segue previsto para o período de 2020 a 2023 nas áreas de pesquisa e desenvolvimento de novos produtos e serviços, além de melhoria de processos industriais e de gestão.

Apesar da crise gerada no setor de transportes e na indústria pela pandemia de covid-19, o presidente do Grupo Volvo América Latina, Wilson Lirmann, garantiu que os investimentos serão feitos neste ciclo. A informação foi divulgada em entrevista coletiva da qual participou o Diário do Transporte.

“A Volvo pretende continuar trazendo sempre o que há de melhor em termos de produtos e serviços no mundo, para o Brasil e para a América Latina. Nós não paramos esses investimentos. É claro que nós temos desafios com a pandemia, não menos dificuldades de trabalhar com as nossas equipes a distância, mas estamos avançando e logo teremos novidades para anunciar no mercado latino-americano”, afirmou Lirmann.

O ciclo de investimentos havia sido anunciado pela Volvo em fevereiro de 2020. O valor é destinado a todos os negócios da Volvo no Brasil: ônibus urbanos e rodoviários, caminhões pesados e semipesados, equipamentos de construção, motores marítimos e industriais e serviços financeiros.

Relembre:

Grupo Volvo anuncia investimentos de mais R$ 1 bilhão no Brasil entre 2020 e 2023

MERCADO GERAL

De forma geral, Wilson Lirmann afirmou que a pandemia de covid-19 deve ainda impactar na situação do mercado automotivo, mas que as perspectivas permitem que a Volvo esteja otimista.

“A questão da pandemia e o aspecto fundamental do avanço da vacinação, que é o que vai eliminar o fator de risco que nós vivemos hoje com a possibilidade de novos lockdowns, além, é claro, da questão da saúde para toda a população e as dificuldades das cadeias de suprimento, as dores do crescimento e da retomada”, disse.

“Temos questões de capacidade, bem gerenciadas, mas que tem alguns desafios, uma complexidade global, a cadeia automotiva tem fornecedores em todas as regiões do mundo e nós temos acompanhado as situações nos diferentes países com toda a nossa equipe global de compras e manufatura”, afirmou ainda Lirmann.

“Também há um impacto em custos. Tivemos aumentos importantes no custo de matérias-primas, como o aço, produtos manufaturados como pneus, semicondutores e assim por diante. Fomos inclusive obrigados a repassar uma parte destes custos para o produto final. Esse ainda é um ambiente de certa volatilidade, que vai exigir grande atenção. De qualquer forma, nós estamos bastante otimistas, temos uma carteira robusta, tivemos uma queda do mercado total ano passado, mas vemos a possibilidade de um avanço expressivo em 2021”, completou.

MERCADO DE ÔNIBUS

Na ocasião, a Volvo também reforçou a perspectiva anteriormente informada pela Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores) de uma alta de 13% no mercado de ônibus em 2021.

Relembre:

Anfavea prevê alta de 13% para mercado de ônibus em 2021

Para o mercado de fretamento, a Volvo considera que haverá uma recuperação gradual do emprego formal no Brasil, o que pode impulsionar o segmento.

De acordo com a fabricante, os setores em expansão, que podem gerar novos negócios em fretamento, são indústria, mineração, agronegócio, construção e proteína animal.

No segmento de ônibus urbanos, a Volvo aposta as fichas na licitação de Santiago, no Chile, que pode render a venda de aproximadamente 2 mil chassis para o sistema.

Leia mais:

Santiago do Chile divulga classificação de propostas em licitação para ônibus elétricos e ecológicos do Transantiago

Em resposta ao questionamento do Diário do Transporte, o presidente da Volvo Buses Latin America, Fabiano Todeschini, apresentou os detalhes sobre a licitação.

Ouça:

Por sua vez, para o segmento de ônibus rodoviários, a perspectiva da Volvo é de que seja criado um programa federal para a retomada do turismo. Além disso, a fabricante conta com o fato de que o câmbio trará mais viagens internas com a alta do dólar e que haverá mais demanda por conectividade e economia.

Este último fator é considerado uma vantagem, uma vez que a marca investe em tecnologia e observa uma procura crescente pelo Sistema de Segurança Ativa.

Ao todo, a marca soma 15.554 ônibus conectados na América Latina. Somando caminhões (79.289) e máquinas pesadas (11.007), são mais de 100 mil veículos com sistemas de conectividade no continente.

Confira a apresentação da montadora, na íntegra:

NOVOS EMPREGOS

Com operação industrial em Curitiba, no Paraná, a Volvo contratou 400 funcionários no início deste ano de 2021. Segundo a fabricante, as admissões são para o atendimento da demanda crescente por caminhões.

Atualmente, são 3.800 pessoas trabalhando na empresa. Segundo a marca, o número é maior do que o registrado no período anterior à pandemia de covid-19.

“A América Latina é a maior região de negócios de caminhões da Volvo no mundo, mesmo diante do cenário econômico adverso criado pelo coronavírus”, afirmou o presidente do Grupo Volvo América Latina.

Também em meio à pandemia, a Volvo manteve o plano de expansão da rede e inaugurou a centésima concessionária da marca em novembro de 2020. No mesmo mês, foram inauguradas novas unidades em Barro Alto (GO), Balsas (MA) e Três Lagoas (MS).

Em dezembro, por sua vez, a Volvo divulgou a abertura da concessionária no Brasil, a Lapônia Itu, no interior de São Paulo, com quase 15 mil metros quadrados edificados.

Relembre:

Volvo abre concessionária em Itu (SP)

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta