Catracas de terminais da Transcol são liberadas em protesto nesta quarta (06)

Ônibus da Grande Vitória

A circulação dos ônibus é normal. É o terceiro dia de protestos pedindo a volta dos cobradores

WILLIAN MOREIRA

Em novo protesto, os rodoviários do sistema Transcol na Grande Vitória promoveram a abertura das catracas em alguns terminais do sistema nesta quarta-feira, 06 de janeiro de 2021.

De acordo com o jornal Folha Vitória, os passageiros estão ingressando nos terminais sem efetuar o pagamento da passagem desde às 5h40.

Essa é mais uma ação dos trabalhadores do transporte devido à suspensão da função de cobrador durante a pandemia.

Estes funcionários, segundo o sindicato, deveriam estar sendo reaproveitados em outras funções, o que não está acontecendo integralmente.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2021/01/04/protesto-pela-volta-de-cobradores-impede-a-saida-de-onibus-do-transcol-em-vitoria-e-regiao/

A greve deste começo de ano (04 de janeiro) se encerrou no final da manhã  do mesmo dia após o sindicato ser notificado pela Justiça do Trabalho que considerou a greve como prejudicial a saúde, por aumentar de risco de transmissão do coronavírus, devido a lotação no transporte ser maior, como mostrou o Diário do Transporte.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2021/01/04/greve-no-transcol-e-encerrada-na-grande-vitoria-es/

Já no dia 05 de janeiro de 2021, os trabalhadores promoveram uma passeata e pararam os ônibus em vias de grande movimento do centro de Vitória

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/01/05/rodoviarios-da-grande-vitoria-fazem-protesto-no-centro-da-capital-pela-volta-de-cobradores/

Em texto publicado no jornal A Gazeta, o secretário Estadual de Mobilidade e Infraestrutura, Fábio Ney Damasceno, disse que estes cobradores foram e estão sendo amparados pelo governo estadual, com 750 CNHs nas categorias B e AB já emitidas como primeira habilitação, e outras 750 previstas para 2022.

Tal medida, segundo Damasceno, permitirá a requalificação destes profissionais e a possibilidade de executar outras tarefas para as operadoras do Transcol.

O secretário completa que o afastamento dos cobradores foi uma das ações voltadas ao transporte para evitar o contágio e transmissão do coronavírus, sendo que 2,8 mil funcionários estão mesmo afastados, recebendo integralmente os salários e benefícios e o que não serão demitidos tendo em vista o prazo de estabilidade na Lei Federal nº 14.020 que determina oito meses e do acordo firmado com o TRT (Tribunal Regional do Trabalho) em 2019 que obriga 20 meses de estabilidade.

Os trabalhadores pedem a volta dos cobradores ao sistema. Estes profissionais estão sem trabalhar no posto desde maio de 2020 por causa da pandemia de covid-19 que suspendeu o pagamento em dinheiro.

Com o fim do programa do Governo Federal de afastamento do trabalho com complementação dos salários com recursos da União, os cobradores deveriam estar sendo aproveitados em outras funções, mas de acordo com a categoria, não há vagas para todos os trabalhadores.

O protesto do dia 04 de janeiro de 2021 afetou a saída dos ônibus das empresas Praia Sol, Unimar, Serrana e Satélite

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta