Bruno Covas vai comunicar Transportes Metropolitanos para ampliação de frota. Nesta 6ª, setores de venda de veículos e escritórios poderão abrir

Prefeitura promete reforçar frota de ônibus para evitar superlotação

ADAMO BAZANI/WILLIAN MORERA

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, anunciou em entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira, 05 de junho de 2020, algumas medidas sobre como será o início do funcionamento das atividades autorizadas a abrir com restrições na fase laranja do Plano São Paulo, de relaxamento da quarentena, criado pelo governo do Estado.

Nesta tarde serão assinados os protocolos com os setores de concessionárias de veículos e escritórios . Nesta sexta-feira,05, estes estabelecimentos já poderão reabrir.

A Prefeitura recebeu 74 propostas para aberturas dos cinco setores que podem funcionar, sendo 42 para a Fase Laranja e 32 para as demais fases.

Cada local vai definir as quatro horas que ficará aberto, mas não pode ser no horário de pico. Não pode abrir depois das 7h ou antes das 10h, não pode fechar depois das 17h ou antes das 20h, para não sobrecarregar os ônibus, trens e metrô.

Atualmente são 8,3 mil ônibus municipais em circulação. Bruno Covas reiterou que serão colocados mais dois mil ônibus em bolsões e que vai oficiar a STM – Secretaria dos Transportes Metropolitanos para que haja aumento da frota da CPTM, do Metrô e dos ônibus da EMTU.

Diferentemente dos 38 municípios da Grande São Paulo, que estão na fase vermelha e que não possibilita nenhuma mudança na quarentena que dura desde 24 de março, a capital paulista está na fase um pouco mais flexível.

Bruno Covas negou que o mega-rodízio (par ou ímpar) marcou o maior número de mortes por Covid-19

Segundo Covas a média atual na cidade é de 40 mortes diárias, sendo que o número foi maior, chegando a 96 óbitos em 16 de maio.

O prefeito disse ainda que a quantidade de mortes na cidade por Covid na última semana em comparação à penúltima caiu mais de 60%

Uma das preocupações é com o transporte coletivo. O reinício das atividades, mesmo que gradual, deve gerar uma demanda maior nos ônibus, trens e metrô.

A prefeitura é responsável apenas pelos ônibus municipais gerenciados pela SPTrans – São Paulo Transporte.

Nesta semana, a portais de mobilidade, entre os quais o Diário do Transporte, o secretário municipal de mobilidade e transportes, Edson Caram, disse que podem ser colocados à disposição uma frota superior aos dois mil ônibus extras que foram pensados para a reabertura.

Caram ainda disse que para o relaxamento e até mesmo para o pós-pandemia, devem ser feitos ajustes nos contratos com as empresas de ônibus, como a exigência de limpeza mais frequentes e rigorosas nos coletivos.

Relembre:

FROTA:

https://diariodotransporte.com.br/2020/06/02/prefeitura-de-sao-paulo-pode-colocar-reforco-superior-aos-dois-mil-onibus-prometidos-em-flexibilizacao-de-quarentena-diz-caram/

CONTRATOS:

https://diariodotransporte.com.br/2020/06/02/contratos-de-onibus-da-capital-paulista-serao-readequados-para-o-pos-pandemia/

ASSISTA:

<iframe width=”875″ height=”492″ src=”https://www.youtube.com/embed/dvUJFhFTpFI?list=UURgHhRLeLXeu3E89haOlttg&#8221; frameborder=”0″ allow=”accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture” allowfullscreen></iframe>

<iframe width=”560″ height=”315″ src=”https://www.youtube.com/embed/dvUJFhFTpFI&#8221; frameborder=”0″ allow=”accelerometer; autoplay; encrypted-media; gyroscope; picture-in-picture” allowfullscreen></iframe>

 

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Deixe uma resposta