Prefeitura de São Paulo pode colocar reforço superior aos dois mil ônibus prometidos em flexibilização de quarentena, diz Caram

Publicado em: 2 de junho de 2020

Segundo o secretário, média atualmente está em 121 passageiros por veículo por dia

JESSICA MARQUES
Colaborou Adamo Bazani

O secretário municipal de mobilidade e transportes de São Paulo, Edson Caram, afirmou que a Prefeitura de São Paulo pode colocar um reforço superior aos dois mil ônibus prometidos em flexibilização de quarentena.

A informação foi divulgada na noite desta terça-feira, 02 de junho de 2020, em entrevista aos portais de mobilidade Diário do Transporte, Diário dos Trilhos e Via Trólebus.

“Além dos dois mil ônibus, temos uma frota que poderá ser colocada em circulação a qualquer momento na capital paulista. Para isso, a SPTrans está fazendo um acompanhamento hora a hora do que está acontecendo dentro do nosso sistema”, afirmou Caram.

A promessa dos dois mil ônibus foi feita pelo prefeito Bruno Covas em 28 de maio de 2020, na entrevista coletiva sobre a apresentação dos planos do município para a retomada com restrições de algumas atividades autorizadas pelo governo do Estado de São Paulo.

Relembre: Retomada de atividades da cidade de São Paulo terá dois mil ônibus a mais para demanda maior

“Se eu preciso fazer um remanejamento de alguma linha, tenho alguma com pouca demanda e outra com muita, acabo fazendo esse tipo de remanejamento. Além disso, são 600 ônibus em bolsões para evitar que haja excesso de pessoas nos terminais, o que tem se mostrado eficiente até o momento”, detalhou também o secretário.

DEMANDA

Além disso, Caram informou também que o transporte municipal está com uma média de 121 passageiros por ônibus por dia, o que representa muito pouco dentro do sistema como um todo, na visão do secretário.

“Problemas às vezes acontece em horário de pico, que é quando entramos com maior volume de ônibus”, detalhou. “Além disso, está sendo feita higienização nos ônibus e nos terminais, maior frequência de limpeza nos banheiros, avisos sonoros, obrigatoriedade do uso de máscara, autorização para empresas de ônibus colocarem cortinas para proteger o motorista da população e quando houver aumento de demanda, intensificar esse serviço”, afirmou também Caram.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta