Prefeitura de Santo André descarta reajuste na tarifa de ônibus em 2020

Publicado em: 3 de janeiro de 2020

Processo de renovação de frota teve início em 2019. Foto: Jessica Marques.

Tarifa comum, paga em dinheiro ou cartão, está em R$ 4,75 atualmente

JESSICA MARQUES

A Prefeitura de Santo André, no ABC Paulista, informou ao Diário do Transporte nesta sexta-feira, 03 de janeiro de 2019, que descarta reajuste na tarifa dos ônibus municipais em 2020.

Atualmente, a tarifa comum, paga em dinheiro ou cartão, está em R$ 4,75. Na cidade, os professores da rede de ensino pública e privada pagam 50% da tarifa e os estudantes têm direito a gratuidade, assim como idosos a partir de 60 anos.

“Não haverá reajuste na tarifa de ônibus municipal em Santo André em 2020”, informou a Prefeitura, em nota.

No município, o último reajuste da tarifa de ônibus ocorreu em 06 de janeiro de 2019, quando o valor da passagem passou de R$ 4,40 para R$ 4,75. No mesmo ano, São Bernardo do Campo também aumentou o valor.

Relembre: Santo André e São Bernardo do Campo têm reajuste na tarifa de ônibus em janeiro

FROTA

Em 2019, a Prefeitura de Santo André apresentou 40 novos ônibus ao transporte coletivo da cidade. A Viação Guaianazes entregou 30 veículos zero-quilômetro, porém sem ar-condicionado, conforme o que havia sido prometido.

Neste caso, os veículos são do modelo Caio Apache Vip IV, com chassis Mercedes-Benz OF 1721, conforme noticiado pelo Diário do Transporte.

Relembre: Primeiros 15 ônibus zero-quilômetro começam a operar nesta sexta-feira em Santo André

A Viação Vaz, porém, foi a primeira a colocar em operação ônibus com a pintura característica da renovação de frota. Os veículos entregues, porém, foram seminovos.

Relembre: Primeiros ônibus de Santo André com nova identidade visual começam a operar e prefeito divulga cronograma de renovação de frota

A empresa também comprou, na época, cinco ônibus zero-quilômetro, que vieram da fábrica da Neobus, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul.

Relembre: Mais cinco ônibus zero-quilômetro entram em operação a partir de segunda-feira em Santo André

Na ocasião, o prefeito Paulo Serra explicou que o fato de o Governo recuperar a credibilidade financeira da cidade foi o que viabilizou a compra dos novos ônibus.

Como a gente colocou a casa em ordem do ponto de vista financeiro, a gente criou fôlego para os concessionários do transporte público fazerem esse investimento“, disse o prefeito.

O subsídio do Bilhete Único que é pago chegou a ficar atrasado e gente recuperou esse fluxo do subsídio, que já é dado“, completou.

Atualmente, em Santo André, a segunda e a terceira tarifa para o mesmo sentido são gratuitas com o uso do Bilhete Único. O valor deste subsídio é de aproximadamente R$ 1,5 milhão por mês, variando de acordo com a utilização da integração por parte dos passageiros.

Quando questionado se houve alguma outra forma de remunerar as empresas do Consórcio União Santo André para viabilizar a compra de ônibus zero-quilômetro, o prefeito Paulo Serra garantiu que não.

“A gente quer fazer com que a modernização crie um sistema que seja autossuficiente, sem majoração da tarifa. Por isso que a gente está modernizando, adaptando, encurtando algumas linhas, criando novas perspectivas, novas integrações para que o sistema volte a ser rentável, autossuficiente, e que os investimentos continuem e não parem mais”, garantiu Serra.

A gente não pode correr o risco que corremos nos últimos anos, de 2013 a 2016, de haver um sucateamento e idade da frota muito antiga. Isso prejudica a qualidade do trabalho, o munícipe sente e a gente tem uma tarifa que exige uma qualidade de transporte melhor”, afirmou também o prefeito, na ocasião.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Pedro Oliveira disse:

    Não Fez mais doque a Obrigação.
    Não é Favor nenhum pra População.
    Afinal Pagamos um Absurdo de impostos.
    Tem que Fazer muito Mais pelo Povo.
    EDUCAÇÃO,SEGURANÇA,

  2. Tânia aparecida Figueiredo Ribeiro . disse:

    ANO DE ELEIÇÃO É ASSIM, O PREFEITO DA CIDADE FICA TÃO BONZINHO QUE NEM A PASSAGEM DE ÔNIBUS ELE QUER AUMENTAR, UMA PASSAGEM QUE ESTÁ IMPER, CARA .AUMENTAR PARA QUE ? ABRAÇO O OLHO POPULAÇÃO .

  3. Alex disse:

    Deveriam é reduzir o preço da passagem levando em conta q tiraram os cobradores aumentando o desemprego na cidade. Sem contar q os coletivos sem cobradores estão atrapalhando o trânsito e colocando muitas vidas em risco. Se as empresas ñ possuem mais cobradores os custos foram bem reduzidos. Então pq ñ reduzir a passagem também?

  4. Sidnei disse:

    Já que se está falando de transporte público de aumento de tarifas, convém falar da tal mobilidade urbana Santo André é uma cidade caótica neste sentido não existe melhoria alguma com respeito a essa situação.
    Mais o Prefeito atual fez dois empréstimos para nós que moramos na cidade pagarmos porque se fala a Prefeitura vai pagar em 20, 25 ou 30 anos os empréstimos!
    A Prefeitura não existe sem nós os moradores do município que consumimos e vivemos aqui, então que vai pagar a conta que nós não fomos consultados parã ser feita.
    Com o BID em 2018 25 milhões de dólares
    Com a CAF ( CORPORAÇÃO ANDINA DE FOMENTO ) 50 milhões de dólares.
    São 75 milhões de dólares de dívida na cotação simplório de 4 por 1
    São 300 milhões de reais!!!

  5. Rafael disse:

    Ano de eleição. Não existe almoço grátis. No ano que vem o aumento vem dobrado, quebrando a barreira dos 5 reais por um transporte muito ruim, sujo, sem horário definido das linhas, sem conforto e inseguro.

  6. Alex disse:

    Com a retirada dos cobradores deveria ficar um bom tempo sem aumento de passagem. É uma pena que muitos ficaram desempregados. E é lamentável q nossa segurança no trânsito está em risco c motoristas dirigindo e cobrando.

Deixe uma resposta