Definição de modal para Linha 18-Bronze sai em até 90 dias, diz Doria

Publicado em: 20 de março de 2019

Governador esteve em entrega de 25 ônibus novos do Corredor ABD pela Metra

ADAMO BAZANI / JESSICA MARQUES

O governador de São Paulo, João Doria, e o secretário de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, disseram no final da manhã desta quarta-feira, 20 de março de 2019, que em até 90 dias a equipe de governo deve definir qual é o modal a ser implantado na Linha 18-Bronze, prevista para ligar os municípios de São Bernardo do Campo, Santo André e São Caetano do Sul até a estação Tamanduateí da linhas 2-Verde do Metrô e 10-Turquesa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

De acordo com João Doria, em entrevista coletiva que teve cobertura do Diário do Transporte, o principal entrave são os custos das desapropriações. Segundo o governador, os imóveis no ABC Paulista se valorizaram e será necessário o levantamento de alternativas de meios de transporte que requeiram menos desapropriações.

Estamos atentos a isso e entendendo que uma decisão do passado, não quero fazer críticas, mas nem sempre dadas as circunstâncias de hoje se aplica neste momento. Se há alternativas melhores, temos que adotar“, afirmou o governador.

Doria disse ainda que nada está descartado, mas o que se está avaliando é a relação custo-benefício para a definição do modal.

Ainda não há uma decisão firmada a esse respeito. O que há é um grupo de estudo coordenado pelo secretário Baldy e outros secretários também, incluindo o vice-governador Rodrigo Garcia, que é nosso secretário de governo, com vista a análise do melhor modal, aquele que pode ser implantado no menor tempo possível, oferecendo funcionalidade, eficiência, velocidade, capacidade de transporte, segurança e conforto. A decisão que for estabelecida por esse grupo de trabalho, levando em conta estes aspectos, é a orientação do governador e será adotada”, disse o governador que ainda acrescentou que o foco dos estudos das alternativas serão maneiras de reduzir desapropriações por causa da valorização imobiliária no ABC.

“O custo do metro quadrado cresceu nesta região e representa um custo bastante pesado nesta implantação. Na verdade, o maior custo desta implantação. Não são os trilhos, monotrilho ou outro tipo de trilho e sim o custo da desapropriação, por isso estamos revendo o modal e é por isso que essa decisão é em 60 ou no limite 90 dias, será anunciada publicamente.”

Ouça um dos trechos:

A Linha 18-Bronze foi projetada inicialmente para ser um sistema de monotrilho, que deveria estar pronto entre o final de 2015 e o início de 2016. O projeto está em seu quinto aditivo e ainda não há definição sobre o início das obras.

No final de fevereiro, o Diário do Transporte esteve com a direção do Consórcio Vem ABC, responsável pela implantação do monotrilho, que disse já ter adiantado investimentos na ordem de R$ 5 milhões para o início da implantação da linha.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/02/26/consorcio-vemabc-ja-gastou-mais-de-r-5-milhoes-em-linha-18-e-diz-que-pode-entregar-monotrilho-seis-meses-antes-do-projeto-original/

As declarações do governador João Doria e do secretário Alexandre Baldy foram feitas no final da manhã desta quarta-feira em entrega de 25 ônibus novos pela concessionária Metra, do corredor ABD. Os veículos são da marca Volvo, modelo B340 M com carroceria Caio Millennium BRT.

Os ônibus têm ar-condicionado, acessibilidade, Wi-Fi, carregadores USB para celular, entre outros itens.

A diretora presidente da Metra, Maria Beatriz Setti Braga, disse que esses veículos articulados de 21 metros vão substituir ônibus menores, de em torno de 13 metros, o que vai aumentar entre 30% e 40% a capacidade da extensão do corredor Diadema-Brooklin.

Nós estamos esperando dar maior conforto e pelo menos 30% a 40% mais de assentos e comodidade para o nosso cliente. É isso o que a Metra sempre primou por ter, um serviço de melhor qualidade para oferecer aos nossos usuários. São 25 veículos novos com 21 metros cada um, com ar-condicionado, tomada para celular, Wi-Fi e confortos que o mundo moderno exige”, avaliou.

Maria Beatriz Setti Braga disse ainda que há projetos sendo discutidos com o Governo do Estado para melhorias da infraestrutura do Corredor ABD, como modernização das paradas com o chamado pré-embarque, que é a possibilidade do pagamento da tarifa antes de o passageiro entrar no ônibus.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Comentários

  1. ANDRE FERNANDES disse:

    olha quem ta do lado dele monotrilho ja era vai ser outro corredor da metra ai no verao ja sabe tudo alagado na guido aliberte

  2. alexandrovl disse:

    antes o orlando morando era papagaio de pirata do covas, serra, alckmin e agora é do doria, a beatriz ao lado do doria deve ter sugerido o brt, e se for brt que tenha linha expressa são bernardo – tamanduatei, que o tempo seria menor que indo de monotrilho!

    a vantagem do monotrilho é q não pega alagamentos na guido aliberti como escrito no comentário anterior.

Deixe uma resposta