BRT no lugar da linha 18-Bronze custaria quatro vezes menos só que demanda seria três vezes menor, de acordo com projeção da STM em apresentação

Publicado em: 29 de março de 2019

Monotrilho deveria ter sido entregue entre 2015 e 2016. Imagem – Projeção VEM-ABC, clique para ampliar

Definição do meio de transporte deve ser divulgada ate o final de maio

ADAMO BAZANI

Um sistema de ônibus rápidos em corredores (BRT) no lugar de monotrilho para a linha 18-Bronze, entre parte do ABC e a Estação Tamanduateí, na capital paulista vai custar em torno de quatro vezes menos, mas terá uma capacidade de demanda aproximadamente três vezes menor.

É o que revela uma apresentação de investimentos da STM – Secretaria de Transportes Metropolitanos à qual o Diário do Transporte teve acesso.

A apresentação mostra uma estimativa de investimentos na CPTM, Metrô de São Paulo, rede de ônibus da EMTU e corredores de R$ 43,9 bilhões entre 2019 e 2022. Deste valor, R$ 29,1 bilhões serão recursos diretos do Governo do Estado de São Paulo e R$ 14,8 bilhões pela iniciativa privada, em especial por meio de PPPs – Parcerias Públicos Privadas e também, concessões.

Entre as previsões de investimentos está a linha 18-Bronze, prevista inicialmente para ser monotrilho em 15,7 km ligando São Bernardo do Campo, Santo André, São Caetano do Sul e a estação Tamanduateí, do Metrô.

A apresentação, que traz uma estimativa de benefícios à população a partir de 2022 pela linha, já leva em conta um BRT como alternativa ao monotrilho.

A projeção prevê que um monotrilho para a ligação custe R$ 5,3 bilhões, quase quatro vezes mais caro que se no trajeto fosse feito um sistema de corredores de ônibus, que ainda pelos cálculos da Secretaria de Transportes Metropolitanos, custaria R$ 1,38 bilhão.

Entretanto, de acordo com a apresentação, a demanda que o BRT poderia atender, seria quase três vezes menor que do monotrilho, 342 mil passageiros por dia ante 115 mil passageiros.

A apresentação mostra ainda que o BRT pode ter duas alternativas de traçado.

Na alternativa A, a partir de São Caetano do Sul, o BRT seguiria para o Terminal Sacomã. Já na alternativa B, seguiria o mesmo trajeto proposto para o monotrilho, na direção da estação Tamanduateí do Metrô e da CPTM.

A apresentação só leva em conta os modais BRT e monotrilho, não cogitando Metrô e nem VLT – Veículo Leve sobre Trilhos.

Em evento de entrega de ônibus novos para o corredor ABD, na semana passada, com cobertura do Diário do Transporte, o governador de São Paulo, João Doria, disse que em 90 dias a equipe da Secretaria de Transportes Metropolitanos definiria o modal para a ligação.

Ainda não há uma decisão firmada a esse respeito. O que há é um grupo de estudo coordenado pelo secretário Baldy e outros secretários também, incluindo o vice-governador Rodrigo Garcia, que é nosso secretário de governo, com vista a análise do melhor modal, aquele que pode ser implantado no menor tempo possível, oferecendo funcionalidade, eficiência, velocidade, capacidade de transporte, segurança e conforto. A decisão que for estabelecida por esse grupo de trabalho, levando em conta estes aspectos, é a orientação do governador e será adotada”, disse o governador que ainda acrescentou que o foco dos estudos das alternativas serão maneiras de reduzir desapropriações por causa da valorização imobiliária no ABC.

“O custo do metro quadrado cresceu nesta região e representa um custo bastante pesado nesta implantação. Na verdade, o maior custo desta implantação. Não são os trilhos, monotrilho ou outro tipo de trilho e sim o custo da desapropriação, por isso estamos revendo o modal e é por isso que essa decisão é em 60 ou no limite 90 dias, será anunciada publicamente.”

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/03/20/definicao-de-modal-para-linha-18-bronze-sai-em-ate-90-dias-diz-doria/

No final de fevereiro, o Diário do Transporte esteve com a direção do Consórcio Vem ABC, responsável pela implantação do monotrilho, que disse já ter adiantado investimentos na ordem de R$ 5 milhões para o início da viabilização da linha.

Relembre: https://diariodotransporte.com.br/2019/02/26/consorcio-vemabc-ja-gastou-mais-de-r-5-milhoes-em-linha-18-e-diz-que-pode-entregar-monotrilho-seis-meses-antes-do-projeto-original/

Oficialmente, em nota, a STM diz que não reconhece o relatório, e que ainda não definiu as prioridades dos investimentos

A Secretaria de Transportes Metropolitanos desconhece o relatório divulgado sobre investimentos da pasta. Projetos e obras da Secretaria estão em fase de reconhecimento pela nova gestão para a definição de prioridades.”

O Diário do Transporte confirmou a existência do documento de intenções junto a fontes ligadas à pasta, que reiteraram que as estimativas são levadas em consideração, mas que não se tratam da versão final dos projetos.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. vagligeirinho disse:

    A maior vantagem para um BRT é que a implantação (teoricamente) é mais rápida e assim já auxiliaria na organização da demanda de transporte público, mesmo que seja subdimensionado.

    Dado nossa triste realidade com a experiência de construção de monotrilhos, é preferível ter “pé no chão” e colocar um BRT em funcionamento, ou até mesmo um VLT.

    A outra vantagem é o isolamento de área, que permitiria que em uma época futura, a linha ganharia um “upgrade”, saindo de um BRT ou VLT para sistemas ferroviários de maior capacidade.

    Desistir de instalar um monotrilho, ao meu ver, é a melhor jogada que pode ser feita.

    1. Felipe disse:

      Absurdo seu comentário, olha só a capacidade de um e de outro. Com certeza vc não mora naquela região..

      BRT serve,com muita boa vontade, pra cidades medias e não para uma das maiores regiões metropolitanas do mundo. Sem contar que o traçado passa por areas com alagamentos frequentes.

  2. Luiz Carlos Direnzi disse:

    Conversa. Tem que por mesmo é o trem tradicional e não essas porcarias futuristas de monotrilhos. Nem BRT para engordar as contas de Políticos e empresas de ônibus.

  3. Antonio carlos disse:

    Tenho precentimento que farão um corredor badarosca como todos aqui de São Paulo.

  4. Caique disse:

    Preferível não fazer nada. O ABC está cansado de ser tratado como o lixo da Região Metropolitana.
    Mais um BRT pra ter os mesmos problemas da Metra: todo dia atrasos e super lotação, toda chuva alagamentos e queda de eletricidade.
    O ABC precisa de trilhos, precisa do METRÔ.

  5. Paulo Henrique Ribeiro Bugliani disse:

    Primeiro tem que rebaixar a calha do rio dos meninos e do corrego dos couros para solucionar o problema das enchentes,pois é sabido que a região alaga muito fácil.

  6. ANDRE FERNANDES disse:

    como uma regiao que alaga todo ano ta valorizada vem ai um corredor de onibus pra baronesa de sbc monotrilho ja era o abc nao tem politico nenhum que presta o prefeito de sbc colocou varios cartazes dizendo que o metro estava chegando no abc e agora vai dizer oque triste abc que de grande nao tem mais nada

    1. Isso é obra especulativa do prefeito de SBC Orlando Morando..

  7. Luiz Carlos Domenico disse:

    Melhor não fazer porcaria nenhuma do que fazer o BRT. Pois no futuro próximo será desativado para dar lugar ao metrô verdadeiro, pois vai prejudicar o trânsito aí terá que fazer duas vezes. Faça certo desde a primeira vez não adianta tapar o sol com a peneira.

  8. Alessandra disse:

    O ABC precisa de metrô!!!! Soluções paliativas não resolverão o problema. Demoraram tanto tempo para tomar a decisão e querem fazer algo que não resolve o problema…. o barato pode sair caro….e não trará a satisfação esperada pelos moradores do Abc.

  9. Eduardo disse:

    Fazer BRT é ridículo. Melhor não fazer nada

  10. Anderson disse:

    Já disseram tudo que penso nos comentários acima, BRT numa área que alaga, muito transito nas poucas vias, gastar 2x pois futuramente precisará “virar” metrô, etc…
    Notei outra coisa: monotrilho teria 13 estações e o BRT eles querem fazer c/ 19 (+paradas=menor velocidade poxa)…

  11. Issun disse:

    Só o fato de ainda estarem discutindo possibilidade de BRT no lugar do monotrilho já me gera absoluta perplexidade, não creio que esse devaneio vá em frente a não ser que alguns políticos queiram perder as próximas eleições e se queimarem para sempre sendo recordados lá na frente como alguns dos caras mais burros do mundo enquanto o povo estiver sofrendo nos buzão dentro de poucos anos após a inauguração.

  12. Paulo Gil disse:

    Amigos, boa noite.

    Concordo com todos os comentários acima.

    A verdade é uma só o que interessa é fazer duas vezes, para desperdiçar o dinheiro do contribuinte e ainda sobrar para aquela deliciosa pizza 1/2 a 1/2 a moda da casa “deles”.

    Já que temos um zilhão de leis no Barsil, tem de fazer mais uma; que não permita políticos e gestores públicos trabalharem conforme mostra a matéria.

    Trabalhando assim. tem de ser demitido por justa causa, afinal se todo profissional trabalhasse como os políticos e os gestores públicos, seriam todos demitidos.

    TRABALHA BARSIL, LEVANTA DO BERÇO ESPLENDIDO.

    Att,

    Paulo Gil

  13. O mais certo e que deu certo, é o BRT Fura Fila, que demorado é eficiente, desde Sacomâ ao Parque Dom Pedro, não tem semáforos e passa longe de enchentes,,,,tem gente querendo demais….

  14. JOSE LUIZ VILLAR COEDO disse:

    Prefiro BRT! BEM MELHOR E MENOS “OSTENTAÇAO”! Desde que sejam antes resolvidos na medida do possível … os problemas das ENCHENTES que no início de Março ate mataram mais gente afogada na Grande SP INCLUSIVE ai na região do ABCD ! O BRT É MUITO MAIS BARATO E RÁPIDO DE SE CONSTRUIR / INSTALAR E OPERAR!

    1. Felipe Luchiari Velber disse:

      BRT é um lixo, pode até ser mais rápido de se construir mas não vai resolver em nada o problema.

    2. Oliver disse:

      Caro, não se trata de “ostentação”, mas de adotar uma solução condizente com a demanda prevista. É um critério técnico, não “facebookiano”.

Deixe uma resposta