Ônibus de Campinas não aceitarão mais pagamento da tarifa em dinheiro a partir de 19 de janeiro

Publicado em: 27 de dezembro de 2018

Código deve ser encostado em leitor- Foto: Emdec

Formas de pagamento possíveis serão por cartão eletrônico ou QR Code

ALEXANDRE PELEGI

A partir do dia 19 de janeiro de 2019 os passageiros em Campinas terão de pagar o ônibus na cidade através de bilhetes com QR Code ou com Bilhete Único.

 

transurc

Um dos objetivos, segundo a prefeitura é reduzir os assaltos no interior dos ônibus.

Ao eliminar o uso do dinheiro para pagamento da passagem dentro dos ônibus, nosso objetivo é garantir viagens mais seguras para os usuários e os motoristas do transporte público. Além disso, o processo se torna mais moderno, ágil e eficiente”, destaca o secretário municipal de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro.

Atualmente, a frota operacional do transporte público de Campinas é de 1.070 veículos. São 205 linhas. O sistema tem uma média mensal de 14 milhões de passageiros.

A medida foi adotada pela Prefeitura de Campinas depois que o Ministério Público do Trabalho (MPT) entrou com ação contra as concessionárias de ônibus da cidade por conta do acúmulo de função.

Os testes com o novo sistema começaram em janeiro de 2017, nos distritos de Sousas e Joaquim Egídio. Ainda no primeiro semestre os testes foram ampliados para cerca de 100 ônibus.  Relembre:

Campinas expande cobrança eletrônica para mais 100 ônibus

Em entrevista ao Diário do Transporte no fim de maio deste ano, o secretário de Transportes de Campinas, Carlos Barreiro, afirmava que antes do fim do ano não haveria mais dinheiro em circulação nos ônibus da cidade. “A consequência disso é que não haverá também mais cobradores no sistema de transportes de Campinas”, ele afirmava. Relembre:

ENTREVISTA: Campinas terá só ônibus elétricos na região central, garante secretário

QR CODE

O sistema QR Code (Quick Response Code, ou Código de Resposta Rápida na sigla em Inglês) é um código de barras bidimensional, impresso em papel, que armazena dados e caracteres. O ticket terá a codificação da tarifa. Após comprar nos pontos de venda que estarão espalhados pela cidade, o passageiro validará seu código no interior do ônibus.

O pagamento da passagem por QR Code custa R$ 4,70 e não dá direito à integração e todos os veículos do sistema já passam o ticket.

O bilhete pode ser adquirido em qualquer um dos pontos de venda credenciados da Transurc, que também carregam os cartões Bilhete Único Comum, Escolar e Universitário. São mais de 300 estabelecimentos comerciais, postos autorizados da Transurc, terminais de ônibus e unidades do Poupatempo Centro e do Campinas Shopping.

Após adquirir o QR Code, o bilhete impresso terá validade por 30 dias. Caso não seja usado, o usuário não poderá solicitar reembolso.

O projeto de QR Code foi custeado pelas empresas e permissionárias do transporte público.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

 

 

 

Comentários

  1. vagligeirinho disse:

    Quando eu fui para Sorocaba dias atrás, meio que “fui obrigado” a fazer o cartão de crédito de transporte local. Infelizmente as linhas de lá hoje não permitem pagamento em dinheiro dentro do ônibus. E quando é feriado e fim de semana, não há postos de venda abertos (exceto nos terminais). As linhas que ligam Sorocaba e Votorantim também tem o mesmo problema.

    E essa desculpa do assalto não cola. Há casos de assaltos mesmo sem cobrança em dinheiro, no final o ladrão fazendo arrastão dentro do ônibus.

  2. Cris Fernandes disse:

    É importante que a empresa responsável, divulgue os pontos de vendas, não adianta implementar um programa e não disponibilizar pontos de venda acessíveis. Lembrando que nem todos os passageiros passam pelos terminais. É importante lembrar que, quem paga em dinheiro geralmente são pessoas que não pegam sempre o coletivo ou não tem o bilhete único, portanto, a transurc deve disponibilizar pontos de vendas nas regiões que não tem os terminais.

  3. Maria Valquiria Varandas de Almeida disse:

    Muito dificil para o usuário esporádico, se comprar um bilhete para ima emergência pode perder a validade, e nao terá como comprar em qql ponto. Sugiro um app para compra de bilhete com cartao débito, talvez uma solução

  4. Fabiana coelCo disse:

    Nem sempre o cód funciona

  5. Dani disse:

    O problema é que nos bairros não tem ponto de recarga, e aí como fica?

  6. Paulo Bulgarelli disse:

    Sempre diz a mesma porcaria, Campinas tinha tudo pra ser a melhor cidade do interior de São Paulo Mas não só é a mais cara, esse prefeito safado que só rouba de nós dizendo que Campinas está tendo melhorias, quais são? Os ônibus estão precárias principalmente a linha azul, horário de fds os motoristas fazem cm querem, eu só acho que tem muito coisa pra ser feito do que ficar atrás de um projeto que está falido a anos pq é questão de tempo pros ônibus voltarem a aceitar dinheiro.

  7. O engraçado é que está cada dia mais caro a passagens e os ônibus que vem para os bairros mais pobres estao em condiccon precárias .,….
    Mas pelo menos com isso vai melhorar para o motorista por ter que fazer duas funções!!!!
    Um absurdo!!!

  8. Pakalala disse:

    Papel moeda tem curso forçado. É lei Ou seja, não se pode proibir pagamento em dinheiro no Brasil. Inconstitucional.

  9. Junior disse:

    Acho um absurdo ter prazo de validade, o cidadão compra o bilhete e tem prazo de 30 dias para usar. E quem chegar de outra cidade, vai andar como de ônibus. Tem poucos pontos de venda. Não vejo muito benefícios. Põe logo metrô e acaba com esse monopólio de empresas de ônibus..

  10. josé da rocha ramos disse:

    Nem Prefeito,Secretário de Transportes ou Vereadores estão preocupados com a população.

  11. Mario Antonio Moretti disse:

    Parece mesmo que Campinas engatou a marcha ré em tecnologia. Por que não tem um aplicativo onde os usuários possam gerar o QR code no próprio celular e pagar com cartão de crédito?
    Além de caro, não oferecer nenhum conforto, ainda vamos ser obrigados a pegar fila em poucos locais para comprar o tal Bilhete.

  12. Dogmar Dê oliveira disse:

    Isso é uma vergonha para nós que usa o ônibus

  13. willy Ataide disse:

    Por acaso a moeda (Real), nosso dinheiro oficial deixou de valer em Campinas ou meu dinheiro dentro de qualquer ônibus perde o lastro? Onde já se viu o nosso “papel moeda Real ” deixar de valer a ponto dos ônibus não aceitarem a moeda corrente válida em todo território Nacional?
    Por que até agora o Procon não se pronunciou sobre esse assunto ?
    Quanto o questionamento da segurança pública em Campinas, isso é um problema da SSP o prefeito que cobre a secretaria. Se as empresas de ônibus não aguentam com a criminalidade então devolvam o contrato e vamos para uma nova licitação, “se que funciona? “.

  14. Luciene disse:

    é absurdo nova medida. Precisei por emergência usar o ônibus e simplesmente eu e minha filha tivemos que desembarcar pq não aceitam dinheiro e próximo onde estava não existia um só ponto de venda. Depois reclamam que perdem passageiros para o Uber. É uma lei abusiva.

  15. Adalberto disse:

    É INCONSTITUCIONAL ESTE SISTEMA – NINGUÉM PODE RECUSAR PAGAMENTO EM DINHEIRO ! É UM ABSURDO UMA COISA DESTA –

Deixe uma resposta