Câmara Municipal de Santo André reagenda audiência pública sobre sistema de transporte

Entre os assuntos que serão abordados está a gratuidade no transporte municipal. Foto: Adamo Bazani

Nova data é 23 de novembro de 2018, a partir das 19h

JESSICA MARQUES

A Câmara Municipal de Santo André, no ABC Paulista, reagendou a audiência pública para discutir sistema de transporte da cidade. O encontro que estava marcado para 3 de setembro foi cancelado e não havia sido estabelecida nova data.

A audiência pública foi convocada pelo vereador Willians Bezerra. A intenção do parlamentar é de que especialistas da área de transportes possam falar sobre diversos temas que envolvem o assunto.

Entre os assuntos que serão abordados está a gratuidade no transporte municipal, que é concedida a 37% dos passageiros, segundo informações da Aesa (Associação das Empresas do Sistema de Transporte de Santo André).

Após a audiência pública, os vereadores vão elaborar um documento que será encaminhado ao Poder Executivo para avaliação e, possivelmente, implantação de algum projeto que possa ser originado da discussão.

DESAFIOS NO TRANSPORTE PÚBLICO DE SANTO ANDRÉ

A média de idade dos veículos do União Santo André está acima do máximo permitido, que são cinco anos. Por meio da Lei de Acesso à Informação, o Diário do Transporte apurou em setembro deste ano que a frota consórcio tem 5,92 anos, em média.

Relembre: Média de idade dos ônibus do Consórcio União Santo André continua acima do permitido e gestão Paulo Serra não comenta o assunto

A Prefeitura de Santo André foi procurada pela reportagem em 11 de setembro e, até a publicação, não se manifestou. O prefeito Paulo Serra havia prometido um plano de renovação de frota até este mês, mas a promessa não foi cumprida até o momento.

Relembre: Santo André terá plano de renovação da frota até setembro e licitação de Vila Luzita vai ser concluída até o final do ano, promete Paulo Serra

Considerando também os veículos da Suzantur, empresa que opera em contrato emergencial na região da Vila Luzita, todos os ônibus municipais de Santo André possuem 5,58 anos.

Em fevereiro, o Diário do Transporte mostrou em primeira mão que a frota das empresas do Consórcio União Santo André, liderado pela Viação Guaianazes, de Ronan Maria Pinto, operava com média de idade de 6,22 anos.

As empresas do Consórcio União Santo André deveriam apresentar um plano de renovação até junho deste ano, mas o prazo não foi cumprido.

Relembre: União Santo André nunca teve frota de ônibus tão velha e sistema perde 5 milhões de passageiros

APLICATIVO

Outro grande desafio para os moradores de Santo André que utilizam o transporte público é o aplicativo Santo André Mob, utilizado para ver o horário de chegada dos ônibus.

A ferramenta foi esperada por três meses, período em que nenhuma ferramenta estava disponível para prever a chegada dos coletivos nos pontos, por meio de geolocalização. Contudo, quando foi lançada, não funcionou.

Relembre: Após mais de um mês de lançamento, aplicativo de ônibus de Santo André não funciona

A Prefeitura informou que a ferramenta teve os recursos otimizados e os passageiros puderam observar mudanças. Ainda assim, são encontrados problemas de funcionamento, como indisponibilidade de previsões e horários imprecisos.

Relembre: Após problemas, aplicativo que mostra horário dos ônibus em Santo André é atualizado

CARTÃO PRIORIDADE

Os idosos também enfrentaram dificuldades no transporte público municipal. A Prefeitura lançou o Cartão Prioridade em 2 de março de 2018 para possibilitar o embarque de pessoas com mais de 65 anos pela porta da frente, de forma gratuita.

Entretanto, o embarque pela porta traseira foi proibido e todos os passageiros agora têm que passar pela catraca. A medida seria eficiente se a liberação fosse imediata com o uso do cartão, com bloqueio posterior em caso de fraude, mas o que ocorre na realidade é uma fila de idosos tentando validar a passagem por meio de identificação biométrica. Muitos demoram para conseguir, o que atrasa as viagens.

Relembre: Idosos de Santo André têm dificuldades para entrar nos ônibus após Cartão Prioridade

Sobre o problema, o prefeito Paulo Serra informou, em entrevista, que foram colocadas pessoas nos ônibus para orientar os passageiros e que o número de reclamações dos idosos diminuiu.

AUMENTO NA TARIFA

O último reajuste de tarifa aplicado em Santo André se deu na mesma época em que várias cidades do ABC Paulista decidiram aumentar o valor da tarifa. O preço da passagem dos ônibus municipais subiu em 31 de março de 2018, de R$ 4,20 para R$ 4,40.

Relembre: Tarifa de ônibus sobe em Santo André no sábado, contrariando promessas do prefeito Paulo Serra

Jessica Marques para o Diário do Transporte

2 comentários em Câmara Municipal de Santo André reagenda audiência pública sobre sistema de transporte

  1. Santo André esta parado no tempo com relação ao transporte coletivo…. o sistema de bilhetagem não evolui, continua estagnado e precário… a frota das empresas que pertencem ao consorcio estão largadas… veículos com média de anos muito alta… carros sujos e mal cuidados!
    Em quanto se prepara um edital milionário de investimentos no sistema tronco alimentado de Vila Luzita, com propostas inviáveis e de puro jogo politico, o resto da cidade opera a Deus dará.
    Esta na hora de se rever as linhas e itinerários, de se rever a gratuidade…. e todo sistema de bilhetagem que esta arcaico e anacrônico.
    A preocupação deveria ser maior com os 80% do sistema de transportes da cidade, e nao apenas com 20% (que apesar de ser o maior fluxo da cidade, que é a região da vila Luzita, sem duvidas é a melhor parte da cidade)

  2. 1- foi entregue por mim, ao prefeito, ainda candidato, numa reunião aqui no bairro Jd Progresso, uma carta com diversos argumentos com relação a retirada dos cobradores dos coletivos na cidade, e seus efeitos como sobrecarregar o condutor (sendo cobrador e ascensorista), para que ele convocasse os proprietários das empresas, discutir e cumprir o contrato de manutenção na qualidade de atendimento ao passageiro na ultima concessão, até que se renove.
    2- utilizo as linhas T15, B11, i07, i04 e T17, sendo que em mesmo dias normais não é cumprido horário, assim como em fins de semana à partir das 9:30 já começa a escassear, demorar em torno de 15 minutos, para o centro.
    VEJO SEMPRE O SACRIFICO DO CONDUTOR, NA RUA CARIJÓS EM DRIBLAR, MANTER O VEICULO NA DIREÇÃO SEM BATER EM DEMAIS CARROS, QUE AFUNILAM A VIA, CAMINHONETAS MAL ESTACIONADAS, ou incautos que abrem portas no exato momento que eles imprimem velocidade, numa pista cheia de tobogãs.
    3- eu percebo que as linhas que servem S.Jorge, Marajoara, Suissa, Centreville, são as que mais estão em ordem e padronizadas (CAIOs), já a B13 e B19 passam do tempo, já que pertencem ao Baltazar, pouca gente sabe que a carroceria foi montada em chassi velho.
    4- Falar como Leo acima falou, que são sujos, é generalizar a coisa. Sou atento à isso, e não vejo carros sujos.
    5- quem sofre mesmo são idosos, que no passado contribuiram prá tudo que temos hoje, e são vistos com preconceito, pela morosidade de movimentos tanto ao subir como ao descer. Vamos um dia ser como eles..pensem!
    Será que o condutor recebem pelas 3 funções?
    Se o veiculo bater , ele vai pagar pelo estrago?
    Terá alguém disponivel para ser seu testemunho, num acidente de trânsito?
    Trato-os bem, pois sei de suas dificuldades em carregar o mundo nas costas.
    Respeitem o motorista.

Deixe uma resposta