Idosos de Santo André têm dificuldades para entrar nos ônibus após Cartão Prioridade

Publicado em: 27 de abril de 2018

Problemas são com biometria e com motoristas que negam gratuidade pela porta traseira

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

Os idosos estão com dificuldade para entrar nos ônibus municipais de Santo André após a implantação do Cartão Prioridade. A Prefeitura lançou o bilhete em 2 de março de 2018 para possibilitar o embarque de pessoas com mais de 65 anos pela porta da frente, de forma gratuita.

Antes do bilhete eletrônico, as pessoas dessa faixa etária podiam embarcar gratuitamente apenas pela porta traseira, mediante apresentação do RG. Apesar de ser apenas uma opção de embarque, alguns motoristas já impediram idosos de embarcar pela porta traseira inadvertidamente, mesmo sendo um direito constitucional.

Além disso, aqueles que optaram por ter o Cartão Prioridade enfrentam dificuldade na leitura da biometria, para que a catraca seja liberada. Além de encostar o cartão no validador, é preciso colocar o dedo indicador no leitor biométrico, para liberar a passagem, mas muitos passageiros não conseguem a liberação pela identificação da impressão digital.

Como a dificuldade é frequente, é comum ver nos ônibus uma fila de passageiros antes da catraca, quando há algum tipo de problema com a leitura biométrica do novo cartão. Além de causar constrangimento, o contratempo atrasa as viagens dos ônibus.

O aposentado Otávio Moraes, 68 anos, afirmou que quase sempre tem dificuldades para utilizar o Cartão Prioridade. “Falei para o motorista que não está liberando a biometria. Ele pediu para eu colocar de novo o cartão, eu coloquei e ele que destravou para eu passar” – disse Moraes.

“Quando fui fazer o cadastro da biometria, lá já foi difícil. Ainda falei para a menina se esse cartão está com problema ou meu dedo. Ela falou que liberou e no ônibus não ia dar problema. Toda vez que vou passar, dá esse probleminha. Vou lá, ponho o dedo e não vai. Até brinquei que não posso entrar pela porta de trás, mas vou pela porta da frente e o motorista tem que liberar, ou deixar eu descer e entrar pela porta de trás” – completou.

O aposentado, que utiliza a linha T-14 (Ana Maria / Centro de Santo André – via Cassaquera), disse que somente a biometria utilizada nos ônibus municipais apresenta problemas. “Até ia pegar ônibus hoje para ver se dava certo, porque fui no banco e a biometria de lá funcionou normalmente” – contou.

No dia de lançamento do Cartão Prioridade, o Prefeito Paulo Serra afirmou que o embarque de idosos pela porta traseira era uma reclamação frequente da população. “A partir de agora, todos vão entrar pela porta da frente, passar pela catraca, passar o cartão, colocar o dedo na biometria e ter o tratamento e a dignidade que deve ser regra no serviço público” – afirmou o prefeito, na ocasião.

Contudo, alguns idosos afirmam que o tratamento digno ainda não ocorre. “Na hora que a gente coloca, o cartão não passa e a gente é humilhado. O motorista fala ‘vou liberar agora, mas precisa arrumar o cartão’. Como assim, se o cartão é novo? O Cartão BOM eles liberam na hora” – disse a dona de casa Júlia Queirós Has, 73 anos.

“Isso é uma humilhação para o idoso, eles têm que ver isso. Os motoristas de ônibus das nossas linhas aqui não têm nenhum respeito. Muitos nem querem deixar entrar pela porta de trás” – afirmou Júlia, que utiliza as linhas I02 (Ana Maria / São Jorge) e T-14 (Ana Maria / Centro de Santo André).

PASSAGEIROS TÊM GRATUIDADE NEGADA

1d07e3d0-1d57-469e-8047-011fc948f56d

Motoristas já negaram embarque pela porta traseira

Outra frequente reclamação é o fato de os motoristas não deixarem os idosos embarcarem pela porta traseira, apesar de a Prefeitura ter determinado que ninguém deve ser barrado. A gratuidade a pessoas com mais de 65 anos é um direito garantido pela Constituição Federal.

Segundo relatos de passageiros, alguns motoristas já impediram o embarque de idosos após a criação do Cartão Prioridade. “Já vi eles barrarem três pessoas. Não estão querendo passar mais. Os motoristas falaram que não vão deixar mais entrar com RG” – relatou a dona de casa Edna Edith de Souza, 61 anos, que teme que o mesmo ocorra com ela futuramente.

“Deu até dó, ele [o motorista] não deixou uma idosa passar e ela teve que descer. Foi o I02. Ela estava no ponto. Estava eu, meu vizinho e a mulher dele. Isso é errado. Ela tem idade, sempre andou com RG e agora não pode. Estou com medo de acontecer o mesmo comigo” – disse Edna.

SECRETÁRIO AFIRMA QUE SISTEMA DE IDENTIFICAÇÃO PODE MUDAR

O secretário de Mobilidade Urbana Edilson Factori afirmou ter conhecimento de que alguns passageiros estão tendo dificuldade com o sistema de biometria. Segundo o chefe da Pasta, a Prefeitura já está vendo alternativas para alterar o sistema de identificação dos passageiros.

“Quem tem problema com a digital tem que informar a gente, porque estamos buscando alternativas para resolver isso. Seja via sistema ou alterar a forma de identificação” – disse. “Já estamos trabalhando nisso. Assim que estiver disponível, vamos implantar”.

Com relação aos motoristas que impedem o embarque de idosos, Factori afirmou que isso não ocorre mais na cidade. “Isso foi um problema que aconteceu e já está sanado. Tivemos reuniões com as empresas, inclusive semana passada, esclarecendo isso. O idoso não deixa te ter o direito de acessar pela porta de trás usando o RG. O cartão visa dar maior conforto e segurança para o idoso no acesso pela porta da frente, mas não elimina, o direito dele é garantido com o RG, acessando pela porta de trás” – garantiu.

O secretário informou ainda que as empresas são multadas caso os motoristas descumpram a regra e neguem a gratuidade para quem tem direito. “Não só em relação ao cartão, mas sempre que a gente tem uma reclamação ou denúncia em relação ao motorista que não abriu a porta ou não parou no ponto, a gente verifica e, se for o caso, autua” – afirmou Factori.

COMO OBTER O CARTÃO PRIORIDADE

O cadastramento está sendo feito no saguão do Teatro Municipal de Santo André, que fica no Paço Municipal (Praça IV Centenário, s/nº). O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

Para se cadastrar, é preciso levar um documento de identidade com foto, para comprovar que a pessoa tem 65 anos ou mais. Além disso, é preciso levar um comprovante de endereço de Santo André. De acordo com informações da Prefeitura, pode ser uma conta de água, luz ou telefone fixo, desde que tenha sido emitida nos últimos três meses e esteja no nome do idoso.

A emissão do cartão é feita de forma gratuita e, após o cadastro da biometria, o bilhete fica pronto na hora. A primeira etapa do cadastramento será até o dia 11 de maio, no Paço Municipal.

Desde o dia 9 de abril, também é possível emitir o bilhete na AESA, que fica na Avenida Industrial, número 600. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h.

HISTÓRICO

O Cartão Prioridade foi criado no dia 5 de março, para permitir que pessoas com 65 anos ou mais possam embarcar pela porta dianteira do ônibus, passando gratuitamente pelo validador da catraca.

No primeiro dia de cadastro, 315 pessoas compareceram ao Paço Municipal para obter o Cartão Prioridade. A expectativa de atendimento da Prefeitura é de 35 mil usuários até o dia 6 de abril, quando a primeira fase do cadastro será concluída.

Antes da criação do Cartão Prioridade, a única possibilidade de embarque para passageiros com 65 anos ou mais era mediante a apresentação de um documento de identidade com foto. Neste caso, os idosos sempre entravam pela porta de trás, para obter gratuidade.

A medida integra a campanha “Pela Porta da Frente”, promovida pela Prefeitura, por meio da SATrans, em parceria com a AESA (Associação das Empresas do Sistema de Transporte de Santo André).

Gratuidade para idosos de 65 anos ou mais é garantida pela Constituição

Apesar de a Prefeitura apresentar aos idosos a opção de embarcar pela porta dianteira, mediante a apresentação do Cartão Prioridade, o uso do bilhete não é obrigatório no município.

Os passageiros com mais de 65 anos que optarem por não utilizar o Cartão Prioridade vão continuar autorizados a subir no ônibus utilizando a porta traseira, mediante apresentação de documento de identificação, com foto. A gratuidade no transporte coletivo para idosos é um direito constitucional.

Cartão Melhor Idade

Em Santo André, o transporte municipal oferece gratuidade aos passageiros entre 60 e 65 anos. O benefício é concedido a 176 mil pessoas por mês, com o uso do Cartão Melhor Idade, conforme informações da Prefeitura.

Comentários

  1. Dorival Nunes Bezerra disse:

    Embora o foco da matéria seja o cartão prioridade, a questão vai muito além disto. Há uma outra perspectiva que não foi abordada. Não é só o Prioridade que está dando problema. São todos! Como sempre, as empresas “gestoras” implantam sistemas e, antes da orientação e educação dos usuários, colocam em prática. Diariamente, no interior dos coletivos, têm havido conflitos muitos tensos, a ponto de chegar à agressão física de motorista, que, até duas semanas atrás, não tinha, como diz a matéria, a autorização para a liberação do cartão com foto. Todos os condutores dos veículos FORAM ORIENTANDOS PELA EMPRESA PRESTADORA DO SERVIÇO A NÃO MAIS LIBERAR A CATRACA, uma vez que haveria reconhecimento da digital. Isso, obviamente, gerou muitos transtornos e atrasos e, na tentativa de diminuir os problemas, os motoristas decidiram “liberar” acionando botão para tal procedimento ( o que sempre acontecia e acabou “educando a população neste sentido”). Alguns dos que fizeram isso foram chamados na empresa e ameaçados de ter que pagar do bolso todos os valores das passagens desbloqueadas a partir dos botões. Desse modo, não restava opção a não ser seguir à risca a determinação de não mais liberar. Mas, os problemas continuaram ocorrendo e foi aí que, talvez após a tal reunião citada pelo secretário, “decidiram” liberar a partir da apresentação da foto. Hoje, quem tem foto e não consegue o desbloqueio instantâneo, deve mostrar o cartão ao motorista e este, por sua vez, aciona o botão do desbloqueio. Mesmo assim ainda há muitos problemas. Vários cartões continuam enroscando. Alguns sem fotos. Embora o motorista diga que o usuário deve procurar a AESA para regularizar a situação, boa parte dos usuários ainda acredita que é má vontade do motorista a liberação. O secretário disse que está colhendo as reclamações e que providências estão sendo tomadas para alterar ou mudar totalmente o sistema. O engraçado é que não se testa nada. Se coloca em operação e, à medida que os problemas surgem em desenvolvimento, vão “sendo sanados”, o que prova o quanto tratam a população como cobaias de sistemas operacionais. “Se não der certo, depois a gente arruma”, é esta a impressão que dá. É necessário, então, que se verifique melhor o que está ocorrendo e se resolva efetivamente o problema e não fique jogando a culpa da má administração gestora nas costas daquele que já tem muita tarefa a desenvolver durante o expediente que dirige, cobra, olha portas, olha documento, olha motoqueiro, olha vendedor de doce, dá informação, tenta desbloquear cartão, tem que cumprir horário de tabela, tem que ter paciência com gente mal-educada, etc, etc, etc.

  2. Ontem estive no AESA do Shopping Plaza para renovar meu cartão. Estava cheio, com muitos idosos aguardando atendimento em pé por horas. Uma vergonha e um desrespeito aos idosos.

  3. Ivo godoi disse:

    Teve uma reunião na alto viação vaz , aonde participou o Sr Marcondes , diretoror da AESA , e também o gerente de tráfego da viação parque das nações ,e mais outros gerentes de outras empresas do seguimento de Santo André, aonde foi abordado estas discussões refenrentes aos cartões, acontece que as empresas não querem que o motorista libere o botão amarelo,para os usuários em geral .
    O motorista já dirige e cobra, tem que manusear o elevador para portadores com deficiência, e agora a quarta função do botão, diante disso o sindicato dos Rodoviários do grande ABC , enviou um ofício para os responsáveis pelo transporte coletivo e para AESA ,para que seja solucionado estes problemas ,diante disso venho a dizer que os motoristas estão sendo precionados pelas empresas , a não liberar o botão amarelo da catraca .

    Sem mais …

Deixe uma resposta