Suspensas licitações para três corredores de ônibus na cidade de São Paulo

Foto: Adamo Bazani

Concorrência era para projetos básico e executivo para requalificação de vias exclusivas nas zonas Norte, Sul e Leste. Não há prazo para retomada. Prefeitura está longe da meta de 72 km de corredores até final da gestão

ADAMO BAZANI

A prefeitura de São Paulo comunicou neste sábado, 25 de agosto de 2018, que foram suspensas três licitações para a elaboração dos projetos básico e executivo de reforma e modernização de corredores de ônibus nas zonas Sul, Norte e Leste da cidade.

O comunicado não traz o motivo das suspensões, mas o Diário do Transporte apurou que houve diversas contestações e pedidos de esclarecimentos de empresas eventualmente interessadas e escritórios de advocacia.

Não há data para a retomada das concorrências.

As licitações são para a requalificação dos seguintes espaços:

Zona Sul: corredor de ônibus Interlagos (trecho entre Avenidas Washington Luis e Atlântica)

Zona Norte: corredor de ônibus Imirim (trecho entre Av. Dep. Emilio Carlos e Al. Afonso Schimidt).

Zona Leste: corredor de ônibus Amador Bueno da Veiga (trecho entre Praça Micaela Vieira e R. Embira).

As propostas deveriam ser entregues em 31 de agosto (Zona Norte e Zona Leste) e em 17 de setembro (Zona Sul).

FALTA MUITO PARA CUMPRIR PLANO DE METAS:

Os três projetos integram a meta da prefeitura de São Paulo de implantar novos corredores ou qualificar os já existentes num total de 72 km até o final de 2020. Mas esta meta, apresentada ainda em 2017, está muito longe de ser cumprida. Até este mês de agosto, apenas 3,3 km do corredor Berrini, na zona Sul, foram entregues pela gestão João Doria/Bruno Covas. Estão em obras mais 14 quilômetros de extensão do corredor Itaquera, trechos 1 e 2.

Considerando, em uma visão otimista, que a prefeitura conclua os 14 km dos trechos do corredor Itaquera, faça os 8 km de corredores previstos na proposta do Orçamento para ano que vem (que ainda pode ser alterada), somados aos 3,3 km já entregues, no ano de eleições municipais, para cumprir a meta, Bruno Covas terá de inaugurar 46,7 km de corredores em 2020. Até lá, os números podem mudar.

Como mostrou o Diário do Transporte, desde o início da gestão João Doria, foram retirados dos corredores de ônibus para outras áreas R$ 874 milhões, para intervenções como o Programa Asfalto Novo e até para a reforma do Autódromo de Interlagos.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/06/13/cortes-de-investimentos-em-corredores-de-onibus-em-sao-paulo-ja-chegam-a-r-874-milhoes-nas-gestoes-doria-covas/

Em outra frente, a SPTrans lançou no final de julho a consulta para licitação que vai compreender a manutenção de mil quilômetros de vias por onde passam ônibus, com preferência para corredores, mas englobando ruas e avenidas que também não oferecem espaços exclusivos para o transporte público coletivo. Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/07/27/sptrans-vai-licitar-obras-para-manutencao-de-mil-quilometros-de-vias-onde-passam-onibus-e-corredores/

Na cidade, só há 128,8 km de corredores de ônibus nos 17 mil km de vias, sendo que apenas 8 km, no Expresso Tiradentes, são de BRT – Bus Rapid Transit, que é uma estrutura que oferece mais exclusividade ao transporte coletivo e maior velocidade. Um estudo encomendado pela prefeitura em 2012 mostrou que para atender adequadamente os 9,5 milhões de passageiros diários dos ônibus de São Paulo, seriam necessários ao menos 600 km de corredores centrais (não de faixas).

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. antonio carlos disse:

    corredor itaquera pela avenida itaquera e lider. Corredor totalmente elefantão branco. , feita a pista de concreto pela esquerda, mas tem um monte de micro que circula pela avenida pela direita, pontos ou estação construidas fora dos pontos de interesse do usuário, os locais com maior risco de congestionamentos ou nos cruzamentos nada foi feito, nem a faixa de concreto, então gastaram um monte de dinheiro pra nada..

Deixe uma resposta