Primeiro corredor de ônibus de São Bernardo do Campo não considera linhas intermunicipais e gera congestionamento

Lentidão chega a aproximadamente 25 minutos. Foto: Fábio Marques Moura Santos

Carros ficam espremidos entre duas vias de circulação de coletivos

JESSICA MARQUES

O corredor de ônibus da Avenida João Firmino, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, foi entregue nesta quinta-feira, 7 de junho de 2018.

A expectativa da Prefeitura é reduzir o tempo de viagem em até dez minutos, com o trecho de circulação exclusiva. Contudo, o corredor de ônibus não considera as linhas intermunicipais.

Na prática, os ônibus municipais circulam pelo lado esquerdo da via e as linhas metropolitanas continuam com os pontos no lado direito. Desta forma, tanto os veículos quanto os coletivos intermunicipais enfrentam congestionamento na avenida.

Segundo relatos de moradores da região, a lentidão chega a aproximadamente 25 minutos e afeta tanto os motoristas quanto os passageiros das linhas metropolitanas. Oito linhas de ônibus intermunicipais passam pela avenida.

O designer de interiores Fábio Marques Moura Santos, que dirige pela via e também se locomove em ônibus na região, notou as dificuldades.

“A via ficou toda congestionada, desde o colégio Ábaco, próximo à área verde [Praça Giovanni Breda], até o Hospital Assunção. Então, dependendo do horário, demora uns 25 minutos para atravessar” – contou. “E tem como utilizar as faixas da direita e central, pode ficar atrás dos ônibus na direita, pois esta faixa não é exclusiva”.

De acordo com o morador da região, os ônibus, mesmo intermunicipais, que não estão com as portas adaptadas, circulam na esquerda, na faixa exclusiva.

Santos afirmou ser favorável a corredores de ônibus, mas sugeriu que houvesse um diálogo entre a Prefeitura e a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos).

A Prefeitura de São Bernardo do Campo foi procurada pela reportagem do Diário do Transporte, mas não respondeu até a publicação desta reportagem.

OBRA SAI COM ATRASO

Além de aparentemente mal planejada, a obra, prometida inicialmente para 2014 e depois para 2016, foi entregue com quatro anos de atraso total.

A faixa exclusiva para os coletivos municipais do lado esquerdo tem 2,6 quilômetros de extensão. O corredor na Avenida João Firmino liga os bairros dos Casa, Assunção, Alves Dias, Alvarenga e a área central da cidade.

O corredor conta com canteiro central para embarque e desembarque à esquerda, ciclovia, novos abrigos para passageiros, sinalização e acessibilidade.

Cerca de 33 mil passageiros dos bairros dos Casa, Assunção, Alves Dias, Alvarenga e área central devem passar pelo local nos ônibus municipais.

“Ao todo, foram investidos R$ 11,9 milhões no conjunto de obras, que inclui a instalação de 12 paradas, sendo duas por sentido: Josefina Secol, Elis Regina, Cristiano Angeli, Álvaro Guimarães, KasatoMaru e PS Central. Serão 49 veículos destacados para a nova operação, realizando cerca de 600 viagens diárias. A operação inicial do corredor será executada por meio de cinco linhas, que já percorrem toda extensão do corredor (05 – Jardim Laura/Paço, 5B – Parque dos Químicos, 07 – Cooperativa/Paço (que terá o itinerário alterado para percorrer o corredor nos dois sentidos), 9B – Circular São Pedro/Santo Inácio e 11 – Orquídeas/Paço) e que têm frota de veículos padrão e articulados (BRT), com possibilidades de portas do lado esquerdo” – informou a Prefeitura, em nota.

“Outras oito linhas que percorrem parcialmente a Avenida João Firmino não serão atendidas pelo corredor, mantendo as paradas na faixa à direita: 7A – Mizuho/Paço, 7N – Circular Jardim Nazareth/Rodoviária, 10 – Vila Ferreira/Paço, 17 – São Pedro/Três Marias via São Jorge, 36 – Paço/Jordanópolis via Vila Euro, 43 – Detroit/Pauliceia via Rudge Ramos, 156 – Diadema/São Bernardo, 255 – Terminal São Bernardo/Jardim Padre Anchieta.”

OPERAÇÃO ASSISTIDA

A operação do corredor teve início, em caráter de teste, no dia 30 de maio, com acompanhamento de fiscais e agentes da Empresa de Transportes Coletivos (ETC) e da concessionária do transporte municipal, SBC Trans, que realizam trabalho de orientação aos usuários, de acordo com a Prefeitura.

A administração municipal informou que a atividade assistida se estenderá por 90 dias, para aprimoramento dos serviços. “Após período de adaptação, a Administração deverá iniciar o trabalho de fiscalização e penalização de motoristas que não respeitarem o uso exclusivo da faixa destinada aos ônibus. A medida será devidamente divulgada e sinalizada ao longo do corredor.”

PROMESSAS DA PREFEITURA

Após a inauguração do primeiro correr de ônibus, a Prefeitura de São Bernardo do Campo fez mais promessas à população.

“Somente em 2018, teremos cerca de 40 quilômetros de corredores na cidade, incluindo os trechos do Alvarenga e da Avenida Senador Vergueiro” – afirmou o prefeito Orlando Morando.

OUTRAS OBRAS

A obra do corredor de ônibus da Vila São Pedro, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, foi autorizada pelo prefeito Orlando Morando. A ordem de serviço foi assinada em 5 de maio de 2018.

A extensão aproximada da via exclusiva é de seis quilômetros e o prazo de execução é de 24 meses, portanto, o corredor deve estar pronto em 2020. Segundo informações da Prefeitura, cerca de 100 mil pessoas moram na região dos bairros Vila São Pedro, Alto Industrial, Baeta Neves e Jardim Farina, por onde passarão os ônibus.

O trajeto previsto dos coletivos que seguirão pelo corredor é Rua dos Vianas, Rua Saracantan, Avenida Pery Ronchetti, Avenida Dom Pedro de Alcântara, Avenida Luiz Pequini. A Prefeitura pretende instalar 12 paradas de ônibus ao longo do trajeto.

As obras do Corredor São Pedro estão sob responsabilidade do Consórcio Versátil-DP Barros SBC, formado pela Versátil Engenharia e pela DP Barros Pavimentação e Construção. Ao todo, a via vai custar R$ 48,9 milhões aos cofres públicos.

A licitação para a execução das obras, realizada em 2017, incluiu também outros três corredores, totalizando 19 quilômetros de vias exclusivas para ônibus. Também foi licitada a construção de um terminal de ônibus.

As outras obras são:

– Corredor Rotary, com extensão aproximada de 2,4 km; Prazo de execução: 24 meses; Trajeto básico: Praça Miguel Etchenique, Avenida Rotary, Avenida Luiz Pequini, Rua dos Viannas.

– Corredor Castelo Branco, com extensão aproximada de 4,25 km; Prazo de execução: 24 meses; Praça Giovanni Breda a região do Terminal Metropolitano Piraporinha.

– Corredor Galvão Bueno, com extensão aproximada de 6,3 km; Prazo de execução: 24 meses; Estrada Cama Patente (região da rodovia dos Imigrantes) estrada Galvão Bueno e pela avenida Maria Servidei Demarchi.

– Terminal Batistini, com área total construída de cerca de 3.200 m²; Prazo de execução: 24 meses.

Na época, o BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento já havia aprovado crédito de US$ 125 milhões com contrapartida do mesmo valor da prefeitura, como diz a minuta do edital.

Relembre:

São Bernardo do Campo abre licitação para 19 km de corredores de ônibus

Para estes novos corredores, a SBC Trans, empresa concessionária do sistema de São Bernardo do Campo deve adaptar o lado esquerdo de mais ônibus. Além dos 25 articulados comprados entre 2013 e 2014, ônibus convencionais têm recebido portas à esquerda para se adequar ao padrão de embarque e desembarque destes corredores.

A Prefeitura já entregou dez ônibus zero quilômetro neste ano. Os veículos convencionais têm 13,2 metros de comprimento com capacidade para 81 passageiros cada, sendo 41 sentados e 40 em pé. A operadora SBCTrans também vai adquirir ônibus articulados para os corredores.

Desde o ano passado, a empresa já colocou em operação, 75 coletivos zero quilômetro, dos quais, 55 midi (micrão) e 20 convencionais, entre os quais, os dez apresentados neste sábado.

CONSTRUÇÃO DE VIADUTO

O prefeito de São Bernardo do Campo também assinou na quinta-feira, 3 de maio, a ordem de serviço para retomar as obras de construção do viaduto sobre a Praça dos Bombeiros, no bairro Irajá.

Segundo informações da Prefeitura, a via vai ligar as avenidas Rotary e Luiz Pequini, com a intenção de reduzir o congestionamento da rotatória da Praça dos Bombeiros, que dá acesso a cinco avenidas que ligam diversos bairros. O local é um dos grandes problemas do trânsito da cidade atualmente.

A previsão de conclusão das obras é de 12 meses a partir da data de assinatura da ordem de serviço. De acordo com a Prefeitura, o início foi imediato.

O projeto do viaduto da Praça dos Bombeiros teve início na gestão anterior e estava com 52% de execução em 2015, quando as obras foram paralisadas. O projeto está orçado em R$ 81,5 milhões e, na época, foram feitos aproximadamente R$ 42,4 milhões em repasses do governo federal.

“A continuidade da construção será viabilizada por empréstimo captado junto ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), no ano passado, e que garantirá a aplicação de mais R$ 39 milhões para a conclusão do projeto” – informou a Prefeitura, em nota.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

3 comentários em Primeiro corredor de ônibus de São Bernardo do Campo não considera linhas intermunicipais e gera congestionamento

  1. SDTConsultoria em Transportes // 8 de junho de 2018 às 09:16 // Responder

    Bom dia ! Isto em SBC é real ? Estas faixas exclusivas são concebidas baseadas em que ? Isto coloca em check todo um sistema. É impressionante para não dizer outra coisa comoo poder público BRINCA com a população. Vamos deixar nossos carros em casa e usar o transporte público… Até parece… Boa reflexão !

  2. Em São Bernardo qualquer prefeito será um fantoche na mão dos empresários, pois eles fazem oque bem entendem e o povo paga a conta.
    Corredores serão uma porcaria em uma cidade que nasceu errada em seu planejamento.

  3. Parabéns sr prefeito por mais (suprimido) !!!

4 Trackbacks / Pingbacks

  1. Jardim Irajá recebe segundo lote de ônibus novos em São Bernardo do Campo – Diário do Transporte
  2. SBCTrans entrega último lote de dez ônibus em São Bernardo do Campo – Diário do Transporte
  3. Prefeitura de São Bernardo do Campo libera trânsito no Viaduto Castelo Branco – Diário do Transporte
  4. Santo André e São Bernardo do Campo têm reajuste na tarifa de ônibus em janeiro – Diário do Transporte

Deixe uma resposta