Atende reúne histórias de vida e superação

Publicado em: 21 de abril de 2018

Vans mais novas são preparadas também para o transporte de autistas e acompanhantes

Serviço de transportes de pessoas com limitação severa de mobilidade na capital é premiado mundialmente. Mas lista de espera para ter acesso é grande

ADAMO BAZANI

Criado em 1996, o Serviço de Atendimento Especial – Atende é considerado referência em transportes na capital paulista, apesar de ainda haver uma demanda superior à oferta.

O Atende hoje possui quase 400 vans e 100 táxis adaptados que pegam as pessoas com limitação severa de mobilidade na origem e as levam até o destino.

Os serviços são utilizados para transporte aos tratamentos médicos, mas não somente para isso.

O Atende também pode ser usado para levar as pessoas com deficiência para instituições de ensino, lazer, eventos culturais e deslocamentos em geral dentro da cidade de São Paulo.

Os serviços receberam diversas premiações, inclusive fora do País, mas ainda há uma demanda muito grande de pessoas que aguardam pelos atendimentos.

Nesta quinta-feira, 19 de abril de 2018, a lista de espera no site da SPTrans tinha mais de 250 nomes e 14 páginas.

Para ter acesso ao transporte, interessado deve ligar de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, para o número 156 da Prefeitura de São Paulo ou procurar os postos de atendimento nas Prefeituras Regionais.

É necessário baixar uma ficha de avaliação médica, que deve ser preenchida pelo responsável pelo tratamento do passageiro. O link é: http://www.sptrans.com.br/passageiros_especiais/atende_inscricao.aspx

O serviço opera todos os dias da semana das 7h às 20h, somente para passageiros cadastrados. Há uma programação pré-agendada de viagens.

O Atende também oferece atendimentos nos fins de semana para levar as pessoas com deficiência a eventos de lazer, esporte e cultura. Neste caso, são as instituições que trabalham com pessoas com deficiência que devem fazer a solicitação do transporte, com, no mínimo, uma semana de antecedência.

Desde julho do ano passado, os serviços são operados por empresas do subsistema local, que surgiram das antigas cooperativas de transportes.

Muito mais que o ir e vir das pessoas, o Atende representa humanização e troca de experiências.

Uma das empesas do subsistema local que opera as vans, a Traswolff, produziu um vídeo com depoimentos de passageiros, acompanhantes, motoristas e profissionais de saúde com as experiências no dia a dia do Atende.

Muitos passageiros disseram que só conseguem estudar, trabalhar e seguir corretamente os tratamentos por causa dos serviços do Atende há vários anos.

Motoristas também relatam o aprendizado com o Atende, não apenas profissional, mas de vida. A primeira lição: muitos de nós reclamamos de situações que seriam o sonho hoje de muita gente.

Confira:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Wagner Faria disse:

    Parabéns pela repor

  2. Eric disse:

    Algumas empresas como a Transwolff ainda fazem a diferença! Muito bom

  3. Fabio disse:

    Parabens pelo trabalho, um exemplo.

  4. Inis Maziero disse:

    Transwolff, que iníciou no serviço do Atende, dia 05/07/2018, desde entao faco parte desde trabalho maravilhoso, tenho muito orgulho de fazer parte desta família Atende. E também fazer parte do quadro de funcionários da Transwolff, que também está fazendo de tudo para que possamos fazer um bom atendimento.

  5. Cassio Rogério Sabino disse:

    Adamo, o Serviço Atende na verdaxe começou em 1996 não em 2006

  6. Abraão disse:

    Um excelente serviço a pessoas que necessitam de inclusão social. Agora com a Transwolff nesse sistema esse serviço será cada dia mais eficiente! Sempre que essa empresa faz um trabalho ela faz com excelência! Parabéns a empresa mais humana do transporte de pessoas da atualidade!

  7. Fabio disse:

    Parabéns transwoff pelo carinho que tem com o próximo Deus abençoe a todos .

  8. rebU disse:

    Isso deveria ser o padrão para o transporte de deficientes, principalmente cadeirantes e cegos, já que nem todos moram em lugares planos e com calçadas perfeitas.
    Mas não, preferiram criar paliativos como aquele espaço para cadeirantes em todos os ônibus, cuja segurança eu acho duvidosa.

  9. rebU disse:

    Por que o Atende não para de trocar a cor dos veículos?
    Antes eram brancos, mudaram para preto e a cor nova agora é prata!
    Dá pra parar com essas modinhas e utilizar uma cor definitiva e chamativa para segurança e as pessoas perceberem que não são veículos comuns?

  10. Ana disse:

    Um excelente trabalho da Transwolff, fazendo a diferença na vida de milhares de pessoas que utilizam esse serviço tão especial!

  11. Eunice Balbino da Silva disse:

    Boa noite . Essas van tambem pode estar levando uma pessoa fazendo tratamento de câncer que não pode estar andando de transportes públicos ônibus e metrô

Deixe uma resposta