Quatro grupos entregam estudos para concessão de 24 terminais de ônibus de São Paulo à iniciativa privada

Empresas terão de assumir áreas ao entorno dos terminais

Empresas devem tentar a operação e manutenção destes espaços. Propostas são analisadas

ADAMO BAZANI

A Secretaria Municipal de Desestatização e Parcerias recebeu de quatro grupos econômicos as propostas de estudos de modelagem operacional, econômico-financeira, jurídica, urbanística e de engenharia e arquitetura para a administração, manutenção, conservação, exploração comercial e requalificação de 24 terminais de ônibus do Sistema de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros.

A prefeitura deve utilizar os modelos no processo de concessão destes terminais à iniciativa privada.

Os interessados que apresentaram as sugestões de como podem ser estas concessões são: Consórcio Opus & Benvenuto; Consórcio Transformação Urbana – CTU; Consórcio Viabiliza SP; e Socicam Administração, Projetos e Representações Ltda, que atualmente já cuida dos terminais subcontratada pelo SPUrbanuss, o sindicato que representa as viações do sistema estrutural (linhas mais longas, com ônibus maiores) na cidade.

Os estudos agora estão em análise pela Comissão Especial de Avaliação – CEA da secretaria.

A intenção da prefeitura é conceder à iniciativa privada os terminais por 30 anos. Em troca de melhorias e manutenção destes equipamentos, as empresas poderão explorar comercialmente os espaços e construir imóveis comerciais e residenciais nas áreas destes terminais de ônibus. A empresa tem de assumir a conservação e adequação de um raio de 600 metros de cada terminal.

O processo ainda levanta muitas dúvidas de possíveis interessados. Com exclusividade, o Diário do Transporte mostrou, por exemplo, que existem terminais que estão em terrenos ainda em situação irregular junto aos cartórios de registros de imóveis. A obrigatoriedade de construção de moradias populares nas áreas próximas, terminais em áreas de proteção ambiental e até mesmo a continuidade ou não de serviços sociais que hoje são realizados em alguns espaços estão entre as dúvidas.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2018/02/09/terrenos-de-terminais-de-onibus-em-situacao-irregular-moradias-populares-e-areas-de-preservacao-ambiental-sao-duvidas-nos-projetos-de-concessao-dos-espacos-pela-gestao-doria/

Os 24 terminais incluídos neste chamamento público para apresentação de propostos de modelo de concessão e operação são: Amaral Gurgel, Antônio Estêvão de Carvalho, Aricanduva, Bandeira, Casa Verde, Cidade Tiradentes, Grajaú, Guarapiranga, Jardim Ângela, João Dias, Lapa, Mercado, Parelheiros, Parque Dom Pedro II, Penha, Pinheiros, Pirituba, Sacomã, São Miguel, Santo Amaro, Sapopemba, Varginha, Vila Carrão, Vila Nova Cachoeirinha

PROJETOS-PILOTOS:

Outros três terminais que não fazem parte deste procedimento serão concedidos à iniciativa privada como espécie de projeto-piloto para as demais concessões. São os terminais Capelinha, Campo Limpo e Princesa Isabel.

A consulta pública sobre estes três terminais foi revelada com exclusividade pelo Diário do Transporte em 6 de julho de 2017.

https://diariodotransporte.com.br/2017/07/06/prefeitura-de-sao-paulo-lanca-consulta-publica-sobre-projetos-que-incluem-concessao-de-tres-terminais-de-onibus-a-iniciativa-privada/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

4 Trackbacks / Pingbacks

  1. Prefeitura de São Paulo lança consulta da licitação do Terminal Princesa Isabel nesta terça-feira,24 – Diário do Transporte
  2. Bruno Covas regulamenta intervenção urbana para concessão do Terminal Princesa Isabel – Diário do Transporte
  3. Prefeitura de São Paulo lança consulta para a concessão de mais quatro terminais de ônibus à iniciativa privada – Diário do Transporte
  4. Terminais Bandeira e Santo Amaro têm maior interesse pela exploração comercial pela iniciativa privada – Diário do Transporte

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: