Governo do Estado consegue recursos para extensão da Linha 9 da CPTM

Prometida para o início de 2016 a extensão da Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú) da CPTM até Varginha, zona sul de SP, vem sofrendo seguidos atrasos

ALEXANDRE PELEGI

Informação divulgada pelo site Via Trolebus traz a boa notícia para os usuários do sistema de trilhos da Região Metropolitana de SP: o Ministério das Cidades e a Caixa Econômica Federal aprovaram duas novas contratações para a continuidade das obras de extensão da Linha 9-Esmeralda até Varginha.

De acordo com o texto de Caio Lobo, com essa aprovação a CPTM vai receber recursos do PAC da Mobilidade para a implantação de Suprimento de Energia e do Sistema de Integração ao Centro de Controle Operacional (CCO).

História

Prometida para o início de 2016 a extensão da Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú) da CPTM até Varginha, zona sul de SP, vem sofrendo seguidos atrasos. Em setembro de 2016 o Governo do estado divulgou que a conclusão das obras se daria somente no segundo semestre de 2018. O projeto, com um custo de R$ 790 milhões, prevê o prolongamento do ramal em 4,5 km e duas novas estações, Vila Natal e Varginha.

Sob a alegação de que precisava se adequar às exigências feitas pelo Ministério das Cidades, que financiaria 60% da obra (R$ 500 milhões) com recursos do PAC, a CPTM decidiu encerrar no fim de 2016 os contratos assinados em setembro de 2013 com os consórcios responsáveis pela construção, e realizar nova licitação para concluir a extensão da Linha 9.

A Linha 9 é considerada a “linha nobre” da CPTM,  porque tem os trens e as estações mais modernos da rede ferroviária, além de ser o segundo ramal de trens mais usado, com média de 601 mil passageiros por dia. Com 32,8 km de extensão e 18 estações, a Linha 9 liga a zona sul à cidade de Osasco, na Grande São Paulo.

Com a aprovação do Ministério das Cidades e da CEF, espera-se agora que essa novela tenha o desejado final feliz.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes