Após sucessivos atrasos, Governo do Estado promete extensão da linha 9-Esmeralda para segundo semestre de 2019

Intervenções preveem o prolongamento do ramal em 4,5 km e a criação de duas estações, Vila Natal e Varginha

Governador Márcio França anunciou retomada das obras nesta terça-feira, 17 de abril de 2018

JESSICA SILVA PARA O DIÁRIO DO TRANSPORTE

Após sucessão de atrasos, o Governo do Estado prometeu para o segundo semestre de 2019 a extensão da Linha 9-Esmeralda (Osasco – Grajaú) da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). A intenção é de que a linha passe a atender os passageiros de Varginha, na Zona Sul de São Paulo.

As obras começaram a ser feitas pelo Governo do Estado em 2013 e deveriam ter ficado prontas em 2015, porém foram paralisadas por falta de dinheiro. Em 2016, o Governo divulgou que a conclusão das intervenções seria no segundo semestre de 2018.

Nesta terça-feira, 17 de abril de 2018, o Governador Márcio França anunciou a retomada das obras de extensão da linha até Varginha. A nova previsão dada pelo Governo para que o trajeto estendido entre em operação é o segundo semestre de 2019.

As intervenções preveem o prolongamento do ramal em 4,5 km e a criação de duas estações, Vila Natal e Varginha. Também está prevista a construção de quatro viadutos. O maior deles terá 94,5 metros de extensão e fará a transposição sobre a Avenida Paulo Guilguer Reimberg, em Varginha.

A Linha 9-Esmeralda (Osasco-Grajaú) transporta atualmente cerca de 620 mil usuários por dia útil. Com a ampliação de 4,5 km entre Grajaú e Varginha, a projeção da CPTM é de que sejam acrescentados à linha 110 mil usuários atendidos pelo futuro trecho.

A Linha 9-Esmeralda tem conexão com o Metrô nas estações Santo Amaro (Linha 5-Lilás) e Pinheiros (Linha 4-Amarela) e com a Linha 8-Diamante da própria CPTM, nas estações Osasco e Presidente Altino. Também há integração com ônibus nas estações Grajaú, Jurubatuba, Santo Amaro, Morumbi, Berrini, Pinheiros e Osasco.

FINANCIAMENTO

O valor inicial previsto para a obra de extensão era de R$ 350 milhões. Agora, segundo o Governo do Estado, o valor das construções é de R$ 945 milhões, quase o triplo. As obras vão continuar devido à liberação de um montante feita por parte do Governo Federal.

“O Ministério das Cidades liberou recursos de R$ 25 milhões e autorizou o início da construção de quatro viadutos rodoviários, que farão a transposição da via férrea no trecho de 4,5 quilômetros em implantação” – informou o Governo do Estado.

Os contratos dos quatro viadutos foram assinados com um deságio de cerca de R$ 5 milhões sobre o preço orçado e prazo de conclusão de 18 meses, conforme informado pelo Governo Estadual.

Até o fim de 2016, a obra de extensão foi executada com verba do Governo do Estado. Em outubro de 2017, a União liberou os primeiros valores para dois contratos, totalizando R$ 91,8 milhões. Segundo o Governo, os serviços englobam a implantação de sinalização das vias e do Sistema de Integração ao CCO (Centro de Controle Operacional) do trecho de 4,5 km em construção.

Relembre: Governo do Estado consegue recursos para extensão da Linha 9 da CPTM

Segundo informações da CPTM, o contrato para elaboração de projeto executivo, fabricação, fornecimento e Implantação do sistema de energia será homologado e também deverá receber recursos do governo federal.

O Governo do Estado afirma que, dos R$ 945 milhões, R$ 500 milhões foram prometidos pelo Governo Federal desde 2014 por meio do PAC da Mobilidade.

ESTAÇÕES

De acordo com o Governo do Estado, já foi publicado o edital de obras complementares do lote 1, que engloba a construção de parte da via permanente e da Estação Mendes-Vila Natal. A previsão é que esses serviços comecem já no segundo semestre de 2018.

Também está prevista a construção das duas novas estações (Mendes-Vila Natal e Varginha). Segundo a CPTM, as obras vão atender moradores do extremo sul de São Paulo: Grajaú, Estrada dos Mendes, Varginha, Vila Natal, Jardim Icaraí, Jardim São Bernardo e Conjunto Residencial Palmares.

NOVO TREM

Na mesma ocasião em que o governador anunciou a retomada das obras, Márcio França entregou o 38º novo trem do lote de 65 adquiridos pela CPTM. A composição da série 8.500, fabricada pela CAF entrará em operação na Linha 7-Rubi (Luz – Jundiaí), que conta agora com 23 trens novos.

“O objetivo é oferecer trens modernos e com ar condicionado, proporcionando mais conforto aos usuários. A previsão é que outras 27 unidades entrem em operação gradativamente neste ano” – informou a CPTM, em nota.

Os outros trens que serão entregues  entrarão em operação apenas após a realização de testes que são feitos nos sistemas elétricos, mecânicos e de sinalização, conforme informado pela Companhia.

De acordo com a CPTM, os novos trens vêm com “salão contínuo de passageiros (passagem livre entre os carros), monitoramento com câmeras na parte externa e interna e são acessíveis para pessoas com mobilidade reduzida ou deficiência (contam com sinalização visual para identificação de assentos preferenciais, mapa dinâmico e áudio, além de espaço para cadeirantes). Também dispõem de monitores digitais internos com informações e interação das principais notícias sobre a prestação de serviços, além de reconhecimento eletrônico automático do maquinista por meio de biometria”.

Os novos trens estão sendo entregues com cerca de dois anos de atraso. Os contratos com as fabricantes CAF e Hyundai-Rotem previam entrega final em junho de 2016.

O Ministério Público do Estado de São Paulo chegou a emitir um parecer contestando a confiabilidade dos trens, mas segundo a CPTM, as dúvidas foram esclarecidas.

Relembre: Novos trens da CPTM não apresentam confiabilidade, diz relatório da engenharia do MP

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: