Itapemirim entra com pedido de recuperação judicial

Publicado em: 8 de março de 2016

onibus

Sindicato diz que Itapemirim não honrou direitos de trabalhadores demitidos

Requerimento também envolve outras empresas do grupo

ADAMO BAZANI

Com informações A Gazeta On Line

A Viação Itapemirim protocolou nesta segunda-feira, 7 de março de 2016, pedido de recuperação judicial na 13ª Vara Cível Especializada Empresarial de Vitória.

O pedido envolve todas as empresas do grupo da família de Camilo Cola: Viação Itapemirim, Transportadora Itapemirim, ITA – Itapemirim Transportes, Imobiliária Bianca, Cola Comercial e Distribuidora e Flecha Turismo Comércio e Indústria.

A assessoria de imprensa da Itapemirim informou que o objetivo da recuperação é dar continuidade às atividades de todas as empresas e garantir equilíbrio financeiro para pagar os compromissos com funcionários e fornecedores .

A Itapemirim, na nota pediu, aos funcionários “voto de confiança”. A empresa afirmou que as demissões promovidas até agora se deram por causa da crise econômica financeira.

Somente em “médio prazo” a Itapemirim acredita que vai começar a apresentar resultados positivos para continuar normalmente as atividades.

Nesta segunda-feira, funcionários da Itapemirim fizeram um protesto em frente à sede da empresa contra demissões. Em torno de 40 ex-funcionários dizem que os pagamentos das verbas rescisórias e de outros benefícios trabalhistas estão atrasados.

O “Sindimotoristas – Sindicato dos Motoristas, Ajudantes, Cobradores e Operadores de Máquinas sobre Pneus do Sul do Estado do Espírito Santo” informou que aproximadamente 150 trabalhadores foram demitidos da Itapemirim desde o dia 18 de fevereiro. Segundo a entidade, a maioria está com os direitos trabalhistas atrasados.

No dia 4 de junho de 2015, a Itapemirim repassou 68 linhas interestaduais para a Viação Kaissara entre as quais, trajetos de grande demanda, como São Paulo / Rio de Janeiro, São Paulo / Rio de Janeiro (via ABC Paulista), São Paulo / Curitiba, Rio de Janeiro / Curitiba, Salvador/ Rio de Janeiro, Brasília / Belo Horizonte, Rio de Janeiro / Curitiba.

Em torno de 40% da frota que era operada pela Itapemirim foram assumidos pela Kaissara.

Com a transferência, a Itapemirim manteve 50 itinerários, o que corresponde a 40% de sua atuação anterior.

Kaissara e Itapemirim ainda ocupam as mesmas estruturas, o que leva até mesmo funcionários afirmarem que ainda se trata de um mesmo grupo empresarial. A afirmação, entretanto, é negada por um dos diretores da Kaissara, Fernando Santos, que em entrevista ao Blog Ponto de Ônibus afirmou que não há sócios em comum entre as duas empresas.

Confira: https://diariodotransporte.com.br/2015/10/11/diretor-da-kaissara-volta-a-afirmar-que-empresa-e-a-itapemirim-nao-tem-os-mesmos-socios/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. claudio disse:

    Só mais uma com a síndrome Vo , Pai e Filho e se autodestroe.
    Nesse caso com um empurrão desse governo para agilizar o processo. Seu Camilo , um dos quatro maiores conhecedores de ônibus desse Brasil, não merece passar por isso.

  2. Delamar da Cruz disse:

    Adamo, só uma observação: as linhas não foram ‘repassadas’, mas vendidas à Itapemirim.

    1. Jore disse:

      Não juntaram nesta ação as empresas do grupo: Itabira seguros, Fiat Cola, Cola Pneus, Marbrasa e Pindobas Fazendas Reunidas.
      Porque?

  3. Segundo varios funcionarios a Kaissara e do mesmo grupo, no cnpj ta viacao caicara.Esse kaissara que estar nos onibus e nome fantasia.Ser isso for verdade para que esconder?

  4. magna disse:

    o que mais me aborrece que nossos governantes não estão nem aí,no final so nós trabalhadores que sofremos pais de familía saem para trabalhar ja estressados porque não estão recebendo em dia,espoem a vida em risco,e tuleram disaforo de passageiros que acham porque pagam passagem os outros que se danem….e mais na boca de muitos mal informados,falam que motoristas da’ “mirin” ganham 5 salarios minimos…kkk

  5. Jore disse:

    Agora José, caímos no conto do vigário, mandam todo mundo embora com salários devidos e FGTS já há muito sem depositar, cestas básicas atrasadas, seguro saúde sem pagar. Já vinhamos passando necessidades, cortes de comissão, etc…

    Entram com este pedido de recuperação com as firmas já falidas há anos como a Transportadora Itapemirim que ninguém vê uma carreta há dez anos, rede Flecha, fechada há muito tempo. Coloca a Itapemirim no meio, passam suas melhores linhas para outros ou eles ´´mesmos“

    Porque não juntam o patrimônio ativo: Marbrasa, Fiat Cola, ITEX, Itabira seguros que pagamos por toda a vida, Samadisa, cola Pneus e Fazendas Reunidas Pindobas.

    Deus só por nós agora, poderiam entrar com um mandado de segurança para nos pagar, pois estamos velhos, doentes pela exposição ao óleo, barulho e carregar Malas e ITEX, absurdo nos dar a volta assim, tem que haver justiça neste país, temos fé no Judiciário para quebrar esta recuperação e nos pagar.

    São direitos devidos, salários, avisos, papelada de seguro desemprego e FGTS, estamos pedindo, humilhados, nós antigos de casa é que fomos atingidos e deixados de lado na Itapemirim, passaram mais os novatos pra Kaissara, pois tem pouco FGTS, Justiça reveja esta decisão é injusta

  6. O problema é que um dos ônibus onde eu estava hoje, estava com a saida de ar condicionado quebrada o banheiro sem água, os bancos estavam sujos e com cheiro de cloro, alguns.. é o maior descaso que tiveram com a gente..

Deixe uma resposta