Carapicuíba classifica empresa em licitação para construção de passarela entre CPTM e terminais de ônibus

Estação da Linha 8-Diamante da CPTM em Carapicuíba. Reprodução Google Maps

Certame realizado nessa sexta-feira tem valor de R$ 26 milhões e prazo de execução de 12 meses

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Carapicuíba, na Grande São Paulo, deu andamento à licitação para construção da passarela de interligação dos Terminais Rodoviários Metropolitano e Municipal em Barueri, com a Estação da Linha 8-Diamante da CPTM e a Avenida Francisco Pignatari.

Na avenida, ficam as entidades de ensino Fatec/Etec, FNC e Sesi.

A Concorrência, realizada nessa sexta-feira, 27 de maio de 2022, habilitou e classificou a empresa Teto Construtora S.A, única a presentar proposta.

Caso o resultado seja adjudicado e homologado, a empresa vencedora terá até 525 dias para realizar a obras, contados a partir do recebimento da ordem de serviço expedida pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano.

De acordo com o edital o valor estimado da obra é de R$ 26.195.565,74 para o prazo de 12 meses de execução.

A proposta da Teto Construtora foi cerca de R$ 200 mil abaixo desse limite, no valor de R$ 25.931.098,58.


OBRA CONTOU COM DINHEIRO DO FUMEFI

O Gabinete do Secretário Estadual de Desenvolvimento Regional do Governo de São Paulo publicou no Diário Oficial do Estado, 12 de fevereiro de 2022, decisão do Conselho de Orientação do Fumefi – Fundo Metropolitano de Financiamento e Investimento relativa ao projeto de construção de passarela de interligação dos Terminais Rodoviários Metropolitano e Municipal em Barueri, com a Estação da Linha 8-Diamante da CPTM e a Avenida Francisco Pignatari, onde ficam as entidades de ensino Fatec/Etec, FNC e Sesi.

A reunião do Conselho, em 10 de dezembro de 2021, aprovou incluir a passarela no Plano de Aplicação do Fumefi após compromisso da prefeitura de concluir a obra.

Segundo o Fumefi, a destinação original dos recursos era para realizar dois projetos: “Melhorias e Adequações no Viário do Centro do Município” e “Construção de Passagem de Nível do Sistema Viário M. Covas e Construção do Boulevard de Interligação do Calçadão à Fatec/Etec – 3ª Etapa – complemento“.

No primeiro caso, a obra foi encerrada com execução parcial de 40%, com valor final de R$ 3,1 milhões (R$ 3.113.461,46) “em razão de fatores técnicos e econômicos que se tornaram intransponíveis, agravados pela pandemia (COVID-19)”.

Com os problemas, houve rescisão amigável do contrato. Segundo o Fumefi, o saldo deixado foi de R$ 4.751.093,01, e envolve recursos dos exercícios de 2021, disponível, e de 2022, previsível.

No segundo caso, da passarela e construção do boulevard, a obra foi encerrada com execução parcial (13%), com valor final de R$ 1,8 milhão (R$ 1.834.566,87), também em razão de fatores técnicos e econômicos intransponíveis após a pandemia (COVID-19). Foi feita rescisão amigável, o que deixou um saldo no valor de R$ 12,2 milhões (R$ 12.223.571,16).

São recursos previstos para 2021 de R$ 8,83 milhões e de R$ 8,65 milhões para 2022.

A prefeitura de Barueri pleiteou e foi atendida para que os saldos dos dois contratos, que somam R$ 17,5 milhões, e pediu a inclusão no Plano do Fumefi do projeto da passarela de interligação dos Terminais Rodoviários Metropolitano e Municipal, com a Estação da CPTM e Avenida Francisco Pignatari

O FUMEFI é um fundo especial para executar estudos, projetos e serviços de interesse da região metropolitana da Grande São Paulo. Seu objetivo é corrigir desequilíbrios e proporcionar investimentos em municípios grandes e com poucos recursos.

HISTÓRICO

Em fevereiro de 2012 a CPTM encaminhou à Prefeitura um projeto de adequação da estação Carapicuíba. O objetivo era realizar obras no local em função do início do processo de construção do novo terminal de ônibus da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, marcado para o ano seguinte. O projeto da estação de ônibus previa a interligação entre os dois modos de transporte público através da construção de uma passarela sobre a estação de trens.

De acordo com o site da prefeitura, a adequação da estação, construção do terminal e implantação da passarela fazem parte de um conjunto de obras previsto no projeto Novo Centro, que trazia ainda um túnel e um boulevard já concluídos.

A travessia de pedestre desde o terminal, permitindo acesso à estação de trem com extensão até a Fatec/Etec, FNC e Sesi, representa um dos grandes avanços de mobilidade na região central da cidade”, informava o site da prefeitura em maio de 2016.

Em 2015, ainda segundo a prefeitura, a versão final do projeto básico foi encaminhada à CPTM, sendo que em março de 2016 o projeto executivo foi finalizado e protocolado pela prefeitura junto à estatal de trens.

“A construção da passarela de interligação entre o terminal, a estação de trem e as faculdades do outro lado da cidade tem enfrentado dificuldade desde o início por conta das demandas e exigências técnicas apresentadas pela CPTM. Agora, com o projeto executivo concluído e entregue, a prefeitura fica no aguardo da Cia de Trens para iniciar a obras”, informava a prefeitura em maio de 2016.

TERMINAL CARAPICUÍBA DA EMTU

Como noticiou o Diário do Transporte, o Governo do Estado de São Paulo anunciou no dia 31 de maio de 2016 o início parcial da operação do terminal de ônibus de Carapicuíba, na Grande São Paulo, ao lado da estação de trens da CPTM. Relembre: Com quatro anos de atraso, terminal de Carapicuíba começa a funcionar parcialmente nesta terça-feira

No dia 21 de março de 2018, a EMTU prometeu que o terminal Carapicuíba, integrante do corredor de ônibus Itapevi -São Paulo, seria entregue até junho daquele ano. A última promessa, depois de tantas, era abril.

Um trecho de 11 quilômetros do corredor também deveria ser concluído também em 2018. Relembre: Terminal Carapicuíba será entregue até junho, promete EMTU

No dia 3 de outubro de 2018, no entanto, o então governador Márcio França realizou vistoria técnica nas obras do Terminal Metropolitano Carapicuíba. Com investimento de R$ 13,6 milhões, a previsão de entrega e conclusão do terminal foi novamente postergada para o primeiro trimestre de 2019.

Na ocasião, Márcio Franca afirmou que a obra estava paralisada até abril de 2018, “uma obra importante, o terminal vai servir a mais de 60 mil pessoas, somando municipal com intermunicipal”, disse ele.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta