Total de punições à ViaMobilidade chega R$ 7,9 milhões com multa de R$ 3,6 milhões, diz STM

Valores se referem a descumprimentos de cláusulas dos contratos das linhas 8 e 9 de trens metropolitanos

ADAMO BAZANI

A STM (Secretaria dos Transportes Metropolitanos) informou no início da noite desta quinta-feira, 12 de maio de 2022, que multou a ViaMobilidade, responsável pela operação e manutenção das Linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda de trens metropolitanos em mais R$ 3,6 milhões. Com isso, o total de penalidades por não cumprimento contratual é de R$ 7,9 milhões.

Segundo a pasta, em março deste ano, a STM já havia multado a ViaMobilidade em R$ 4,3 milhões, após a “instauração de processos administrativos sancionadores, em razão de descumprimentos de procedimentos operacionais e da interrupção da prestação do serviço. A concessionária apresentou defesa dentro do prazo estipulado, que está sendo analisada pela pasta.”

A STM diz, em nota que, “agora, reincidentes episódios de falhas, denominados incidentes notáveis, passaram por análise administrativa na STM e geraram as novas multas à ViaMobilidade. Alguns exemplos dessas falhas são a abertura de portas do lado contrário à plataforma, desrespeito à sinalização de via e questões contratuais relacionadas à operação”

A secretaria é responsável pelo monitoramento e acompanhamento de todas as concessões feitas pela pasta. Os trabalhos são feitos pela Comissão de Monitoramento das Concessões e Permissões (CMCP), que exige a qualidade nos serviços prestados de acordo com os contratos vigentes.

As operações da ViaMobilidade nas linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da rede de trens metropolitanos ainda são alvos de muitas queixas dos passageiros.

Completados 100 dias, a concessão ainda reúne problemas como falhas em trens e equipamentos, como escadas rolantes e bloqueios das estações (catracas), atrasos e, principalmente, falta de informações rápidas e transparentes sobre as condições operacionais em tempo real.

Não é de hoje que o Diário do Transporte e outros órgãos de imprensa, especializados em transportes ou de cobertura geral, destacam falhas e ocorrências que afetam as operações, com as redes sociais lotadas de reclamações, mas que, nestes momentos, os canais oficiais da operadora dizem que a situação é normal, não sendo verdade.

Diário do Transporte também revelou com exclusividade um problema sério envolvendo a concessão: a ViaMobilidade começou a operar as linhas 8 e 9 com 65% da frota de trens com revisão vencida. E muito vencida. Por exemplo, os rodeiros, conjunto de rodas dos trens que devem ser revisados a cada 1,2 milhão de quilômetros, estavam com até dois milhões de quilômetros sem revisão. Essa frota foi recebida da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos). As responsabilidades da estatal, da concessionária e da STM (Secretaria dos Transportes Metropolitanos – responsável por acompanhar a concessão) são apuradas pelo Ministério Público que pode sugerir à Justiça penalizações contra os envolvidos.

Entre estes trens com revisão vencida está aquele que bateu contra uma plataforma na estação Júlio Prestes da linha 8 em 10 de março de 2022. No mesmo dia, um funcionário morreu eletrocutado ao mexer em equipamentos da linha 9.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/05/05/viamobilidade-iniciou-operacoes-das-linhas-8-e-9-com-65-da-frota-de-trens-com-revisao-vencida-apontam-documentos/

Apesar dos problemas, a ViaMobilidade diz que investimentos estão sendo feitos e divulgou uma relação de ações, que vão desde reparos básicos de rotina, até aperfeiçoamento de treinamentos.

Inclusive, as capacitações dos funcionários também foram tema de reportagem do Diário do Transporte e de outros veículos de comunicação.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Empresas Ferroviárias da Zona Sorocabana, José Claudinei Messias, no início das operações, enquanto que na CPTM, o tempo de treinamento para que um maquinista possa atuar é entre oito e dez meses com acompanhamento de um monitor; na ViaMobilidade, a capacitação de maquinistas durava aproximadamente quatro meses.

De acordo com Messias, houve um acordo com a concessionária para reciclagem destes operadores “pouco treinados”.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2022/04/20/ferroviarios-e-viamobilidade-entram-em-acordo-sobre-treinamento-de-funcionarios-das-linhas-8-e-9-diz-sindicato/

O Diário do Transporte pediu um posicionamento da ViaMobilidade, que disse que ainda não foi comunicada da decisão.

A ViaMobilidade, concessionária responsável pela operação e manutenção das Linhas 8-Diamante e 9- Esmeralda de trens metropolitanos de São Paulo, não foi comunicada de tal decisão.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta