ÁUDIO: Ricardo Nunes não descarta colapso no sistema de transportes com congelamento de tarifa de ônibus sem auxílio federal

Esperança é aprovação de projeto de lei que destina recursos da União para subsidiar parte dos custos; Rodrigo Garcia falou no mesmo evento que Estado tentará segurar preço da passagem do Metrô e da CPTM

ADAMO BAZANI

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, disse na manhã desta segunda-feira, 27 de dezembro de 2021, que a tarifa de ônibus só deve aumentar em 2022 se o sistema de transportes apresentar sinais de colapso, o que não é descartado caso não haja um auxílio federal para subsidiar parte dos serviços de ônibus municipais em todo o País.

Como mostrou o Diário do Transporte, em 24 de dezembro de 2021, Nunes decidiu não reajustar a tarifa pelo menos até fevereiro de 2022, quando o Congresso deve votar um projeto pelo qual o Governo Federal injete de alguma forma recursos para parte do custeio dos serviços municipais.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/12/24/entrevista-tarifa-de-onibus-sera-mantida-em-r-440-em-sao-paulo-ate-definicao-de-ajuda-federal-diz-nunes/

Segundo Nunes, em caso de um auxílio federal ser negado, a prefeitura fará as contas e se o sistema estiver próximo de colapsar, mesmo com subsídios, haverá aumento de tarifa.

“Se for negativo, a gente vai estar com um levantamento com relação ao impacto do custo na cidade de São Paulo, a questão dos passageiros que retornaram para o sistema, se o diesel vai reduzir o valor ou não, ou seja, vamos fazer todos os esforços para não aumentar. Só vamos aumentar a tarifa se for colapsar o sistema de transportes” – disse Nunes.

Ouça:

Há três opções de financiamento dos transportes pelo Governo Federal que estão em debate:

– A União custear as gratuidades para idosos com 65 anos de idade ou mais

– O Governo Federal pagar um VTS (Vale-Transporte Social) para pessoas beneficiárias de programas sociais registradas no CadÚnico e também para desempregados registrados no Caged

– O Governo Federal custear ou desonerar o óleo diesel dos ônibus.

No mesmo evento, o governador em exercício, Rodrigo Garcia, disse que o Estado vai aguardar a definição federal e uma decisão sobre aumento das tarifas dos trens do Metrô e da CPTM só vai ocorrer em conjunto com a prefeitura da capital com os ônibus municipais.

As declarações foram feitas durante evento de início de obras de um piscinão entre as cidades de São Paulo, São Bernardo do Campo e São Caetano do Sul que também deve beneficiar a implantação de um sistema de corredores de ônibus rápidos, BRT, entre cidades do ABC Paulista e a capital.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/12/27/audio-governo-do-estado-inicia-a-construcao-do-piscinao-jaboticabal-que-pode-beneficiar-brt-abc/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. João Luis Garcia disse:

    Estão colocando o Bolsonaro na parede pois esse ano a Câmara não mais votará a ajuda ao Transporte
    O Governo Federal já deu várias demonstrações de não haver interesse algum em ajudar o Transporte Público de Passageiros
    Há uma grande resistência por parte do Ministro da Economia Paulo Guedes e equipe
    Infelizmente poderemos ver alguns sistemas sucumbirem com a alta dos custos e a falta de sensibilidade dos governantes

  2. Riberson disse:

    Sensibilidade do governo?? Esses empresários não largam o osso amigo, tem subsídios anual, se fosse ruim não participariam da última licitação, e ainda trocaram os nomes das empresas. CLARO que o pseudo prefeito vai bancar

  3. Nelson Amaral disse:

    Prefeito de São Paulo precisa aprender a economizar em todos os sentidos, isso com gastos desnecessários como envios de vereadores para passeio em Dubai para visitar feiras, comitivas do prefeito para New York para participar de palestras etc.

    1. Raimundo Manoel de Carvalho disse:

      É amigo esse gente não tem dó do dinheiro do contribuinte.

  4. Raimundo Manoel de Carvalho disse:

    A minha esperança é que um dia o povo aprendem a votar.

Deixe uma resposta