ÁUDIO: Mercedes-Benz planeja lançar OF-1519 com suspensão pneumática

Ônibus OF-1519 do sistema metropolitano gerenciado pela EMTU no ABC Paulista

De acordo com montadora, tem crescido a procura por ônibus urbanos médios; Principal concorrente, Volkswagen, apresentou seu 15 toneladas com suspensão a ar; Queda do número de passageiros ao longo de anos explica maior procura por ônibus menores; NTU estima perda de 50% de usuários nas últimas duas décadas

ADAMO BAZANI

A Mercedes-Benz estuda lançar uma versão de seu ônibus urbano mídi (micrão) de 15 toneladas, o OF-1519, com suspensão pneumática.

A informação é do diretor de vendas e marketing ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, Walter Barbosa, em resposta ao Diário do Transporte durante entrevista coletiva da Latt.Bus nesta segunda-feira, 20 de setembro de 2021.

O executivo disse que os operadores de transportes coletivos estão cada vez mais procurando modelos de ônibus menores, em especial pela queda de demanda de passageiros nos sistemas de ônibus urbanos e metropolitanos de praticamente todo o país, processo que já vem de anos, mas se agravou com a pandemia de covid-19.

“Com a demanda de passageiros que vem reduzindo ao longo dos anos, muitos clientes passaram a migrar de veículo. Então, quem tinha articulados passou a migrar para veículos menores, por isso até lançamos o veículo ‘Super Padron’ [14 metros]. Aqueles que usavam só [ônibus para] 17 toneladas, passaram a usar uma parte 15 toneladas [mídis] e também uma parte de nove toneladas [micros]. Então existe sim o trabalho da Mercedes-Benz no desenvolvimento de novas tecnologias para estes segmentos, como fizemos na linha OF de 17 toneladas. Nós temos hoje nessa linha, os veículos com motorização quatro cilindros, seis cilindros, diversas configurações de entre-eixos para diversos segmentos, tanto fretamento quanto veículos urbanos, e também com opções de suspensão metálica e pneumática. O 15 toneladas deve seguir a mesma questão do ponto de vista de suspensão pneumática” – disse Barbosa.

Ouça:

Como mostrou o Diário do Transporte, o presidente-executivo da NTU (Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos), Otávio Cunha, disse que atualmente os ônibus urbanos no Brasil operam com 60% da demanda de passageiros de antes da pandemia, em média.

Mas o problema da perda de demanda do transporte coletivo vem de muito antes da propagação da covid-19

Em 23 anos, o setor de transporte coletivo acumula queda de cerca de 50% da quantidade de passageiros. Somente entre 2013 e 2019, a perda foi de 26%

Veja na íntegra neste link:

https://diariodotransporte.com.br/2021/09/20/viacoes-acumulam-prejuizos-de-r-167-bilhoes-novo-marco-legal-para-o-transporte-publico-no-brasil-pode-virar-projeto-de-lei-em-10-dias-diz-ntu/

VOLKS POSSUI 15 TON. PNEUMÁTICO

A principal concorrente da Mercedes-Benz no segmento de ônibus, a Volkswagen, que ocupa a segunda colocação no mercado geral de veículos de transportes coletivos no Brasil, apresentou de maneira oficial também nesta segunda-feira (20), o seu “15 toneladas” (ônibus micrão) com suspensão pneumática.

Segundo a montadora, o Volksbus 15.190 ODS é equipado com motor MAN D08, com 186 cv e 700 Nm do torque.

Com PBT de 15 toneladas, é indicado para carrocerias de até 11 metros de comprimento.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/09/20/volkswagen-apresenta-o-10-160-od-e-15-190-ods-suspensao-a-ar-e-diz-que-o-22-280-ods-ja-vai-fazer-parte-de-frotas-neste-ano/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Rodrigo de Freitas Andrade disse:

    A Culpa da queda de passageiros é da corrupção nos sistemas municipais e intermunicipais na cidade de São Paulo e na Grande SP.
    Fatores:
    – Seccionamento e encurtamento de linhas;
    – Beneficiamento a cooperativas, a maioria ligadas ao establishment político estadual e dos municípios, em detrimento de fortalecer a concorrência que acarretaria em investimentos e o sistema teria mais qualidade;
    – Escolha errada das empresas grandes e tradicionais de imitar o sistema das cooperativas politizadas e corruptas que canibalizaram o sistema, uma delas é comprar ônibus médios, ao invés de ter criatividade de logística e agradar o passageiro, ouvindo-o através de ONGs e Associações de Bairro independentes e APOLÍTICAS.
    – Criação de sistemas logísticos de planejamento de linhas e operação que usam somente a tecnologia e a telemetria, ignorando aspectos tradicionais comerciais, turísticos e culturais da cidade de SP e RMSP.
    – Culpar e punir o passageiro como o responsável pela queda de demanda, sendo que o passageiro é a vítima maior desses sistemas corruptos criados desde 2002 até os dias atuais.

Deixe uma resposta