Ex funcionários da Viação Itapemirim fazem manifestação neste sábado (05)

Carreata realizada na manhã deste sábado, 05 de junho de 2021, em Cachoeiro do Itapemirim

Grupo diz que não recebeu diretos trabalhistas

ADAMO BAZANI

Ex-funcionários da Viação Itapemirim realizam neste sábado, 05 de junho de 2021, uma manifestação no município de Cachoeiro do Itapemirim, no Espírito Santo, local onde foi fundado o grupo.

Os profissionais, entre motoristas de ônibus, mecânicos, trabalhadores de agências, -áreas administrativas e demais funções, dizem que foram desligados entre os anos de 2016 e 2021 e que não receberam integralmente os direitos trabalhistas e as verbas rescisórias.

O grupo realizou na manhã uma carreta nas principais vias da cidade e se concentrou na frente da uma das garagens da empresa.

O Diário do Transporte procurou a Viação Itapemirim que enviou a seguinte nota:

O Grupo Itapemirim informa que não possui passivo trabalhista com ex-funcionários da companhia em Cachoeiro do Itapemirim (ES). As referidas reinvindicações já foram analisadas e indeferidas tempestivamente pela Justiça do Trabalho.

O grupo ressalta ainda que tem cumprido rigorosamente o plano de Recuperação Judicial e, diante disso, já protocolou petição solicitando o seu encerramento, no último dia 24 de maio.

Em relação ao China Construction Bank Brasil, o Grupo Itapemirim informa que o credor está recebendo o valor do seu crédito nos termos do plano de Recuperação judicial, em parcelas mensais de R$ 100 mil, devidamente comprovados nos autos do processo nº 1108214-64.2020.8.26.0100.

Conforme disposto no plano de Recuperação Judicial, aprovado pelo próprio credor China Construction Bank Brasil, o Grupo Itapemirim está autorizado a realizar novos projetos, por ora, direcionado ao setor aéreo. Esse investimento foi autorizado e convalidado pelo Juiz da Recuperação Judicial, decisão proferida em 26 de agosto de 2020.

A transparência da atual gestão do presidente Sidnei Piva de Jesus e o fiel cumprimento do plano de Recuperação Judicial permitiu que o Grupo Itapemirim pleiteasse o encerramento da Recuperação Judicial.


A Viação Itapemirim entrou em recuperação judicial em 2016, ainda quando era controlada pela família de Camilo Cola, fundador da empresa que morreu na noite do último sábado, 29 de maio de 2021, aos 97 anos.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/05/30/camilo-cola-fundador-da-itapemirim-morre-aos-97-anos/

Contando débitos trabalhistas, de impostos, com bancos e fornecedores, a Itapemirim possui um passivo de cerca de R$ 2 bilhões.

Atualmente, o Grupo Itapemirim está sob a presidência do empresário Sidnei Piva, que protocolou uma petição para encerrar o processo de recuperação judicial. O pedido foi feito no dia 24 de maio de 2021, para a 1ª Vara de falências e recuperações judiciais do foro central da comarca da capital, no Estado de São Paulo.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/05/25/itapemirim-protocola-peticao-para-encerrar-recuperacao-judicial/

O China Construction Bank Brasil, antigo BicBanco, um dos credores, chegou a pedir a suspensão da recuperação judicial e que o atual presidente da empresa, o empresário Sidnei Piva, fosse destituído do cargo.

O grupo alega que o empresário desviou recursos da empresa de ônibus, vendendo ativos para criar a companhia aérea de transporte de passageiros.

Tudo isso teria sido feito, ainda segundo o banco, sem a aprovação prévia dos credores. A instituição financeira alega que em torno de 30% do dinheiro obtido com a venda foram transferidos para a ITA (Itapemirim Transportes Aéreos) e que apenas 27% foram de fato para o pagamento de credores.

A justiça ainda não decidiu sobre o pedido.

O grupo Itapemirim diz que o banco tem recebido os recursos devidos e que o plano de recuperação judicial prevê a possibilidade de novos investimentos.

“O Grupo Itapemirim informa que o credor está recebendo o valor do seu crédito nos termos do plano de recuperação judicial, em parcelas mensais de R$ 100 mil, devidamente comprovados nos autos do processo nº 1108214-64.2020.8.26.0100. O plano de recuperação judicial prevê a possibilidade de alienação, locação ou arrendamento de todos seus bens e ativos, visando fomentar a operação, seja em relação a novos investimentos/projeto e/ou substituição da frota de veículos. Conforme disposto no plano de recuperação judicial aprovado pelo próprio credor China Construction Bank Brasil, o Grupo Itapemirim está autorizado a realizar novos projetos, por ora, direcionado ao setor aéreo.”

ÔNIBUS URBANOS E TRENS:

Além da companhia aérea, o grupo da Itapemirim mira outros negócios que até então não faziam parta de sua atividade como a operação de ônibus urbanos e o setor metroferroviário.

Como mostrou o Diário do Transporte em primeira mão em 28 de maio de 2021 , o Grupo da Viação Itapemirim deve assumir integralmente as linhas de ônibus municipais urbanas em Nova Friburgo (RJ) em até 60 dias e os investimentos iniciais em frota para esta operação serão de aproximadamente R$ 65 milhões.

Na nota à reportagem do Diário do Transporte, o grupo ainda informou que a identidade visual dos ônibus urbanos será a mesma usada nos veículos rodoviários, cuja cor predominante é amarela.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/05/28/exlcusivo-itapemirim-diz-que-vai-investir-r-65-milhoes-em-frota-de-urbanos-em-nova-friburgo-rj/

O Grupo Itapemirim tentou, mas não conseguiu vencer, o leilão de concessão à iniciativa privada das linhas 8-Diamante e 9-Esmeralda da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) em um contrato com duração de 30 anos.

O leilão ocorreu em 20 de abril de 2021 e teve o Grupo CCR em consórcio com o Grupo RuasInvest como vencedor.

Foram quatro propostas. Em todos os consórcios houve a participação de operadores de ônibus

Consórcio ViaMobilidade 8 e 9 – Formado pela CCR (líder) e Ruas Invest (ônibus da capital paulista): R$ 980 milhões

Consórcio MobTrens: Grupo Comporte (família Constantino, ônibus) – líder, Consbem Construções e CAF: R$ 787,7 milhões

Consórcio Integração Iberica Holdding S.A (líder) e Metra (dos Trólebus e Ônibus do ABC): R$ 519,5 milhões

Consórcio Itapemirim/Encalso: Grupo Itapemirim (ônibus é o principal negócio) – líder  Encalso Construções: R$ 400 milhões

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/04/20/ccr-e-grupo-ruas-vencem-leilao-das-linhas-8-e-9-da-cptm-metra-itapemirim-e-grupo-comporte-participaram/

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. SE TEM gente gritando ainda, é sinal que nada accabou,,,,Prá isso é necessário que o sindicato deles entre no caso, para dar mais visão e voz….

  2. absurdo esse Piva,,cabe esclarecimentos….o Banco talvez não iria mencionar tal falto à tôa…..é como eu mesmo disse,,,tem “Canhedo” nesta história, ou seria “Mansur” ??

  3. Andre disse:

    Esse Piva , gosta de brincar com os direitos trabalhista das pessoas , enquanto alguns ex profissionais estão se adaptando em outras funções , ele desviando dinheiro e comprando aviões , tenho certeza que tudo isso é fogo de palha.

  4. Eduardo Luiz de Lima Chaves disse:

    Trabalhei de 2013 a 2019 na Itapemirim, no RJ. Ainda não recebi as verbas rescisórias. Esse senhor Piva não está cumprindo com o dever junto a nós, ex funcionários. Essa manifestação deveria ocorrer em todo o Brasil.

  5. LUIS CARLOS DA SILVA disse:

    Eu não sei se isso só acontece por aki (brasil) mas a justiça deixar o cara investir no aéreo com tantas dívidas,inclusive com ex funcionários?
    Como diz meu amigo Márcio….vou morrer é não vejo tudo!!

  6. Sérgio Afonso disse:

    Num país com justiça séria, esses pseudo-empresários, estariam todos em cana! Não queiram nem as obrigações trabalhistas e já abrem outra empresa? E tudo sob as bênçãos dessa justiça de ataque! Brasil só de alguns!!!

  7. José Alventino da Silva disse:

    Tenho uma questão judicial ganha, desde 2012 e ela não me pagou até hoje.Sabe dizer se ela vai pagar essas dúvidas?

  8. Alvaro Viana Dias disse:

    Pelo q observo, não temos justiça do trabalho nesse pais, é tdo fachada, trabalhei 34 anos na Viação Itapemirim, e ainda não me pagaram as verbas rescisórias, assim como eu , so em Cachoeiro de Itapemirim deve ter mais de 300 ex. funcionários na mesma situação, a nível Brasil deve ter uns 3.000 mil q ainda não receberam. Se o sr. Sidney Piva diz q está tdo certo, que ele prove via extratos bancários os depositos q ele diz ter feito em minha conta.

  9. Alvaro Viana Dias disse:

    Já entrei na justiça em janeiro de 2021.
    Tivemos uma audencia virtual, mas o advogado da Itapemirim falou q não tem acordo.

  10. Jadilson disse:

    COMO É POSSIVEL QUE A JUSTIÇA NÃO FAZ NADA EM FAVOR DOS EX FUNCIONÁRIOS QUE COMO EU ATÉ HOJE NÃO RECEBEU UM CENTAVO DE RECISAO E FGTS…QUE VERGONHA QUE TENHO DE SER BRASILEIRO PQ A JUSTIÇA AQUI SÓ PUCHA PARA OS RICOS..BRASIL PAÍS DE INJUSTIÇA

  11. Miguel disse:

    Fazer uma reportagem sobre fundo de garantia em atrasos, com a caixa. Eu sou vítima, agradeço desde já.

  12. Milton Carlos disse:

    Trabalhei de 2012a 2018 não me pagaram nada nem dias trabalhados ném férias ja ganhei na justiça e nada até agora mais o deles esta guardado a justiça divina vai cobrar covardes ordinários

  13. Reginaldo Couto disse:

    Boa tarde para todos, eu trabalhei na viação Itapemirim por mais de 24 anos. Em março de 2020 eu e centenas de funcionários fomos demitidos e não recebemos os nossos direitos trabalhistas. Nem o mês trabalhado a empresa pagou. FGTS atrasado, multa do FGTS, férias vencidas e parcial, etc a empresa não pagou nada. E esse ano quando a empresa enviou o comprovante de rendimentos pagos aos trabalhadores em sua maioria eles constam como se tivesse sido pago, enviei mensagens e telefonei para gestores e para o setor de RH e nada foi resolvido. A empresa fez e continua fazendo o que bem quer com seus ex funcionários, e a única esperança é a Justiça do Trabalho obrigar a empresa a pagar.

  14. Mirim Rodas disse:

    Absurdo. Dinheiro da Recuperação Judicial entrando e eles continuam a não pagar. Justiça por favor.

  15. José Alexandre Pereira de Sousa disse:

    Se fosse num país sério ,e com leis para todos, seria diferente. Tenho processo trabalhista desde 2000.
    Ganhei em todas as instâncias, e até hoje não recebi nada. Parabéns para justiça brasileira.

  16. Pedro paulo disse:

    E se Piva acabou com a itapemirim

Deixe uma resposta para José Alexandre Pereira de Sousa Cancelar resposta