Mercedes-Benz vende 132 ônibus para o Transcol (ES) e 116 para novo sistema de transportes do ABC Paulista

Ônibus para o sistema Transcol, no Espírito Santo

Para a região metropolitana de Vitória, há modelos convencionais e articulados; Já para o ABC, são 96 unidades do OF 1519 e 20 unidades do OF 1721

ADAMO BAZANI

Ouça clicando no botão de áudio abaixo:

A Mercedes-Benz realizou recentemente a venda de 248 ônibus urbanos que vão fazer parte da ampliação e da reformulação de dois sistemas de transportes em diferentes estados.

São 132 unidades para a Região Metropolitana de Vitória (ES) e 116 para o sistema do ABC Paulista (SP) a partir de São Bernardo do Campo.

O diretor de Vendas e Marketing Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil, Walter Barbosa, destacou em entrevista ao Diário do Transporte, na tarde desta quinta-feira, 27 de maio de 2021, que estas grandes vendas são importantes no atual contexto econômico, mas que a realidade do segmento de urbanos é uma das mais afetadas pela crise, juntamente com os rodoviários.

Com o atraso da vacinação contra a covid-19 e as instabilidades nas políticas de contenção da doença, o mercado de ônibus que previa crescimento , revisa as estimativas e não está descartada queda nas vendas em 2021 na comparação com 2020, que já foi um ano ruim.

“No ano passado foram 13830 unidades [entre todas as marcas] emplacadas e previa-se algo em torno de 15800 unidades [alta aproximada de 15%] para este ano. Hoje dado o atual cenário e a perspectiva de vacinação que deve se estender para além do previsto, temos mais clareza de que o mercado de ônibus vai alcançar o mesmo patamar de 2020 ou até um pouco menos” – disse

Entre janeiro e abril de 2021, os emplacamentos de todas as marcas acumulam alta 13,8% (4.472 unidades), mas Walter Barbosa lembra que esta alta está baseada em apenas dois segmentos: fretamento (641 unidades alta de 120%) e escolares (1494 unidades, alta de 249%). Os urbanos tiveram queda de 47% (1048 unidades) e os rodoviários amargaram perdas de 54% de (194 unidades)

“Estes dois segmentos, urbano e rodoviário, só devem se recuperar gradativamente quando a maioria da população estiver vacinada, o que deve ocorrer somente em 12 meses” – disse.

Sobre os escolares, Walter Barbosa falou que o segmento vai perder fôlego no segundo semestre porque já estão sendo adquiridas as últimas unidades da licitação do Programa Caminho da Escola de 2019. A licitação nova, que deve contemplar cerca de sete mil ônibus, só deve ser lançada depois de junho, sendo assim, dificilmente haverá emplacamentos neste ano referentes a esta nova concorrência.

Barbosa ainda destacou que por causa da queda demanda de passageiros nos rodoviários e urbanos, as empresas estão procurando modelos de ônibus menores

Entre janeiro e abril de 2021, foram 1095 unidades de micro-ônibus, alta de 31%

“Projetamos um bom cenário para os micro-ônibus, que envolvem operações urbanas, de fretamento e turismo. No segmento não são contemplados os veículos do Caminho da Escola” – explicou

O executivo falou sobre necessidade de inicialmente o mercado estancar a “sangria da crise”, o que tem sido feito, por exemplo, com novos prazos e carência.

Só depois deste processo é que se dará a ampliação de linhas de crédito.

Walter Barbosa destacou também que neste processo seriam interessantes mudanças, como o risco pelo crédito ser compartilhado entre os bancos que financiam os chassis e os bancos que financiam as carrocerias.

Atualmente, esse risco só é assumido pelo banco da montadora, segundo Barbosa.

REGIÃO METROPOLITANA DE VITÓRIA:

Para o Transcol, que atende à região Metropolitana de Vitória, no Espírito Santo, foram comercializados 132 ônibus pela  Mercedes-Benz. No total, o sistema deve receber neste ano 195 ônibus novos, englobando todas as marcas.

Desta venda de 132 ônibus, Walter Barbosa destaca (entre chassis prontos, entregues e em produção)

– 48 unidades do modelo OF 1721 para a Santa Zita

– 33 unidades do modelo OF 1721 L (suspensão pneumática) para a Serrana/Santa Paula

– 17 unidades do modelo OF 1721 L (suspensão pneumática) para a Unimar

– 30 unidades do modelo OF 1721 para a empresa Grande Vitória

– 04 unidades do modelo O500 MA (articulados) para a Praia Sol

Os veículos foram comercializados pela concessionária Vitória Diesel (do Grupo Águia Branca/Vix), que também fará o pós-venda com estrutura dedicada para atender nas garagens das empresas, o que a Mercedes-Benz chama de Center Bus.

Ampliação do Transcol:

Como mostrou o Diário do Transporte, o sistema integrado da Grande Vitória passa por mais uma reformulação e teve o atendimento ampliado em 10 de maio de 2021, quando foi estendido para a capital. As linhas municipais foram transformadas em alimentadoras e passaram a ser integradas com as linhas troncais do Transcol, por meio da bilhetagem eletrônica (Cartão GV Bus).

Ao anunciarem a ampliação do Transcol para a capital, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, e o secretário de mobilidade, Fábio Damasceno, também disseram que até o fim deste ano de 2021 devem ser colocados em circulação na Grande Vitória, cerca de 200 novos ônibus em substituição aos mais antigos.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2021/05/05/transcol-passa-a-atuar-no-sistema-municipal-de-vitoria-es-a-partir-de-segunda-10-e-casagrande-promete-200-onibus-0-km-neste-ano/

ABC PAULISTA:

A Mercedes-Benz também fechou uma venda de 116 veículos para o grupo da Next Mobilidade (ABC Sistemas de Transportes) que fará a reformulação do sistema metropolitano gerenciado pela EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) no ABC Paulista.

Deste total, 96 unidades são do modelo OF 1519 e 20 são do modelo OF 1721 de suspensão metálica.

“Deste total 90 unidades OF 1519 já estão na encarroçadora Caio e a diferença será entregue para a encarroçadora até o final da próxima semana” – explicou.

Como mostrou o Diário do Transporte, a Next Mobilidade é a marca fantasia da SPE (Sociedade de Propósito Específico) denominada ABC Sistemas de Transportes que, no âmbito da renovação do contrato do Corredor Metropolitano ABD (ônibus e trólebus), contempla a criação do SIT (Sistema Integrado de Transporte) no ABC Paulista.

Com a renovação do contrato da Metra pelo corredor ABD foram incorporadas obrigações para a concessionária, como a construção do BRT (com ônibus elétricos) e a assunção da área remanescente, formada por linhas alimentadoras e complementares do sistema integrado.

As linhas remanescentes correspondem à extinta área 5 da EMTU, hoje ainda operadas por outras empresas, e que nunca teve um contrato de licitação, apesar de seis tentativas pela gerenciadora do Governo do Estado.

Esta assunção das linhas remanescentes não se trata de compra das linhas da área 5 ou das empresas operadoras atuais, mas uma previsão contratual da reestruturação do sistema.

O contrato é de R$ 22,6 bilhões e vai até março de 2046, como mostrou a reportagem.

A Next Mobilidade (ABC Sistemas) tem um ano para fazer a assunção das linhas remanescentes e o processo deve ser gradativo.

O contrato prevê a subcontratação de outras empresas, o que será ainda decidido pelo grupo da Next Mobilidade.

GRUPO ABC:

A Next Mobilidade (ABC Sistemas de Transportes) tem origem no Grupo ABC formado pela família Setti & Braga que atua há 110 anos nos transportes da região, tendo como uma das primeiras atividades no setor, a ligação por meio de tílburis (veículos puxados a cavalo) entre a Villa de São Bernardo (hoje centro de São Bernardo do Campo) e a Estação São Bernardo (hoje Estação Prefeito Celso Daniel, em Santo André, da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos)

Entre as empresas de transporte do Grupo ABC estão Metra (concessionária de ônibus, trólebus e terminais do Corredor Metropolitano ABD), BR7 Mobilidade (todas as linhjas municipais de São Bernardo do Campo), Viação ABC (linhas da área 5 do ABC, da EMTU), Publix (linhas da área 5 do ABC, da EMTU), Diastur (escolar e fretamento), além da Eletra Industrial (que produz tecnologia para ônibus elétricos, híbridos, DualBus e trólebus, e caminhões elétricos para a MAN-Volkswagen), entre outros.

A atuação do Grupo ABC será ampliada ainda mais com a construção e operação de um sistema de ônibus rápidos de alta capacidade não poluentes (BRT – Bus Rapid Transit) escolhido pela gestão do governador João Doria para substituir um projeto de monotrilho que seria a linha 18-Bronze (São Bernardo do Campo, Santo André, São Caetano do Sul e São Paulo). Na alegação do Governo do Estado, um monotrilho para a ligação não seria viável por ser de alto custo de operação e implantação possuindo uma capacidade limitada de transporte.

Como mostrou o Diário do Transporte, em 29 de dezembro de 2020, a proposta da Concessionária Metra de prorrogação antecipada do Corredor ABD em troca da implantação do BRT no ABC Paulista, sistema de ônibus de maior capacidade e velocidade que os corredores comuns, foi aprovada com várias condicionantes na reunião dos conselhos de PPP (Parcerias Público Privadas) e de desestatização da gestão do governador João Doria.

A Next Mobilidade é a marca fantasia da SPE (Sociedade de Propósito Específico) denominada ABC Sistemas de Transportes que, no âmbito da renovação do contrato do Corredor Metropolitano ABD (ônibus e trólebus), contempla a criação do SIT (Sistema Integrado de Transporte) no ABC Paulista.

Com a renovação do contrato da Metra pelo corredor ABD foram incorporadas obrigações para a concessionária, como a construção do BRT com ônibus elétricos) e a assunção da área remanescente, que será formada por linhas alimentadoras e complementares do sistema integrado.

As linhas remanescentes correspondem à extinta área 5 da EMTU, hoje ainda operadas por outras empresas.

Esta assunção das linhas remanescentes não se trata de compra das linhas da área 5 ou das empresas operadoras atuais, mas uma previsão contratual da reestruturação do sistema.

O contrato é de R$ 22,6 bilhões e vai até março de 2046, como mostrou a reportagem.

A Next Mobilidade (ABC Sistemas) recebeu em março de 2021 um ano para fazer a assunção das linhas remanescentes e o processo deve ser gradativo.

O contrato prevê a subcontratação de outras empresas, o que será ainda decidido pelo grupo da Next Mobilidade.

A família Setti & Braga ainda possui negócios em outros segmentos, como empresas de construção e pavimentação, franquias da rede Habib’s de fast food, Cemitério Vale dos Pinheirais de Mauá, Funeral Home nos Jardins, em São Paulo.

Empresas de tecnologia de aplicativos para transporte coletivo, como UBus, e de bilhetagem eletrônica, como o Cartão Legal de São Bernardo do Campo, também possuem participação da família Setti & Braga.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. ABC PLANO DE SAUDE,,,,,também,,,tipo uma empresa que vende planos de saúde ali na Lucas Nogueira Garcês, em SBC

Deixe uma resposta