SPTrans homologa Prodata Mobility para fornecimento de tecnologia embarcada do novo sistema de transporte coletivo da capital

Com a inovação das tecnologias embarcadas, as empresas de ônibus podem gerir melhor seus serviços. Foto: Diário do Transporte

Empresa recebeu certificado de conformidade emitido pelo Organismo de Certificação Designado pela gerenciadora

ALEXANDRE PELEGI

A empresa Prodata Mobility foi homologada no processo de certificação junto à SPTrans para fornecer tecnologia embarcada para o novo sistema de transporte coletivo da cidade de São Paulo.

A informação foi publicada no Diário Oficial do Município (DOM) desta sexta-feira, 23 de abril de 2021.

Como mostrou o Diário do Transporte, um dos principais destaques dos novos contratos assinados em setembro de 2019 com as empresas de ônibus, que terão validade por 15 anos, está justamente no termo “inovação”, concretizado nas ações e investimentos de tecnologia que as operadoras terão de realizar a partir de agora.

Segundo a publicação do DOM, foram homologadas as empresas Prodata Mobility Brasil S.A. e Etrabras Mobilidade e Energia Ltda (esta pela segunda vez, com novo certificado).

A Etrabras já havia recebido outro certificado em novembro de 2020. Relembre:

SPTrans homologa três empresas de tecnologia embarcada para novo sistema de transporte coletivo de São Paulo

De acordo com a SPTrans, as empresas submeteram seus produtos (Equipamentos Eletrônicos Embarcados) aos testes realizados pelos Laboratórios de Testes Designados (LTD), e receberam o Certificado de Conformidade emitido pelo Organismo de Certificação Designado (OCD) TUV Rheinland Brasil, comprovando estarem aptas para instalar seus equipamentos nos ônibus do Sistema de Transporte Público Coletivo de Passageiros da Cidade de São Paulo.

Com a inovação das tecnologias embarcadas, as empresas de ônibus podem gerir melhor seus serviços, e em decorrência disso podem também melhorar a imagem do Transporte Público diante dos clientes do setor.

Para isso, o poder concedente – no caso a Secretaria municipal de Mobilidade e Transporte, por intermédio da SPTrans – precisa certificar os fornecedores de tecnologia dos sistemas embarcados e do sistema central.

No caso dos sistemas embarcados, as empresas de tecnologia têm de se submeter a um processo de certificação junto à SPTrans. Por esse processo, as empresas de ônibus passam a ter uma garantia tecnológica de que o produto que irão adquirir é não só reconhecido pelo poder concedente, mas também será capaz de entregar os produtos para os quais foram desenhados.

O processo de certificação é bastante complexo, e as empresas candidatas precisam se submeter a uma série de verificações para serem habilitadas, tanto para os sistemas embarcados, como para o fornecimento do sistema central.

As verificações são realizadas por meio de Organismos de Certificação (OCD) e Laboratórios de Testes (LTD) designados pela SPTrans. Eles analisam aspectos funcionais e não funcionais descritos no edital de concessão do transporte público municipal paulistano.


Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Gilvan disse:

    Ainda bem que a Prodata foi escolhida. Ninguem mereçe passar pela lentidão do sistema disponibilizado pela Sigompass disponíveis em alguns ônibus do sistema de São Paulo.

Deixe uma resposta