Rodoviários da CSN iniciam greve em Salvador após prefeitura rescindir contrato com empresa

Ônibus da CSN, fora de circulação nesta segunda (29). Foto: Manu Dias / Gov BA

Amarelinhos fazem operação emergencial para atender usuários das linhas. Veículos começaram a circular às 4h

ALEXANDRE PELEGI

Como anunciado no sábado, 27 de março, os rodoviários da empresa Consórcio Salvador Norte (CSN) paralisaram as atividades na manhã desta segunda-feira, 29 de março de 2021 em Salvador.

A empresa de ônibus, responsável pela bacia três, atendia a região de Mussurunga e Orla.

Como mostrou o Diário do Transporte, o prefeito Bruno Reis anunciou a rescisão do contrato com a empresa nesse fim de semana.

Após o anúncio da greve, a Secretaria de Mobilidade (Semob) da prefeitura de Salvador montou uma operação especial para atender os passageiros da CSN.

O atendimento às linhas operadas pela CSN será realizado pelos “amarelinhos”, veículos do Subsistema de Transporte Especial Complementar (Stec).

A prefeitura informou que o plano é atender os usuários de 30 linhas das 68 operadas da CSN.

Para definir o plano emergencial, a Semob levou consideração a possibilidade de integração como metrô e o atendimento aos principais corredores da cidade e trechos considerados de micro acessibilidade.

Serão aproximadamente 200 veículos “amarelinhos” que atuarão na operação. Desta forma, as linhas regularmente operadas pelo Stec ficam temporariamente suspensas.

Para saber qual veículo tomar, os usuários deverão se orientar pelo nome da linha, exposto no letreiro.

Será permitido fazer a integração tanto com o metrô como com outras linhas urbanas, menos a integração com linhas metropolitanas.

Os amarelinhos começaram a circular a partir das 4h, saindo dos bairros em direção às estações.

As últimas viagens acontecerão às 21h, saindo das estações.

Equipes da Semob acompanharão diariamente a operação para eventuais ajustes.

Abaixo as linhas que estão sendo operadas pelo STEC:

Lapa x HGE

Lapa x Daniel Lisboa (via Waldemar Falcão)

LB1 – Lapa x Chame-Chame

LB2 – Lapa x Barra Avenida/Barra

LB3 – Lapa x Garibaldi/Ondina

Lapa x Rio vermelho (Cardeal da Silva)

Lapa x Caixa D’Água

Pau Miúdo x França/Campo Grande

Cosme de Farias/Estação de Brotas x Engenho

Velho de Brotas/Lapa

Nordeste x Lapa

Santa Cruz x Calçada/Bonfim

Vale das Pedrinhas x Vila Rui Barbosa

Boca do Rio x Ribeira

Terminal Aeroporto x Jardim das Margaridas

Estação Mussurunga x Fazenda Grande 1/Boca da Mata

Estação Mussurunga x Mussurunga 1 Setor G/C

Estação Mussurunga x Mussurunga 2 Setor L/J

Estação Mussurunga x Parque São Cristóvão

Estação Mussurunga x Mussurunga 2 Setor H/I

Estação Mussurunga x Alto do Coqueirinho

Estação Mussurunga x Barra 3

Estação Mussurunga x Fazenda Grande 4/3/2

Estação Mussurunga x Ribeira/São Joaquim

Estação Mussurunga x São Joaquim

Estação Mussurunga x Bairro da Paz

Estação Mussurunga x Bosque das Bromélias

Estação Mussurunga x Cajazeira 11/Setor C

Estação Mussurunga x KM 17

Estação Mussurunga x Stella Mares

Estação Mussurunga x Praia do Flamengo R 1

Terminal Acesso Norte x Cidade Nova /Pau Miúdo

 

RODOVIÁRIOS TEMEM CALOTE

O presidente do Sindicato dos Rodoviários da Bahia, Hélio Ferreira, disse no sábado (27) que os funcionários temem calote da empresa, que continua responsável pelos débitos trabalhistas, já que a caducidade do contrato não isenta dessa responsabilidade.

Segundo o sindicalista, as dívidas trabalhistas da empresa somam R$ 82 milhões, que poderiam ser pagos com o crédito que a companhia teria a receber de R$ 36,6 milhões da prefeitura e com a venda da garagem que, ainda de acordo com Hélio Ferreira, vale R$ 50 milhões.

Apesar do crédito que a empresa teria a receber como alegado pelo sindicalista, ao anunciar a caducidade do contrato, o prefeito de Salvador, Bruno Reis, disse que as dívidas da CSN somam R$ 516 milhões, sendo que R$ 154 milhões em impostos municipais e federais e R$ 172 milhões em débitos que não são tributários junto ao município.

INTERVENÇÃO

O prefeito de Salvador, Bruno Reis, anunciou nesse sábado, 27 de março de 2021, o rompimento do contrato com a CSN (Concessionária Salvador Norte), operadora do lote de regiões como Estação Mussurunga e Orla, a maior alimentadora da linha 2 do Metrô. De acordo com Reis, uma auditoria mostrou irregularidades na gestão do contrato pela empresa e uma dívida da CSN de R$ 516 milhões com diferentes credores, entre os quais a prefeitura e o Governo Federal.

Com isso, a prefeitura vai operar diretamente as linhas, mas pretende lançar uma licitação para conceder os serviços para outra companhia ou consórcio.

Como mostrou o Diário do Transporte, a prefeitura iniciou uma intervenção para a manutenção dos serviços em 16 de junho de 2020 e tinha a previsão de acabar o procedimento em 17 de março de 2021, mas pelo fato de a situação não ter sido resolvida, prorrogou a intervenção. Legalmente, a prorrogação pode ser de até um ano.

Relembre:

Intervenção na CSN em Salvador é prorrogada até junho, diz Bruno Reis

Entre as irregularidades apontadas pela auditoria, segundo o prefeito, estão:

– Frota disponível menor que a contratada: A empresa tinha que oferecer 700 ônibus e em março de 2021, estava com 535;

– Processos trabalhistas em curso na ordem de R$ 35 milhões;

– Dívidas tributárias, entre municipais e federais de R$ 154 milhões:

– Dívidas não tributárias com o município, como, por exemplo, a outorga do contrato que não foi paga, de R$ 172 milhões;

– Apropriação indébita no valor de R$ 5,1 milhões;

– Dívidas com fornecedores, com plano de saúde, tíquete refeição, posto de combustível, além de passivo aberto com bancos, na ordem de R$ 25 milhões, de parcelas de financiamento de ônibus e empréstimos.

“Tudo isso soma R$ 516 milhões”, falou Bruno Reis, na entrevista coletiva.

Relembre:

Prefeitura de Salvador rescinde contrato com a CSN – Concessionária Salvador Norte

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. carlos souza disse:

    É só a Prefeitura assumir tudo de vez e acaba a m.hrdhy@,pronto.Repensa essa ideia de estado mínimo.Phyodhi@-se.

Deixe uma resposta