Terminais de ônibus no ABC são liberados após paralisação na manhã desta segunda (22)

Presidente do Sintetra, Leandro Mendes da Silva, em carro de som durante manifestação na Perimetral em Santo André nesta segunda (22). Coletivos seguem enfileirados até Terminal

A pauta é extensa e pede, entre outros pontos, auxílio para o setor de transportes, pagamentos de salários e benefícios atrasados, subsídios às operações e a definição de um cronograma de vacinação para motoristas e demais trabalhadores que atuam junto ao público externo

ADAMO BAZANI

O ABC Paulista registrou nesta segunda-feira, 22 de março de 2021, uma paralisação de ônibus que começou pouco antes das 07h.

Apenas por volta das 09h, começou a ocorrer a liberação dos terminais de forma gradativa, com reflexos ainda nas operaç~pes

De acordo com o presidente do Sintetra, sindicato que representa os profissionais, Leandro Mendes da Silva, a pauta é extensa e pede, entre outros pontos, auxílio para o setor de transportes, pagamentos de salários e benefícios atrasados, subsídios às operações e a definição de um cronograma de vacinação para motoristas e demais trabalhadores que atuam junto ao público externo.

Corredor ABD também foi afetado por causa da concentração nos terminais e, segundo a EMTU, devido a manifestações, as linhas metropolitanas que circulam no grande ABC. A operação no Corredor ABD foi paralisada por volta de 7h40, e começaram a voltar às 08h30.

Os veículos foram parados nos terminais, mas como estes espaços no ABC são pequenos, os ônibus chegaram a ocupar vias de grande movimento no ABC, nas faixas à direita.

Não se tratou de uma greve, segundo o Sintetra, mas de uma paralisação de protesto. São atingidos ônibus municipais e do sistema intermunicipal da EMTU (comuns azul escuro, seletivos cinza e Metra – Corredor ABD)

PAUTA:

VACINA JÁ: O SINTETRA protesta para que sejam incluídos os MOTORISTAS e COBRADORES do transporte urbano de passageiros no grupo de prioridades para a vacinação anti-covid19, pois estão diariamente expostos à contaminação, visto que estão na linha de frente e em contato permanente com inúmeras pessoas.

VACINA PARA TODOS: O SINTETRA protesta contra a demora na disponibilização das vacinas para a população em geral.

ATRASOS NOS SALÁRIOS: O SINTETRA protesta contra os constantes atrasos nos pagamentos dos salários e benefícios em favor dos trabalhadores.

APOIO DO GOVERNO: O SINTETRA protesta por apoio financeiro às empresas, através de subsídios, para que sejam mantidos os postos de trabalho e para que evitem mais demissões. Pela redução imediata nos preços dos produtos da cesta básica e pela suspensão nos pagamentos de impostos federais, estaduais e municipais.

COORDENAÇÃO NACIONAL: O SINTETRA protesta por uma coordenação nacional, envolvendo os Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, com a efetiva participação dos governadores e prefeitos, no combate à pandemia do Covid-19, incluindo uma campanha nacional e padronizada envolvendo toda a população.

CONTRA O TRANSPORTE CLANDESTINO: O SINTETRA protesta contra o transporte clandestino de passageiros existente em nossa região, visto que tiram o emprego de diversos pais e mães de família, não geram impostos para as prefeituras e para o Estado e não dão segurança à população.

CONTRA O ABUSO DAS MULTAS: O SINTETRA protesta contra as multas aplicadas aos trabalhadores que se deslocam de casa para o trabalho e vice-versa nos horários definidos pelo “toque de recolher”.

Empresas de ônibus municipais e tarifas no ABC (gestão das prefeituras)

Santo André:

Tarifa: R$ 4,75

– Consórcio União Santo André (linhas comuns): formado pela Viação Guaianazes, Viação Vaz, TCPN (Transportes Coletivos Parque das Nações), ETURSA (Empresa de Transporte Urbano e Rodoviário de Santo André) e EUSA (Empresa Urbana Santo André).

– Suzantur: opera o sistema tronco-alimentado da região da Vila Luzita até o centro de Santo André, de forma provisória até a licitação do sistema que deveria ter sido realizada em 2016.

São Bernardo do Campo:

Tarifa: R$ 4,75

– BR7 Mobilidade

São Caetano do Sul:

Tarifa: R$ 4,50

– Vipe (Viação Padre Eustáquio)

Diadema:

Tarifa: R$ 4,65 (básica)

– Suzantur

Mauá:

Tarifa: R$ 4,30

Suzantur

Ribeirão Pires:

Tarifa: R$ 4,40

– Rigras (comprada pela Suzantur)

Rio Grande da Serra:

Tarifa: R$ 4,20

– Viação Talismã

Metropolitanas (EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) – As tarifas variam de acordo com os trajetos – Gestão do Governo do Estado de São Paulo

Área 5 da EMTU – Operadoras (não consorciadas): ABC, EAOSA, Expresso SBC, Imigrantes, Mobibrasil, Parque das Nações, Publix, Riacho Grande, Ribeirão Pires, Rigras (assumida pela Suzantur), São Camilo, Trans-Bus, Triângulo, Tucuruvi, Urbana e Vipe

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Jose antonio disse:

    Covid. Trameto preventivo e tramento PRECOCE. Prefeito fechou tudo e esque que cidade parada nao fatura, vao tira dinheiro de onde , veja porto felix .veja sao lourenço cidade rancho queimado .porto ceguro bh. Como estao sendo tratado.apara dos onibos e justa tem que ser acolhida as revindicaçao.

  2. Agora de tarde já está tudo normal, acabei de chegar em casa mas de manhã eu tive que pegar um Uber

  3. Raro governos com caixa no azul….Portanto a melhor solução mandar planilha de expediente, comercial, transportes à prefeitura e reivindicar descontos em certos impostos, de acordo com grau de prejuizo

Deixe uma resposta