Após determinação da Justiça, ônibus voltam a circular na Região Metropolitana de Recife

Ônibus saindo para a linha após intervenção da Polícia na garagem

Sindicato diz que houve “repressão policial”. Paralisação foi motivada por “fiscalização” em ônibus sem cobradores

ADAMO BAZANI

Os ônibus que estavam parados na Região Metropolitana de Recife voltaram a circular na tarde desta quarta-feira, 09 de dezembro de 2020, após decisão judicial determinar que o sindicato dos rodoviários liberasse a saída dos veículos das garagens.

Como mostrou o Diário do Transporte, pela manhã a entidade trabalhista impediu que os ônibus sem cobradores fossem para a operação, como forma de pressionar pelo cumprimento da portaria 167/2020 do Governo do Estado que prevê o fim da dupla função pela qual o motorista dirige o ônibus e cobra as passagens.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/12/09/sindicato-dos-rodoviarios-impede-saida-de-onibus-sem-cobrador-na-regiao-metropolitana-de-recife/

Em nota na tarde desta quarta-feira (09), o Sindicato dos Rodoviários do Recife e Região Metropolitana reclamou da postura da Polícia Militar em cumprir a decisão judicial.

PM E BATALHÃO DE CHOQUE FORÇAM CATEGORIA A ENCERRAR FISCALIZAÇÃO NAS GARAGENS | A repressão policial por parte da PM encerrou a fiscalização que acontecia nas garagens da Caxangá, Metropolitana, Transcol e Pedrosa. Sem apresentar nenhum documento oficial, mas apenas um print no WhatsApp, a polícia encerrou a ação do Sindicato que acompanhava o cumprimento da portaria 167/20 do Governo do Estado, que determina que só ônibus com a presença do cobrador pode circular no Recife e Região Metropolitana. As empresas estão usando as forças de segurança pública para desrespeitar a determinação do próprio governador. A pergunta que os rodoviários fazem para o poder público: a lei só vale para os trabalhadores, mas não para os patrões?

O Governo do Estado editou a portaria 167 em 23 de novembro de 2020 determinando que os ônibus na Região Metropolitana tenham motorista e cobrador, sendo proibida assim a dupla função.

A portaria e um acordo trabalhista com as empresas impediram a realização de uma greve no dia 24 de novembro.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/11/23/greve-de-onibus-em-recife-e-rmr-e-suspensa-e-operacao-sera-normal-nesta-terca-24/

Diário do Transporte mostrou também que em 31 de outubro de 2020, o prefeito de Recife, Geraldo Julio, sancionou a lei que permite o acúmulo de funções nas operações dentro da cidade.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2020/10/31/prefeito-de-recife-sanciona-lei-que-proibe-dupla-funcao-no-transporte-coletivo/

Em nota, o Urbana-PE, sindicato que representa as empresas de ônibus, diz que não há garantias para o cumprimento da portaria e a possibilidade de sua aplicação.

Ainda segundo a entidade patronal, a Procuradoria Geral do Estado de Pernambuco concluiu que a lei municipal não se aplica ‘as linhas metropolitanas gerenciadas pelo Grande Recife Consórcio de Transporte.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Justiceiro Hroth-Beorht disse:

    Continuem votando na família ARRAES e seus aderentes celenterados, como Paulo Câmara e Geraldo Júlio. Os escravos escolheram continuarem escravos! Nada se pode fazer!

Deixe uma resposta