Comércios em cidades na fase amarela vão poder funcionar até 8 horas diárias em São Paulo

Secretária de desenvolvimento econômico, Patrícia Ellen, detalha mudanças em entrevista coletiva

Medida pode ter impacto no transporte público, em especial nos horários de pico

ADAMO BAZANI/WILLIAN MOREIRA

A equipe do governador João Doria flexibilizou ainda mais o funcionamento dos estabelecimentos comerciais que estão em cidades enquadradas na fase amarela do Plano São Paulo para o retorno das atividades econômicas na quarentena.

Estabelecimentos como shoppings, restaurantes, salões de beleza e comércios de rua, por exemplo, poderão funcionar por oito horas por dia. O decreto com a permissão deve ser publicado nesta quinta-feira, 20, entrando em vigor na sexta-feira, 21

Atualmente, nesta fase, os estabelecimentos só podem funcionar por seis horas diárias.

O anúncio foi feito pelo vice-governador Rodrigo Garcia e secretários em entrevista coletiva no início da tarde desta quarta-feira, 19 de agosto de 2020.

Os comerciantes, juntamente com as prefeituras podem definir se estas oito horas serão ininterruptas ou divididas ao longo do dia.

A media deve impactar no transporte público, em especial nos horários de pico, já que a margem para escalonar a entrada e saída de trabalhadores ficará menor.

Além disso, em estabelecimentos de atividades culturais, passarão a poder ser vendidos os ingressos em bilheteria, desde que respeitadas as normas atuais, como de distanciamento e ocupação máxima de 40%.

Também houve atualização de normas quanto à fase verde, para qual a cidade de São Paulo caminha, mas que até agora, não há nenhuma cidade enquadrada.

Os estabelecimentos, na fase verde, poderão atender presencialmente até 22h.

A ocupação máxima dos estabelecimentos poderá ser de 60% na fase verde.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Willian Moreira, em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta